Assaltantes de caminhoneiros são presos em Itabaiana

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
A OPERAÇÃO \'ESTRADA LIVRE\' FOI DESENCADEADA NA TERÇA-FEIRA, NOS MUNICÍPIOS DE ITABAIANA E FEIRA DE SANTANA (BA). ELES ROUBAVAM PNEUS
A OPERAÇÃO \'ESTRADA LIVRE\' FOI DESENCADEADA NA TERÇA-FEIRA, NOS MUNICÍPIOS DE ITABAIANA E FEIRA DE SANTANA (BA). ELES ROUBAVAM PNEUS

Acusado de assaltos é preso pela Polícia Rodoviária em Itabaiana/SE
Acusado de assaltos é preso pela Polícia Rodoviária em Itabaiana/SE

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 28/02/2018 às 02:32:00

Gabriel Damásio

Oito pessoas foram presas em Sergipe durante a "Operação Estrada Livre", deflagrada ontem pelas polícias Federal e Rodoviária Federal. Dezenas de policiais foram mobilizados para cumprir sete mandados de prisão e 14 de busca e apreensão nos estados de Sergipe, Bahia e Minas Gerais. Dois dos alvos da operação foram presos em Itabaiana (Agreste) e um terceiro na avenida Melício Machado, zona de expansão de Aracaju. Outras cinco pessoas acusadas de tentar dar fuga a um dos integrantes da quadrilha foram presas e autuadas em flagrante. A operação foi deflagrada para prender uma quadrilha especializada no roubo de pneus de veículos de carga em rodovias federais dos três estados e também do Tocantins.

Durante as buscas em Itabaiana, os policiais prenderam dois dos envolvidos, apontados como responsáveis pelos assaltos aos caminhoneiros. Também foram apreendidas duas carretas com placas do Piauí e de Sergipe, pneus e outros objetos. As buscas aconteceram nos bairros Bairro Marianga, Bananeira, Queimadas e Santa Mônica. O terceiro envolvido foi encontrado e preso no final da manhã, em Aracaju. Os outros envolvidos na quadrilha foram detidos na Bahia e em Minas. Todos os presos foram levados para a Superintendência Regional da Polícia Federal em Salvador (BA), que está responsável pelo inquérito policial do caso. Os outros cinco presos em Itabaiana foram levados para a Superintendência da PF em Aracaju. Um adolescente envolvido na tentativa de fuga foi igualmente apreendido.

Segundo as polícias, o grupo costumava abordar caminhões, carretas e bi-trens novos ou recém-fabricados, em bom estado de conservação. Em geral, sempre à noite ou durante a madrugada, os assaltantes aguardavam a parada desses veículos em postos de combustíveis,agrediam e rendiam os caminhoneiros com armas de fogo e levavam o caminhão até um local deserto, onde retiravam todos os pneus. Em seguida, eles fugiam com os pneus e deixavam as vítimas amarradas no local. Mais de 100 ocorrências do tipo foram investigadas pelas equipes e denúncias anônimas ajudaram os policiais a identificarem os envolvidos com os roubos.

A depender do tipo do caminhão, estima-se que o prejuízo causado pela quadrilha chegava a até R$ 90 mil com a retirada dos pneus roubados de cada veículo pesado, chamado de Combinação de Veículos de Carga (CVC). Isto porque cada unidade deste tipo de veículo pode ter até 34 pneus, sem contar os estepes; e cada pneu de uma carreta custa em média R$ 1.600, fora o custo da roda, que pode variar entre R$ 400 (roda de ferro) e R$ 1 mil (roda de alumínio). Outros equipamentos do veículo também eram levados, como pertences pessoais, rádios, outras peças de fácil retirada e quantias em dinheiro. Já os pneus eram levados em caminhões menores e revendidos a preços mais baixos no mercado clandestino.

"Entre 2016 e 2017, estima-se que a quadrilha presa hoje foi responsável por 124 assaltos em rodovias da Bahia, gerando um prejuízo direto de aproximadamente R$ 6.200.000,00. Ações como essas provocam outros efeitos nocivos como atraso nas entregas, sensação de insegurança nos motoristas, encarecimento do frete, entre outros", diz a PRF, em um comunicado oficial. As investigações serão aprofundadas para identificar e responsabilizar outros envolvidos, incluindo colaboradores da quadrilha e receptadores dos pneus roubados.