MPE vai notificar Energisa sobre manutenção de fios elétricos

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 06/03/2018 às 23:35:00

 

A Curadoria de Defe-
sa do Consumidor, 
do Ministério Público Estadual (MPE), abriu um procedimento administrativo para apurar a sequência de acidentes envolvendo fios e cabos de energia elétrica em Sergipe. A promotora EuzaMissano, responsável pela curadoria, enviou ontem uma notificação à Energisa, empresa responsável pela distribuição de energia elétrica em 63 municípios do estado, que deve apresentar explicações sobre o trabalho de manutenção corretiva e preventiva na rede de energia. Uma audiência entre as partes ainda deve ser marcada. 
O procedimento foi aberto após a morte da menina Milena Rayane Silva Santos, nove anos, que sofreu uma descarga elétrica após ser atingida por um fio de alta tensão que se desprendeu de um poste na rua onde brincava, no bairro Remanso, em Propriá (Baixo São Francisco). O incidente aconteceu no último domingo e as causas ainda são investigadas pela própria Energisa e pela Polícia Civil, que abriu um inquérito na Delegacia Regional de Propriá. A companhia citou a possibilidade de uma "interferência mecânica externa" como a que causaria o rompimento do cabo. Uma versão que chegou a ganhar força é de que ele teria caído por causa de um tiro disparado na rua, mas, até o momento, esta versão não foi confirmada. 
A primeira morte causada por fiações elétricas aconteceu em 25 de janeiro, quando Érica Soares dos Santos, 23, pisou em um fio de alta tensão que estava enterrado na areia de uma praia no povoado Lagoa Redonda, em Pirambu (Litoral Norte). Uma semana depois, no dia 1º de fevereiro, o empresário Jailton Veríssimo Cardoso, o 'Jabá', 39, foi atingido por um cabo que caiu em cima de sua caminhonete, em frente à sua residência, na Barra dos Coqueiros (Grande Aracaju). A Energisa informou que não foi notificada ainda pelo Ministério Público, mas prometeu apresentar todas as explicações quando for convocada. 

A Curadoria de Defe- sa do Consumidor,  do Ministério Público Estadual (MPE), abriu um procedimento administrativo para apurar a sequência de acidentes envolvendo fios e cabos de energia elétrica em Sergipe. A promotora EuzaMissano, responsável pela curadoria, enviou ontem uma notificação à Energisa, empresa responsável pela distribuição de energia elétrica em 63 municípios do estado, que deve apresentar explicações sobre o trabalho de manutenção corretiva e preventiva na rede de energia. Uma audiência entre as partes ainda deve ser marcada. 
O procedimento foi aberto após a morte da menina Milena Rayane Silva Santos, nove anos, que sofreu uma descarga elétrica após ser atingida por um fio de alta tensão que se desprendeu de um poste na rua onde brincava, no bairro Remanso, em Propriá (Baixo São Francisco). O incidente aconteceu no último domingo e as causas ainda são investigadas pela própria Energisa e pela Polícia Civil, que abriu um inquérito na Delegacia Regional de Propriá. A companhia citou a possibilidade de uma "interferência mecânica externa" como a que causaria o rompimento do cabo. Uma versão que chegou a ganhar força é de que ele teria caído por causa de um tiro disparado na rua, mas, até o momento, esta versão não foi confirmada. 
A primeira morte causada por fiações elétricas aconteceu em 25 de janeiro, quando Érica Soares dos Santos, 23, pisou em um fio de alta tensão que estava enterrado na areia de uma praia no povoado Lagoa Redonda, em Pirambu (Litoral Norte). Uma semana depois, no dia 1º de fevereiro, o empresário Jailton Veríssimo Cardoso, o 'Jabá', 39, foi atingido por um cabo que caiu em cima de sua caminhonete, em frente à sua residência, na Barra dos Coqueiros (Grande Aracaju). A Energisa informou que não foi notificada ainda pelo Ministério Público, mas prometeu apresentar todas as explicações quando for convocada.