O assédio ao PDT e ao PRB

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
A partir de hoje o advogado José Carlos Felizoa passa a comandar a Secretaria de Inclusão Social no lugar de Zezinho Sobral, que deixou ontem a pasta em cumprimento a um acordo do governador Jackson Barreto com deputados estaduais, que pediram o afastamen
A partir de hoje o advogado José Carlos Felizoa passa a comandar a Secretaria de Inclusão Social no lugar de Zezinho Sobral, que deixou ontem a pasta em cumprimento a um acordo do governador Jackson Barreto com deputados estaduais, que pediram o afastamen

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 08/03/2018 às 22:44:00

 

O cenário político em Sergipe cami-
nha para a formação de três chapas 
competitivas. Uma encabeçada pelo vice-governador Belivaldo Chagas (MDB), uma pelo deputado federal Valadares Filho (PSB) e outra provavelmente pelo senador Eduardo Amorim (PSDB).
Quem está hoje com o primeiro time é Belivaldo, por ter grandes lideranças e partidos como aliados, a exemplo do PSD, PT, PRB, PDT e PCdoB, além do MDB.
O agrupamento do deputado federal André Moura (PSC) e do senador Eduardo Amorim (PSDB) integra hoje o segundo time. Tem muitos aliados, mas de partidos pequenos e com lideranças paroquiais.
O bloco político de Valadares Filho é bem menor, fazendo com que integre um terceiro time hoje.
Não tem milagre algum. Mantendo a unidade do grupo, Belivaldo será um candidato forte e estará tranquilamente no segundo turno esperando pelo seu adversário.
Tem mais chance de ganhar uma eleição majoritária quem tem o maior exército na rua, um maior número de pessoas e lideranças trabalhando. Assim como um maior número de grandes partidos, pelo tempo de televisão.
Diante desta realidade, o sonho hoje de André e Eduardo é ter como aliados o PDT de Fábio Henrique e o PRB de Heleno Silva. Avaliam que tendo essas duas legendas no seu agrupamento eles se fortalecem, enfraquecem Belivaldo e isolam Valadares Filho.
É a mais pura verdade. Se o grupo do PSC & PSDB conseguir o PDT e PRB, é ele quem estará no segundo turno das eleições. A disputa pela segunda vaga ficaria entre Belivaldo e Valadares Filho. O agrupamento já conseguiu o apoio do ex-aliado do governador, o ex-prefeito Sukita (PHS), e praticamente já tem como certo o apoio do ex-deputado federal Bosco Costa (Pros).
O mesmo pode acontecer com Valadares Filho se conseguir atrair para o seu lado o PRB, PDT ou até mesmo o PT. Estariam na disputa pela segunda vaga Belivaldo ou Eduardo/André.
O que veremos até abril será uma disputa de André/Eduardo e de Valadares Filho para conseguir atrair aliados do governador Jackson Barreto (MDB) e, consequentemente, fortalecer suas candidaturas e enfraquecer a de Belivaldo.
Por enquanto, todo mundo está conversando com todo mundo e as conversas estão ocorrendo em Brasília. As definições mesmo só ocorrerão a partir de 7 de abril, quando termina o prazo para filiação partidária e desincompatibilização de cargos e, consequentemente, a definição da saída ou não de Jackson Barreto do governo.

O cenário político em Sergipe cami- nha para a formação de três chapas  competitivas. Uma encabeçada pelo vice-governador Belivaldo Chagas (MDB), uma pelo deputado federal Valadares Filho (PSB) e outra provavelmente pelo senador Eduardo Amorim (PSDB).
Quem está hoje com o primeiro time é Belivaldo, por ter grandes lideranças e partidos como aliados, a exemplo do PSD, PT, PRB, PDT e PCdoB, além do MDB.
O agrupamento do deputado federal André Moura (PSC) e do senador Eduardo Amorim (PSDB) integra hoje o segundo time. Tem muitos aliados, mas de partidos pequenos e com lideranças paroquiais.
O bloco político de Valadares Filho é bem menor, fazendo com que integre um terceiro time hoje.
Não tem milagre algum. Mantendo a unidade do grupo, Belivaldo será um candidato forte e estará tranquilamente no segundo turno esperando pelo seu adversário.
Tem mais chance de ganhar uma eleição majoritária quem tem o maior exército na rua, um maior número de pessoas e lideranças trabalhando. Assim como um maior número de grandes partidos, pelo tempo de televisão.
Diante desta realidade, o sonho hoje de André e Eduardo é ter como aliados o PDT de Fábio Henrique e o PRB de Heleno Silva. Avaliam que tendo essas duas legendas no seu agrupamento eles se fortalecem, enfraquecem Belivaldo e isolam Valadares Filho.
É a mais pura verdade. Se o grupo do PSC & PSDB conseguir o PDT e PRB, é ele quem estará no segundo turno das eleições. A disputa pela segunda vaga ficaria entre Belivaldo e Valadares Filho. O agrupamento já conseguiu o apoio do ex-aliado do governador, o ex-prefeito Sukita (PHS), e praticamente já tem como certo o apoio do ex-deputado federal Bosco Costa (Pros).
O mesmo pode acontecer com Valadares Filho se conseguir atrair para o seu lado o PRB, PDT ou até mesmo o PT. Estariam na disputa pela segunda vaga Belivaldo ou Eduardo/André.
O que veremos até abril será uma disputa de André/Eduardo e de Valadares Filho para conseguir atrair aliados do governador Jackson Barreto (MDB) e, consequentemente, fortalecer suas candidaturas e enfraquecer a de Belivaldo.
Por enquanto, todo mundo está conversando com todo mundo e as conversas estão ocorrendo em Brasília. As definições mesmo só ocorrerão a partir de 7 de abril, quando termina o prazo para filiação partidária e desincompatibilização de cargos e, consequentemente, a definição da saída ou não de Jackson Barreto do governo.

Conversa com a oposição 1

O presidente estadual do PDT, ex-prefeito Fábio Henrique, aliado do governador Jackson Barreto (MDB), conversou na terça-feira, em Brasília, com os deputados federais Valadares Filho (PSB) e André Moura (PSC). A conversa com VF foi no gabinete do parlamentar, pela manhã, e com André ocorreu a noite, durante um jantar.

 

Conversa com a oposição 2

"Uns conversam e não dizem. Não tenho o que esconder. As conversas foram boas e tranquilas. Não tratamos de posições. Sou aliado de Jackson Barreto e meu candidato a governador é Belivaldo Chagas, mas estou aguardando as definições. Precisamos saber se Jackson sai ou fica no governo. Ele saindo é um cenário e ficando é outro. Se Belivaldo assumir o governo como será a sua condução?", afirmou à coluna Fábio Henrique, admitindo a conversa com André Moura e Valadares Filho.

Prioridades do PDT

Segundo o ex-prefeito, o PDT tem duas prioridades nas eleições deste ano. "Um palanque para Ciro Gomes [pré-candidato a presidente da República] e prioridade para deputado federal, já que não temos candidato próprio a governador. Qualquer aliança levará em conta a eleição de deputado federal, que implica em apoio político", declarou.   

 

Reunião do PRB 1

Recentemente o presidente do PRB, deputado federal Jony Marcos, e o presidente de honra do partido, ex-deputado federal Heleno Silva, reuniu a cúpula do partido para saber a posição de cada um com relação às alianças em 2018. Foi colocado em discussão se era melhor a sigla partidária permanecer na base governista apoiando Belivaldo Chagas para o governo ou ir para a oposição.

 

Reunião do PRB 2

Por ampla maioria, Heleno e Jony ouviram que o PRB tinha que permanecer no agrupamento do governador Jackson Barreto, onde sempre esteve nas últimas eleições.

 

Reunião do PRB 3

Entre os que defenderam essa posição o deputado estadual Jairo de Glória, o ex-prefeito Ivan Leite, o presidente da Adema, Chico Dantas, o suplente de vereador Anderson Gois e Leo Araújo, que é o irmão de Jony. Apenas dois foram contrários, sendo um deles o vereador pastor Alves, conhecido agora como o vereador macumbeiro.

 

Ponto de vista

Em conversa ontem com a coluna, uma liderança do PRB disse acreditar que o partido continuará na base governista. "Basta o partido compor a chapa majoritária para o Senado ou para vice", afirmou, enfatizando que até na formação da chapa proporcional é melhor para a legenda está na coligação encabeçada por Belivaldo Chagas.

 

Belivaldo no PSD 1

É tido como certo que nos próximos dias Belivaldo Chagas vai deixar o MDB e se filiar ao PSD visando facilitar a formação da chapa majoritária encabeçada por ele, uma vez que o PSD, a exemplo do PT e PRB, pleiteia uma vaga na majoritária. Atenderá ao pleito do deputado federal Fábio Mitidieri, que fez a proposta visando a unidade do agrupamento político.

 

Belivaldo no PSD 2

Desde o início das discussões da chapa majoritária que o PRB e PT pleiteiam uma das duas vagas de senador e o PSD a indicação do vice. Com a grande probabilidade do governador Jackson Barreto vir a disputar o Senado, Fábio Mitidieri propôs que Belivaldo se filiasse ao seu partido, contemplando assim o PSD na majoritária, assim como o MDB, PT e PRB.

 

Último ato de governo

Como a coluna vem noticiando, o governador Jackson Barreto só deverá deixar o governo na véspera do prazo final de desincompatibilização, 7 de abril, pelas obras que pretende inaugurar ainda no seu governo. Prova maior é que marcou para o dia 6 de abril a inauguração de um ginásio de esportes em Itabaiana.

 

Álvaro Dias em Sergipe 1

Quem está em Aracaju desde as primeiras horas da madrugada de hoje é o pré-candidato a presidente da República, senador Álvaro Dias (Podemos). Começará cedo a agenda, às 6h30, com entrevistas a imprensa durante a manhã, quando estará sempre acompanhado do presidente do partido em Sergipe, Zezinho Sobral. Às 10h, o senador visitará o prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB).

 

Álvaro Dias em Sergipe 2

Ao meio-dia, Álvaro Dias participará do Almoço com Negócios, promovido pela Associação Comercial e Empresarial de Sergipe, oportunidade em que vai proferir uma palestra sobre "Conjuntura Política Nacional, no Confort  Hotel Aracaju. Às 14h30, comparecerá a reunião com os Diretórios do Podemos, no plenário da Assembleia Legislativa. Retornará para São Paulo, às 18h15.

 

Em busca de apoio 1

Representantes do Sebrae, da Acese e da CDL estiveram em Brasília buscando sensibilizar os parlamentares sergipanos quanto à necessidade da derrubada do veto ao projeto de recuperação fiscal (Refis) das micro e pequenas empresas. A proposta que concede aos pequenos negócios a possibilidade de parcelar os seus débitos em até 180 meses foi aprovada pelo Congresso Nacional no fim do ano passado, mas foi vetada pelo Poder Executivo no último dia 5 de janeiro a pedido da equipe econômica, sob o argumento de que a medida poderia ferir a Lei de Responsabilidade Fiscal.

 

Em busca de apoio 2

Com a decisão, mais de 600 mil empresários de todo o país não tiveram a oportunidade de parcelar seus débitos com redução de juros e multas e maior prazo, assim como já aconteceu com as grandes empresas. A derrubada do veto deverá ser colocada em pauta pelo Congresso no dia 20 de março. Além da proposta do Refis das Micro e Pequenas Empresas, os dirigentes também buscaram o apoio dos parlamentares contra a medida provisória que retira até R$ 400 milhões do orçamento do Sebrae para financiar a criação de uma agência de promoção do turismo e a favor da aprovação do cadastro positivo.

Veja essa...

O deputado estadual Gustinho Ribeiro (PRP) disse ontem ao governador Jackson Barreto que o seu partido tem quatro pré-candidatos a deputado estadual e só irá fazer coligação com Belivaldo Chagas se tiver a presidência da Deso, que hoje é comandada pelo técnico da casa Carlos Melo. Disse que se sentia desprestigiado e subvalorizado no governo. O parlamentar deixou o gabinete com cara de poucos amigos.

Curtas

Os deputados estaduais Gustinho Ribeiro, Zezinho Guimarães e Jairo de Glória foram pressionar o governador Jackson Barreto para exonerar Almeida Lima da Secretaria da Saúde, por insistir em manter a pré-candidatura do seu genro Breno Silveira para a Assembleia Legislativa.

 

A coluna recebeu a informação de que Gustinho Ribeiro teria ido a semana passada a Brasília, na companhia do seu advogado, se reunir com lideranças do PDT visando conseguir o comando do partido em Sergipe.

 

O deputado também foi ver o andamento do seu processo da subvenção da Assembleia Legislativa, que entrará na pauta do TSE na próxima terça-feira, 13. Se for condenado, Gustinho perderá imediatamente o mandato.

 

Fábio Henrique, que tem o comando do PDT em Sergipe, participou ontem, em Brasília, do pré-lançamento da candidatura de Ciro Gomes ao Planalto. Foi às 18h, na sede do partido.