18 anos de reggae na real

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
A maior banda de reggae do Brasil
A maior banda de reggae do Brasil

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 09/03/2018 às 23:26:00

 

Rian Santos
riansantos@jornaldodiase.com.br
Antes de considerar 
os acordes de um 
reggae, eu preciso pedir licença. Tenho a sensação de um leigo em território sagrado. Mais do que um gênero de música, sujeito à apreciação de qualquer fulano com um cadinho cheio de informação, o reggae é desde sempre culto de iniciados. É com todo o respeito do mundo, portanto, em obediência a um dever de ofício, que batuco o teclado.
Não é exatamente a minha praia, embora as melodias de Bob Marley sempre me deixem abestalhado. Mas um evento com a presença da banda Reação merece sim divulgação em letra de imprensa. Nenhum conjunto de reggae chega tão perto do poder de mobilização e comunicação com o público quanto a galera reunida nas alturas do bairro Santos Dumont. A maior banda de reggae do Brasil, na real, é mesmo a Reação.
Na força da fé - O único registro oficial da Reação, lançado em meados de 2004, não faz justiça à reunião ecumênica de suas apresentações (todo mundo gosta da banda). O disco é uma pedrada de 13 faixas que não realiza qualquer concessão. Reggae Roots, versando sobre a importância da fé num cotidiano pontuado por carências de todas as ordens, realidade que os seus músicos conhecem muito bem.
A música da Reação é militante. Moziah não canta, ele manda recado. O respeito e a devoção pela força da palavra ficam evidentes em cada verso proferido, em cada refrão. Não é fácil viver essa vida, mas o reggae da Reação extrai da luta das comunidades negras, dos obstáculos da pobreza e do embate diário entre as sombras do crime e a brutalidade cega da lei a força necessária para enfrentar os percalços do desamparo.
Doutrina é para os fracos. Hoje, o discurso reggae pode soar forçado. Embora o apreço manifestado pela palavra me comova sinceramente, é preciso admitir o desbotamento essencial que converteu o sagrado em pedra e barro. A música da banda Reação, no entanto, transpira verdade. Quem conhece sabe.
Reação celebra 18 anos:
Sábado, 22 horas, no Che Music Bar (farol do Augusto Franco).

Antes de considerar  os acordes de um  reggae, eu preciso pedir licença. Tenho a sensação de um leigo em território sagrado. Mais do que um gênero de música, sujeito à apreciação de qualquer fulano com um cadinho cheio de informação, o reggae é desde sempre culto de iniciados. É com todo o respeito do mundo, portanto, em obediência a um dever de ofício, que batuco o teclado.
Não é exatamente a minha praia, embora as melodias de Bob Marley sempre me deixem abestalhado. Mas um evento com a presença da banda Reação merece sim divulgação em letra de imprensa. Nenhum conjunto de reggae chega tão perto do poder de mobilização e comunicação com o público quanto a galera reunida nas alturas do bairro Santos Dumont. A maior banda de reggae do Brasil, na real, é mesmo a Reação.
Na força da fé - O único registro oficial da Reação, lançado em meados de 2004, não faz justiça à reunião ecumênica de suas apresentações (todo mundo gosta da banda). O disco é uma pedrada de 13 faixas que não realiza qualquer concessão. Reggae Roots, versando sobre a importância da fé num cotidiano pontuado por carências de todas as ordens, realidade que os seus músicos conhecem muito bem.
A música da Reação é militante. Moziah não canta, ele manda recado. O respeito e a devoção pela força da palavra ficam evidentes em cada verso proferido, em cada refrão. Não é fácil viver essa vida, mas o reggae da Reação extrai da luta das comunidades negras, dos obstáculos da pobreza e do embate diário entre as sombras do crime e a brutalidade cega da lei a força necessária para enfrentar os percalços do desamparo.
Doutrina é para os fracos. Hoje, o discurso reggae pode soar forçado. Embora o apreço manifestado pela palavra me comova sinceramente, é preciso admitir o desbotamento essencial que converteu o sagrado em pedra e barro. A música da banda Reação, no entanto, transpira verdade. Quem conhece sabe.
Reação celebra 18 anos:Sábado, 22 horas, no Che Music Bar (farol do Augusto Franco).