Temporada 2018 da Orsse promete grandes repertórios

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 09/03/2018 às 23:29:00

 

A Orquestra Sinfônica de Sergipe (Orsse) abriu sua temporada de concertos 2018 na noite da última quinta-feira, 08, com um repertório especial. Sob a regência do maestro Guilherme Mannis, o concerto realizado no Teatro Tobias Barreto, levou ao público um repertório com obras dos compositores Franz Joseph Haydn, Mozart Camargo Guarnieri e do icônico, Ludwig van Beethoven. A apresentação marcou o início da tradicional "Série Cajueiros", que traz ao público sergipano consagradas obras do repertório sinfônico tradicional e contemporâneo.
"O repertório desta noite trouxe, na primeira parte, uma ópera de Haydn, e o concerto para cordas de Guarnieri, que ele compôs por encomenda da Orquestra de Pernambuco, com muitos temas brasileiros, inclusive o maracatu. Na segunda parte tivemos famosa Sinfonia nº6 em Fá maior, Pastoral, de Beethoven", explicou o maestro.
Sobre a temporada 2018, Guilherme Mannis, falou que as expectativas são as melhores. "Elaboramos uma temporada muito variada e eclética, que tem sido a nossa marca, em que teremos concertos dedicados à música russa, ao barroco italiano, a temas de filmes, além de um concerto especial pelos 60 anos da bossa Nova", adiantou o regente.
Para o secretário de Estado da Cultura, João Augusto Gama, que esteve presente na abertura da temporada, este será um mais um ano de grandes realizações para o grupo. "Sabemos do valor da nossa Orquestra Sinfônica e temos trabalho para mantê-la cada vez mais ativa e realizando grandes espetáculos como o de hoje para o povo sergipano", destacou.

A Orquestra Sinfônica de Sergipe (Orsse) abriu sua temporada de concertos 2018 na noite da última quinta-feira, 08, com um repertório especial. Sob a regência do maestro Guilherme Mannis, o concerto realizado no Teatro Tobias Barreto, levou ao público um repertório com obras dos compositores Franz Joseph Haydn, Mozart Camargo Guarnieri e do icônico, Ludwig van Beethoven. A apresentação marcou o início da tradicional "Série Cajueiros", que traz ao público sergipano consagradas obras do repertório sinfônico tradicional e contemporâneo.
"O repertório desta noite trouxe, na primeira parte, uma ópera de Haydn, e o concerto para cordas de Guarnieri, que ele compôs por encomenda da Orquestra de Pernambuco, com muitos temas brasileiros, inclusive o maracatu. Na segunda parte tivemos famosa Sinfonia nº6 em Fá maior, Pastoral, de Beethoven", explicou o maestro.
Sobre a temporada 2018, Guilherme Mannis, falou que as expectativas são as melhores. "Elaboramos uma temporada muito variada e eclética, que tem sido a nossa marca, em que teremos concertos dedicados à música russa, ao barroco italiano, a temas de filmes, além de um concerto especial pelos 60 anos da bossa Nova", adiantou o regente.
Para o secretário de Estado da Cultura, João Augusto Gama, que esteve presente na abertura da temporada, este será um mais um ano de grandes realizações para o grupo. "Sabemos do valor da nossa Orquestra Sinfônica e temos trabalho para mantê-la cada vez mais ativa e realizando grandes espetáculos como o de hoje para o povo sergipano", destacou.