Jackson inaugura Centro de Saúde e fala em resolver situação jurídica de servidores da FHS

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Aspecto da inauguração do Centro Administrativo da Saúde Senador Gilvan Rocha
Aspecto da inauguração do Centro Administrativo da Saúde Senador Gilvan Rocha

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 13/03/2018 às 00:03:00

 

Ao inaugurar o Cen-
tro Administrativo 
da Saúde Senador Gilvan Rocha, o governador Jackson Barreto anunciou a entrega de nova unidade de Radioterapia do Huse e o envio de projeto de Lei que trata da segurança jurídica dos servidores da Fundação Hospitalar de Saúde. 
"Estamos ampliando e modernizando os serviços, esse Centro Administrativo de Saúde vai facilitar o trabalho e trazer economicidade e agilidade aos serviços da saúde. Com isso, estaremos ainda ampliando os leitos do Huse. Assim, o governo do Estado está trabalhando em todas as direções para oferecer os melhores serviços na assistência à saúde da população", discursou Jackson ao inaugurar o Centro Administrativo da Saúde Senador Gilvan Rocha.
Fruto de um investimento de R$ 4 milhões, o Centro atende às necessidades previstas em lei, no que diz respeito às características, dimensões e localização adequada para a prestação de serviços de saúde à população. O espaço passa a abrigar 14 unidades da rede estadual de Saúde, o que possibilitou a criação de novos 200 leitos no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) e também a melhoria em outras unidades de saúde. Com 596 leitos atualmente, o hospital passará a ofertar 796. 
Na ocasião, o governador tranquilizou os servidores da Fundação Hospitalar de Saúde ao anunciar que enviará, ainda este mês, um projeto de Lei tratando do tema. 
"Não há motivo de preocupação com a situação jurídica dos servidores da Fundação. Ainda este mês, enviaremos uma carta para cada servidor da Fundação Hospitalar, explicando o que será feito. Também enviaremos um projeto de lei para a Assembleia, elaborado pela Procuradoria, garantindo o futuro dos servidores da Fundação. Recebo a manifestação de vocês e entendo, mas dou minha palavra que estamos resolvendo juridicamente a situação. Esse projeto será enviado ainda este mês à Assembleia", declarou.
"Mais do que Centro Administrativo, nesse lugar estará a síntese da supremacia de um ideal de modernidade e de transparência de economicidade e eficiência", disse o secretário de Estado da Saúde, Almeida Lima.  
Com a concentração das unidades no novo Centro Administrativo, haverá economia e os serviços da rede serão ampliados e otimizados, possibilitando melhor atendimento à população como explicou o superintendente do Huse, Luís Eduardo Prado.
 "De forma direta e indireta, o novo Centro irá contribuir muito para a saúde. De forma direta, pela união, agilidade e logística, e os funcionários da Saúde estarem unidos em um só Centro. Indiretamente, pela abertura de vagas que vai fazer, principalmente, no Huse. Já abrimos 45 e estamos prestes a abrir mais 35 e, em dois meses, com certeza, 200 novos leitos dentro do Huse, desafogando o pronto-socorro e dando agilidade maior àquele hospital", destacou. 
Centro - Entre as 14 unidades que irão funcionar no novo Centro Administrativo estão a diretoria de Vigilância Sanitária, o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), almoxarifados da Rede Estadual de Saúde e todo o aparelhamento para armazenamento, controle e distribuição de vacinas, além da Ceadi (Central Estadual de Armazenamento e Distribuição de Imunológicos), que passará a receber o Ambulatório de Retorno do Huse e do Centro de Atenção Integral a Saúde da Mulher (Caism). 
Com a inauguração do Centro, o Palácio Serigy será desocupado e no local funcionará parte da Central de Regulação e também o Centro de Especialidades Médicas. O Setor de Pediatria sairá do Huse para o local onde hoje funciona o Almoxarifado Central, na Rua Porto da Folha, entre Laranjeiras e São Cristóvão.

Ao inaugurar o Cen- tro Administrativo  da Saúde Senador Gilvan Rocha, o governador Jackson Barreto anunciou a entrega de nova unidade de Radioterapia do Huse e o envio de projeto de Lei que trata da segurança jurídica dos servidores da Fundação Hospitalar de Saúde. 
"Estamos ampliando e modernizando os serviços, esse Centro Administrativo de Saúde vai facilitar o trabalho e trazer economicidade e agilidade aos serviços da saúde. Com isso, estaremos ainda ampliando os leitos do Huse. Assim, o governo do Estado está trabalhando em todas as direções para oferecer os melhores serviços na assistência à saúde da população", discursou Jackson ao inaugurar o Centro Administrativo da Saúde Senador Gilvan Rocha.
Fruto de um investimento de R$ 4 milhões, o Centro atende às necessidades previstas em lei, no que diz respeito às características, dimensões e localização adequada para a prestação de serviços de saúde à população. O espaço passa a abrigar 14 unidades da rede estadual de Saúde, o que possibilitou a criação de novos 200 leitos no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) e também a melhoria em outras unidades de saúde. Com 596 leitos atualmente, o hospital passará a ofertar 796. 
Na ocasião, o governador tranquilizou os servidores da Fundação Hospitalar de Saúde ao anunciar que enviará, ainda este mês, um projeto de Lei tratando do tema. 
"Não há motivo de preocupação com a situação jurídica dos servidores da Fundação. Ainda este mês, enviaremos uma carta para cada servidor da Fundação Hospitalar, explicando o que será feito. Também enviaremos um projeto de lei para a Assembleia, elaborado pela Procuradoria, garantindo o futuro dos servidores da Fundação. Recebo a manifestação de vocês e entendo, mas dou minha palavra que estamos resolvendo juridicamente a situação. Esse projeto será enviado ainda este mês à Assembleia", declarou.
"Mais do que Centro Administrativo, nesse lugar estará a síntese da supremacia de um ideal de modernidade e de transparência de economicidade e eficiência", disse o secretário de Estado da Saúde, Almeida Lima.  
Com a concentração das unidades no novo Centro Administrativo, haverá economia e os serviços da rede serão ampliados e otimizados, possibilitando melhor atendimento à população como explicou o superintendente do Huse, Luís Eduardo Prado.
 "De forma direta e indireta, o novo Centro irá contribuir muito para a saúde. De forma direta, pela união, agilidade e logística, e os funcionários da Saúde estarem unidos em um só Centro. Indiretamente, pela abertura de vagas que vai fazer, principalmente, no Huse. Já abrimos 45 e estamos prestes a abrir mais 35 e, em dois meses, com certeza, 200 novos leitos dentro do Huse, desafogando o pronto-socorro e dando agilidade maior àquele hospital", destacou. 
Centro - Entre as 14 unidades que irão funcionar no novo Centro Administrativo estão a diretoria de Vigilância Sanitária, o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), almoxarifados da Rede Estadual de Saúde e todo o aparelhamento para armazenamento, controle e distribuição de vacinas, além da Ceadi (Central Estadual de Armazenamento e Distribuição de Imunológicos), que passará a receber o Ambulatório de Retorno do Huse e do Centro de Atenção Integral a Saúde da Mulher (Caism). 
Com a inauguração do Centro, o Palácio Serigy será desocupado e no local funcionará parte da Central de Regulação e também o Centro de Especialidades Médicas. O Setor de Pediatria sairá do Huse para o local onde hoje funciona o Almoxarifado Central, na Rua Porto da Folha, entre Laranjeiras e São Cristóvão.