Confiante na compreensão do povo

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Uma multidão acompanhou a inauguração do memorial em homenagem ao ex-governador Marcelo Déda, no último domingo, no Parque da Sementeira, no dia em que ele completaria 58 anos. Autoridades participaram do ato.
Uma multidão acompanhou a inauguração do memorial em homenagem ao ex-governador Marcelo Déda, no último domingo, no Parque da Sementeira, no dia em que ele completaria 58 anos. Autoridades participaram do ato.

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 13/03/2018 às 00:43:00

Nos últimos dias o governador Jackson Barreto (MDB) vem sendo bombardeado nas redes sociais com declarações feitas em 2014, logo após ser eleito governador, de que não seria mais candidato a nada e que se fosse não votassem nele. O vídeo visa fazer com que o eleitor cumpra à risca o que falou e não o eleja senador nas eleições deste ano.

 

Outros vídeos mostram declarações suas relacionadas ao senador Eduardo Amorim (PSDB), ao deputado federal André Moura (PSC) e ao secretário Almeida Lima no tempo que era aliado e quando deixou de ser, e vice-versa. A finalidade maior é desacreditá-lo como político, mostrar que fala de acordo com as suas conveniências políticas.

 

Ainda não faltaram críticas às estatuas gigantes que estão sendo montadas no Largo da Gente Sergipana e que serão inauguradas no dia do aniversário de Aracaju. Colocaram um preço absurdo, enfatizando que JB priorizava esse tipo de investimento ao pagamento dos servidores públicos do estado, aposentados e pensionistas, que estão recebendo seus vencimentos depois do dia 10 do mês subsequente. E até uma foto sua no lugar de uma das estatuas folclóricas,

 

Em conversa com a coluna, o governador confirmou que deixa o governo no próximo dia 6 de abril, como a coluna já informou no sábado, e que será candidato ao Senado. E ao ser questionado se não temia um grande desgaste político, que já começou nas redes sociais, disse que não.

 

Segundo ele, o povo vai compreender as suas declarações pedindo para que não votasse nele caso voltasse a disputar nova eleição em 2018. "Nas eleições deste ano vão ser questionadas a ética, a honradez. Não temos nenhum desgaste quanto a isso. Fazemos um governo decente, honrado e sem denúncia de corrupção. Aposto nisso", frisou.

 

 "Além de fazermos um governo honrado, temos obras em todo o Estado. O volume de obras é grande no Estado e em muitas áreas, que, infelizmente, não tivemos a oportunidade de mostrar. Investimos muito na saúde, educação, no social, na cultura e em infraestrutura. Imagino que essas coisas serão analisadas", acredita.

 

Com relação ao desgaste sobre o atraso no salário dos servidores e parcelamento dos vencimentos dos aposentados e pensionistas, Jackson declarou que isso tem a ver com a crise econômica do país e o déficit da previdência. Lembra que outros estados também estão pagando os salários dos servidores após o dia 10 do mês subsequente, a exemplo de Alagoas. "Será que todos os homens públicos serão massacrados por isso?", questionou JB.

 

"A população vai analisar, refletir sobre tudo isso. São mais de 40 anos na vida pública. Nunca me preocupei com patrimônio e quando mostrar o trabalho que realizamos, o governo honrado e as definições sobre o quadro do Brasil, as pessoas vão parar para refletir. O povo vai analisar a minha história de vida, minha dignidade, compromisso com a democracia", afirmou, lembrando que está com dificuldades com o governo federal por manter a sua história e coerência na vida pública.

 

Jackson enfatiza que o que pesou para que tivesse voltado atrás na sua posição de ser candidato em 2018 foi a conversa que teve no ano passado com o ex-presidente Lula. "Lula disse que não era possível uma pessoa como eu, que sempre deu a sua contribuição para a democracia no país, ficar afastado do processo eleitoral. Declarou que vivemos hoje uma outra realidade, um outro Brasil e que é preciso pessoas com a minha história no Congresso", afirmou, ressaltando está confiante que o povo vai entender isso.

 

Mais na frente

O governador Jackson Barreto (MDB) ainda não decidiu como acontecerá o ato de renuncia do mandato de governador, no próximo dia 6 de abril, uma sexta-feira, para que venha a disputar o Senado. Disse que no momento não está com "cabeça" para isso. Só está agendado, até agora, a inauguração de um ginásio de esportes em Itabaiana no último dia do seu governo.  

 

Confiante na unidade

De Jackson ao ser questionado se acredita na unidade do seu agrupamento político nas eleições deste ano, quando todo mundo está conversando com todo mundo: "Em política tudo é possível, mas continuo acreditando e confiando em todos os que participam desse projeto. Acredito na unidade, não há motivos para que não ocorra".

 

Ponto de vista

Para JB, as eleições este ano serão complicadas. "São cinco candidatos a governador e para senador nem se fala. Será uma eleição muito complicada", enfatizou.

 

Entrega dos cargos

Chegou à coluna a informação que entre os aliados da base governista, o PRB vem defendendo que assim que o vice-governador Belivaldo Chagas (ainda MDB) assumir o governo do Estado, a partir de 7 de abril, seja "zerado o jogo". Quer que os partidos entreguem os cargos que têm no governo para uma nova composição na participação do governo.

 

Os cargos do PRB

Hoje o PRB tem no governo do Estado a Adema, o ITPS e o Escritório de Representação de Sergipe em Brasília. Está no comando hoje da Adema o advogado Fausto Leite; do ITPS o irmão do deputado federal Jony Marcos, Léo Araújo; e do escritório no DF, o ex-deputado federal Heleno Silva.   

 

Parece piada 1

Mais uma vez foi retirado da pauta do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) o julgamento marcado para hoje dos seis deputados e de uma ex-deputada  condenados em 2015 pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) a cassação do mandato e inelegibilidade por oito anos, por irregularidades na aplicação das verbas de subvenção da Assembleia Legislativa em 2014, ano eleitoral. Segundo o advogado Fabiano Feitosa, os recursos foram retirados de pauta a pedido do relator, ministro Luiz Fux, que não comparecerá a sessão desta terça-feira.

 

Parece piada 2

Foi adiado, sem nova data, o julgamento dos recursos dos deputados  estaduais Augusto Bezerra (PHS),  Capitão Samuel (PSL), Gustinho Ribeiro (PRP), Jeferson Andrade (PDT) e Zezinho Guimarães (MDB). Além do deputado federal Adelson Barreto (PR) e da ex-deputada estadual Susana Azevedo, atual conselheira do Tribunal de Contas do Estado (TCE). 

 

Inelegível sem julgamento 1

Ainda sem saber do adiamento do julgamento, a procuradora regional eleitoral Eunice Dantas marcou para ontem à tarde uma entrevista à imprensa para falar sobre os primeiros julgamentos. Na oportunidade,  destacou se eles não forem julgados até o prazo final para registro de candidatura não poderão concorrer as eleições deste ano, por estarem inelegíveis e com mandatos cassados.

 

Inelegível sem julgamento 2

Eunice declarou que pela "farta prova" contra cinco dos seis réus deputados espera que seja mantida a decisão de condenação da Corte Eleitoral de Sergipe. Ressaltou que o único que está em melhor situação é Zezinho Guimarães por não ter gravidade na "conduta ilícita", pelo fato ter sido constatado desvio de R$ 20 mil das subvenções em benefício de assessores de um montante de R$ 1,5 milhão. Destacou que a Procuradoria Regional Eleitoral recomenda ao TSE apenas que o parlamentar seja condenado ao pagamento de multa e não cassação do mandato e inelegibilidade.

 

Tranquilizando servidores 1

Ontem, durante a entrega do Centro Administrativo da Saúde senador Gilvan Rocha, em Aracaju, o governador garantiu aos servidores das Fundações Hospitalares de Saúde - que protestavam na frente do prédio - a permanência no quadro de efetivos do Estado. JB informou que a Procuradoria Geral do Estado (PGE) elaborou um projeto de lei abordando a questão e que o texto será enviado para apreciação da Assembleia Legislativa ainda este mês.

 

Tranquilizando servidores 2 

"Não há motivo de preocupação com a situação jurídica dos servidores da Fundação. Ainda este mês, enviaremos uma carta para cada servidor da Fundação Hospitalar, explicando o que será feito. Também enviaremos um projeto de lei para a Assembleia, elaborado pela Procuradoria, garantindo o futuro dos servidores da Fundação. Recebo a manifestação de vocês e entendo, mas dou minha palavra que estamos resolvendo juridicamente a situação. Esse projeto será enviado ainda este mês à Assembleia", explicou.

 

Marcando presença

O genro do secretário Almeida Lima, pré-candidato a deputado estadual Breno Silveira, marcou presença na inauguração da nova sede da Secretaria da Saúde.  A sua pré-candidatura e permanência de Almeida na pasta vem sendo motivo de discórdia entre deputados estaduais aliados do governo.

 

Não ficou com o PHS

Breno Silveira não ficou com o comando do PHS em Sergipe, em razão da direção nacional do partido ter condicionado isso ao apoio a pré-candidatura do candidato da oposição, seja Eduardo Amorim (PSDB) ou André Moura (PSC). Ele apoia André para o Senado e Belivaldo Chagas para o governo.

 

Veja essa..

Ontem, durante inauguração do Centro Administrativo da Saúde, o governador Jackson Barreto, em seu discurso, se referiu ao secretário Almeida Lima como o "polêmico".  Destacou que através do "polêmico" estava ali inaugurando a obra e fazendo pelo povo.

 

Curtas

 

O senador Eduardo Amorim PSDB) disse ontem que continua conversando com diversos partidos e que até o final deste mês deve está sendo anunciados os nomes da chapa majoritária.  Reafirmou que seu nome está à disposição do grupo para uma pré-candidatura ao Governo e que se preparou para isso.
Visando a composição da chapa majoritária, o deputado federal André Moura (PSC) passou o final de semana conversando com cerca de 30 prefeitos. André já admite um racha na oposição, com a possibilidade de pré-candidatura de Valadares Filho (PSB) ao governo, e diz que no dia seis de abril lançará a chapa, em grande ato com a presença de prefeitos e lideranças políticas.
Valadares Filho também passou o final de semana conversando com várias lideranças políticas visando formação da chapa majoritária. "Em nossas escolhas de alianças temos que interpretar o sentimento da sociedade e os princípios éticos que norteiam a conduta política do PSB, promovendo entendimentos que se traduzam em apoios que tenham credibilidade e aceitação popular para um projeto de mudanças", disse.
O PSB vem conversando muito com a Rede, que tem como pré-candidato a governador o ex-vereador Dr. Emerson.  Segundo Valadares Filho, até o final de abril espera fechar a posição do seu partido nas eleições deste ano.
Do ex-deputado federal José Carlos Machado (PSDB): "Não é simples definir uma chapa majoritária, porque nem sempre a lógica prevalece na política. Se tudo ocorrer como espero, Amorim será candidato a governador e André a senador. Torço para que uma das vagas restantes seja do PSB, com Valadares pai ou filho".
O presidente da Assembleia, Luciano Bispo (MDB), conseguiu reunir sábado, no BNB, em Itabaiana, em um churrasco, dezenas de lideranças em apoio a pré-candidatura de Belivaldo Chagas.  

O senador Eduardo Amorim PSDB) disse ontem que continua conversando com diversos partidos e que até o final deste mês deve está sendo anunciados os nomes da chapa majoritária.  Reafirmou que seu nome está à disposição do grupo para uma pré-candidatura ao Governo e que se preparou para isso.

 

Visando a composição da chapa majoritária, o deputado federal André Moura (PSC) passou o final de semana conversando com cerca de 30 prefeitos. André já admite um racha na oposição, com a possibilidade de pré-candidatura de Valadares Filho (PSB) ao governo, e diz que no dia seis de abril lançará a chapa, em grande ato com a presença de prefeitos e lideranças políticas.

 

Valadares Filho também passou o final de semana conversando com várias lideranças políticas visando formação da chapa majoritária. "Em nossas escolhas de alianças temos que interpretar o sentimento da sociedade e os princípios éticos que norteiam a conduta política do PSB, promovendo entendimentos que se traduzam em apoios que tenham credibilidade e aceitação popular para um projeto de mudanças", disse.

 

O PSB vem conversando muito com a Rede, que tem como pré-candidato a governador o ex-vereador Dr. Emerson.  Segundo Valadares Filho, até o final de abril espera fechar a posição do seu partido nas eleições deste ano.

 

Do ex-deputado federal José Carlos Machado (PSDB): "Não é simples definir uma chapa majoritária, porque nem sempre a lógica prevalece na política. Se tudo ocorrer como espero, Amorim será candidato a governador e André a senador. Torço para que uma das vagas restantes seja do PSB, com Valadares pai ou filho".

 

O presidente da Assembleia, Luciano Bispo (MDB), conseguiu reunir sábado, no BNB, em Itabaiana, em um churrasco, dezenas de lideranças em apoio a pré-candidatura de Belivaldo Chagas.