Museu Afro abre exposição "Maria, Marias: Do Samba à Reza"

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 15/03/2018 às 23:00:00

 

Integrando a programação do mês especial para as mulheres, a exposição "Maria, Marias: Do Samba à Reza" foi lançada na manhã da última quarta-feira, 15, no Museu Afro Brasileiro de Sergipe localizado no município de Laranjeiras. A unidade buscou homenagear uma das maiores figuras femininas da Cultura Laranjeirense, a mestra do samba de coco, Maria da Conceição. O projeto é uma iniciativa da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), através da Coordenadoria de Museus e do Museu Afro Brasileiro de Sergipe.
A exposição conta com fotos, roupas e utensílios utilizados por Dona Maria em sua vida cotidiana. A mestra foi integrante do Samba de Pareia desde seus primórdios, porém sentiu a necessidade de fundar o seu próprio grupo, com o formato semelhante denominado de Samba de Coco.  "Estou muito feliz e realizada em receber essa homenagem da Secretaria de Cultura, mostrando a minha arte do Samba de Coco e tendo a oportunidade de contar a minha história para tanta gente", disse Dona Maria.
Dona Maria da Conceição foi escolhida para ser tema de exposição por ser uma grande representação negra na cidade, moradora de um povoado quilombola e famosa rezadeira da região. "Desde jovem tive que me virar para trabalhar, criar as minhas filhas sozinha e lutar pela cultura popular", ressaltou.
A curadora e diretora do Museu Afro Brasileiro, Verônica Consuêlo, destaca que ficou curiosa em pesquisar a vida de da homenageada graças aos fatos contados pela neta da mestra. "Sempre ouvia falar dessa guerreira e fui atrás de conhecer sua vida por completo. Uma mulher que trabalhou como pedreira por muitos anos e criou todas as filhas e netas com muita garra. Por fazer parte da tipologia do museu, fui à procura dela para construir a exposição e descobri nela um o perfil muita interessante para ser exposto no mês das mulheres do Museu Afro", salienta.
Valorização - Integrantes do grupo de idosos da cidade de laranjeiras foram prestigiar a abertura da mostra. Rivanete dos Santos, por exemplo, que participa do grupo afirmou que sempre participa dos eventos realizados pelo museu. "Foi um evento maravilhoso e a homenagem a Dona Maria foi muito importante. Muitas pessoas de Laranjeiras conhecem a história dela, mas essa exposição leva a oportunidade para outros conhecerem", enfatizou.
Para a coordenadora de Museus da Secult, Martha Soraya, "projetos como este, são desenvolvidos para oportunizar a aproximação de alunos do Ensino Fundamental, Médio e Superior à sua própria cultura através dos ambientes do Museu e a visitação de turistas no local", frisa.
Visitantes interessados em conhecer de perto a história de vida e trabalho de D. Maria da Conceição, poderão ver a exposição até o dia 30 de abril. O Museu Afro Brasileiro funciona de terça a domingo das 9h às 13h.

Integrando a programação do mês especial para as mulheres, a exposição "Maria, Marias: Do Samba à Reza" foi lançada na manhã da última quarta-feira, 15, no Museu Afro Brasileiro de Sergipe localizado no município de Laranjeiras. A unidade buscou homenagear uma das maiores figuras femininas da Cultura Laranjeirense, a mestra do samba de coco, Maria da Conceição. O projeto é uma iniciativa da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), através da Coordenadoria de Museus e do Museu Afro Brasileiro de Sergipe.
A exposição conta com fotos, roupas e utensílios utilizados por Dona Maria em sua vida cotidiana. A mestra foi integrante do Samba de Pareia desde seus primórdios, porém sentiu a necessidade de fundar o seu próprio grupo, com o formato semelhante denominado de Samba de Coco.  "Estou muito feliz e realizada em receber essa homenagem da Secretaria de Cultura, mostrando a minha arte do Samba de Coco e tendo a oportunidade de contar a minha história para tanta gente", disse Dona Maria.
Dona Maria da Conceição foi escolhida para ser tema de exposição por ser uma grande representação negra na cidade, moradora de um povoado quilombola e famosa rezadeira da região. "Desde jovem tive que me virar para trabalhar, criar as minhas filhas sozinha e lutar pela cultura popular", ressaltou.
A curadora e diretora do Museu Afro Brasileiro, Verônica Consuêlo, destaca que ficou curiosa em pesquisar a vida de da homenageada graças aos fatos contados pela neta da mestra. "Sempre ouvia falar dessa guerreira e fui atrás de conhecer sua vida por completo. Uma mulher que trabalhou como pedreira por muitos anos e criou todas as filhas e netas com muita garra. Por fazer parte da tipologia do museu, fui à procura dela para construir a exposição e descobri nela um o perfil muita interessante para ser exposto no mês das mulheres do Museu Afro", salienta.
Valorização - Integrantes do grupo de idosos da cidade de laranjeiras foram prestigiar a abertura da mostra. Rivanete dos Santos, por exemplo, que participa do grupo afirmou que sempre participa dos eventos realizados pelo museu. "Foi um evento maravilhoso e a homenagem a Dona Maria foi muito importante. Muitas pessoas de Laranjeiras conhecem a história dela, mas essa exposição leva a oportunidade para outros conhecerem", enfatizou.
Para a coordenadora de Museus da Secult, Martha Soraya, "projetos como este, são desenvolvidos para oportunizar a aproximação de alunos do Ensino Fundamental, Médio e Superior à sua própria cultura através dos ambientes do Museu e a visitação de turistas no local", frisa.
Visitantes interessados em conhecer de perto a história de vida e trabalho de D. Maria da Conceição, poderão ver a exposição até o dia 30 de abril. O Museu Afro Brasileiro funciona de terça a domingo das 9h às 13h.