Superlotação da Upa da Zona Sul surpreende até a prefeitura

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 22/03/2018 às 23:43:00

 

Usuários do Sistema Único de Saúde que buscaram assistência médica durante todo o dia de ontem na Unidade Fernando Franco, zona Sul da capital sergipana, necessitaram redobrar a dose de paciência em virtude da demora considerada pela própria Prefeitura de Aracaju como inesperada e incapaz de ser reparada em curto prazo. Mesmo diante do quadro funcional devidamente respeitado, a alta procura por atendimentos clínicos contribuiu para que a unidade ficasse superlotada de pacientes. Diante da amplitude operacional, até o final da tarde de ontem o serviço não havia sido normalizado.
A Secretaria Municipal de Saúde informou ainda que o impasse ocorreu diante em virtude de usuários do SUS de outras regiões de Aracaju e demais municípios sergipanos terem se deslocado até o Conjunto Augusto Franco na perspectiva de ser atendido mais rapidamente. Por se tratar de um sistema público e unificado, a unidade se deparou com a necessidade de garantir atendimento para todos, mesmo ciente que os mesmos poderiam receber cuidados semelhantes em outras unidades administradas pela própria PMA, ou pelo Governo do Estado de Sergipe.
"Em um dia atípico ocorreu que muitas pessoas de várias partes de Aracaju buscaram atendimento no Fernando Franco. Mesmo com a escala completa, com todos os profissionais atuando conforme previsto, não foi possível regularizar o atendimento dentro do desejado pelos pacientes. Apesar dos esforços, de fato, houve demora no atendimento", declarou o comunicador Victor Vieira. Questionado quanto a demora também em outras unidades, como, por exemplo, o Sinhazinha, no bairro Grageru, e Nestor Piva, zona Norte da capital, a Assessoria de Comunicação garantiu que toda a rede de saúde, com exceção do Fernando Franco, não registrou irregularidade assistencial.
"A informação que recebemos e que foi constatada procedência durante o dia de ontem se referiu com exclusividade à unidade Fernando Franco. Nos demais postos os relatórios diários mostram que não houve aumento representativo de pacientes, ao ponto de provocar demora inesperada, seguido de qualquer indício de insatisfação por parte dos usuários junto ao atendimento", garantiu. (Milton Alves Júnior)

Usuários do Sistema Único de Saúde que buscaram assistência médica durante todo o dia de ontem na Unidade Fernando Franco, zona Sul da capital sergipana, necessitaram redobrar a dose de paciência em virtude da demora considerada pela própria Prefeitura de Aracaju como inesperada e incapaz de ser reparada em curto prazo. Mesmo diante do quadro funcional devidamente respeitado, a alta procura por atendimentos clínicos contribuiu para que a unidade ficasse superlotada de pacientes. Diante da amplitude operacional, até o final da tarde de ontem o serviço não havia sido normalizado.
A Secretaria Municipal de Saúde informou ainda que o impasse ocorreu diante em virtude de usuários do SUS de outras regiões de Aracaju e demais municípios sergipanos terem se deslocado até o Conjunto Augusto Franco na perspectiva de ser atendido mais rapidamente. Por se tratar de um sistema público e unificado, a unidade se deparou com a necessidade de garantir atendimento para todos, mesmo ciente que os mesmos poderiam receber cuidados semelhantes em outras unidades administradas pela própria PMA, ou pelo Governo do Estado de Sergipe.
"Em um dia atípico ocorreu que muitas pessoas de várias partes de Aracaju buscaram atendimento no Fernando Franco. Mesmo com a escala completa, com todos os profissionais atuando conforme previsto, não foi possível regularizar o atendimento dentro do desejado pelos pacientes. Apesar dos esforços, de fato, houve demora no atendimento", declarou o comunicador Victor Vieira. Questionado quanto a demora também em outras unidades, como, por exemplo, o Sinhazinha, no bairro Grageru, e Nestor Piva, zona Norte da capital, a Assessoria de Comunicação garantiu que toda a rede de saúde, com exceção do Fernando Franco, não registrou irregularidade assistencial.
"A informação que recebemos e que foi constatada procedência durante o dia de ontem se referiu com exclusividade à unidade Fernando Franco. Nos demais postos os relatórios diários mostram que não houve aumento representativo de pacientes, ao ponto de provocar demora inesperada, seguido de qualquer indício de insatisfação por parte dos usuários junto ao atendimento", garantiu. (Milton Alves Júnior)