Tite quer ouvir os conselhos do técnico alemão

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 26/03/2018 às 22:23:00

 

Apesar de muito se falar em revanche do 7 a 1, o amistoso do Brasil contra a Alemanha, nesta terça-feira, para o técnico Tite, será apenas mais uma partida importante antes do início da Copa do Mundo, em junho. Em entrevista coletiva no estádio Olímpico, em Berlim, nesta segunda-feira, ao lado do auxiliar Cleber Xavier, o treinador reforçou a relevância de seus comandados jogarem bem diante dos atuais campeões mundiais.
- Jogar em alto nível, buscar a proposta com imposição, de forma leal. Tentar traduzir em desempenho, procurar ser melhor, contundente, agressivo. Por vezes o futebol não transforma desempenho em resultado, mas o processo nós podemos conduzir. Desempenho nós temos condição de controlar, é de nossa responsabilidade. Coletivo, técnico, físico, mentalmente saber suportar a pressão de vir para um jogo importante, onde se sentem constrangidos em falar do 7 a 1, talvez por respeito", disse Tite.
O comandante brasileiro afirmou também que gostaria de receber conselhos do técnico da seleção alemã, Joachim Löw, horas após o alemão responder a um jornalista que Tite não precisava de conselhos.
"Gostaria de ouvir porque o Tite precisa, é incompleto, tem uma série de defeitos, é ansioso, muda o semblante, fica mais concentrado. Mas também sabe administrar. Mas preciso bastante da parceria da comissão, das relações. Ele (Löw) foi simpático comigo", afirmou.

Apesar de muito se falar em revanche do 7 a 1, o amistoso do Brasil contra a Alemanha, nesta terça-feira, para o técnico Tite, será apenas mais uma partida importante antes do início da Copa do Mundo, em junho. Em entrevista coletiva no estádio Olímpico, em Berlim, nesta segunda-feira, ao lado do auxiliar Cleber Xavier, o treinador reforçou a relevância de seus comandados jogarem bem diante dos atuais campeões mundiais.
- Jogar em alto nível, buscar a proposta com imposição, de forma leal. Tentar traduzir em desempenho, procurar ser melhor, contundente, agressivo. Por vezes o futebol não transforma desempenho em resultado, mas o processo nós podemos conduzir. Desempenho nós temos condição de controlar, é de nossa responsabilidade. Coletivo, técnico, físico, mentalmente saber suportar a pressão de vir para um jogo importante, onde se sentem constrangidos em falar do 7 a 1, talvez por respeito", disse Tite.
O comandante brasileiro afirmou também que gostaria de receber conselhos do técnico da seleção alemã, Joachim Löw, horas após o alemão responder a um jornalista que Tite não precisava de conselhos.
"Gostaria de ouvir porque o Tite precisa, é incompleto, tem uma série de defeitos, é ansioso, muda o semblante, fica mais concentrado. Mas também sabe administrar. Mas preciso bastante da parceria da comissão, das relações. Ele (Löw) foi simpático comigo", afirmou.