Governo inicia ciclo de reuniões para implantação dos novos sistemas de irrigação no Jacarecica I

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 27/03/2018 às 23:18:00

 

Na manhã desta terça-feira, o secretário de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh), Olivier Chagas, coordenou reunião com os agricultores do perímetro irrigado Jacarecica I, em Itabaiana. O encontro visa esclarecer possíveis dúvidas relacionadas aos investimentos que o governo do Estado está realizando, a exemplo de ações de reflorestamento e modernização dos sistemas de irrigação.
Através do Programa Águas de Sergipe, gerido pela Semarh, o governo do Estado investe quase R$ 30 milhões nos perímetros irrigados. São aproximadamente R$ 14,8 milhões destinados ao reflorestamento na Ribeira, Jacarecica I e II, Açude da Macela, Cajueiro dos Veados (Malhador) e barragem do Poxim (entre São Cristóvão e Itaporanga D'Ajuda). Outros R$ 14 milhões estarão sendo aplicados na modernização e implantação da irrigação localizada, neste caso, beneficiando Ribeira e Jacarecica I.
 O presidente da Assembleia Legislativa de Sergipe, deputado Luciano Bispo, acredita que a questão é de adaptação. "Quando se muda a cultura e tradições na maneira do plantio, se cria algumas resistências. Quando o Governo veio ao Jacarecica para lançar essa obra, alguns produtores nos procuraram para dizer que tinham dúvidas em relação às mudanças. Então, provocamos essa reunião justamente para ouvir os pleitos deles", comentou.
Com a modernização dos sistemas de irrigação dos perímetros irrigados de Itabaiana, haverá economia de água, contribuindo com a resolução da crise hídrica que o estado vivencia. Além disso, a mudança também proporcionará economia de energia elétrica, facilitando a vida do agricultor.
O maior desafio no momento é mostrar ao produtor rural que o novo sistema trará mais benefícios que malefícios. João Fonseca, diretor de irrigação da Companhia de Desenvolvimento dos Recursos Hídricos e de Irrigação de Sergipe (Cohidro), disse que a ideia é eliminar todas as possíveis dúvidas. "O objeto da reunião é tirar as dúvidas dos produtores e esclarecer o que for possível para implantar o projeto com o mínimo de incertezas possível", esclareceu.

Na manhã desta terça-feira, o secretário de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh), Olivier Chagas, coordenou reunião com os agricultores do perímetro irrigado Jacarecica I, em Itabaiana. O encontro visa esclarecer possíveis dúvidas relacionadas aos investimentos que o governo do Estado está realizando, a exemplo de ações de reflorestamento e modernização dos sistemas de irrigação.
Através do Programa Águas de Sergipe, gerido pela Semarh, o governo do Estado investe quase R$ 30 milhões nos perímetros irrigados. São aproximadamente R$ 14,8 milhões destinados ao reflorestamento na Ribeira, Jacarecica I e II, Açude da Macela, Cajueiro dos Veados (Malhador) e barragem do Poxim (entre São Cristóvão e Itaporanga D'Ajuda). Outros R$ 14 milhões estarão sendo aplicados na modernização e implantação da irrigação localizada, neste caso, beneficiando Ribeira e Jacarecica I.
 O presidente da Assembleia Legislativa de Sergipe, deputado Luciano Bispo, acredita que a questão é de adaptação. "Quando se muda a cultura e tradições na maneira do plantio, se cria algumas resistências. Quando o Governo veio ao Jacarecica para lançar essa obra, alguns produtores nos procuraram para dizer que tinham dúvidas em relação às mudanças. Então, provocamos essa reunião justamente para ouvir os pleitos deles", comentou.
Com a modernização dos sistemas de irrigação dos perímetros irrigados de Itabaiana, haverá economia de água, contribuindo com a resolução da crise hídrica que o estado vivencia. Além disso, a mudança também proporcionará economia de energia elétrica, facilitando a vida do agricultor.
O maior desafio no momento é mostrar ao produtor rural que o novo sistema trará mais benefícios que malefícios. João Fonseca, diretor de irrigação da Companhia de Desenvolvimento dos Recursos Hídricos e de Irrigação de Sergipe (Cohidro), disse que a ideia é eliminar todas as possíveis dúvidas. "O objeto da reunião é tirar as dúvidas dos produtores e esclarecer o que for possível para implantar o projeto com o mínimo de incertezas possível", esclareceu.