Almeida vai à Alese e faz prestação de contas da Saúde do 3° quadrimestre de 2017

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 27/03/2018 às 23:30:00

 

O secretário Almeida Lima, esteve nesta terça-feira, na Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese) para fazer a prestação de contas do 3º quadrimestre de 2017 da Secretaria de Estado da Saúde (SES), apresentando a Comissão de Saúde da Casa os investimentos realizados na área e os avanços alcançados, fazendo Mais com Menos. Nos últimos quatro meses do ano passado, a despesa liquidada da SES foi de R$ 1.042.069.920,33 e 75% deste valor foi de recurso do Tesouro do Estado.
"Em 2017 a Saúde recebeu R$ 36 milhões e 400 mil a menos do que em 2016, mas com a reorganização dos trabalhos, gestão e bastante economia, fizemos Mais com Menos e alcançamos importantes avanços na assistência à saúde da população. A exemplo de reformas nas unidades, ampliação e melhoria dos serviços de saúde, com destaque para o segmento oncológico, e compras de novos equipamentos que são essenciais para o atendimento hospitalar. Prestamos informações aos parlamentares e respondemos todos os questionamentos, pois prezamos sempre pela transparência", frisa o secretário.
Da receita da SES do 3º quadrimestre de 2017, R$ 492.638.766,53 foram destinados a Fundação Hospitalar de Saúde (FHS), R$ 35.104.653,72 a Fundação de Saúde Parreiras Horta e R$ 23.708.162,29 a Fundação Estadual de Saúde (Funesa), totalizando R$ 551.451.582,54. E a SES investiu R$ 52 milhões na dispensação de medicamentos e insumos para os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), sendo R$ 46 milhões de recursos do Tesouro do Estado e R$ 6 milhões do Fundo Nacional de Saúde (FNS).
Execução de serviços - A Rede Estadual de Saúde obteve números expressivos no 3° quadrimestre do ano passado. Quanto à produtividade ambulatorial, as unidades que são geridas pelo Estado realizaram nos últimos quatro meses do ano passado 8.685.750 procedimentos nos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), e as unidades sob gestão municipal e de gerência Estadual fizeram 526.725.
E para se ter uma ideia, foram registrados nas unidades geridas pelo Estado 40.444 internações hospitalares, em clínicos, obstétricos e cirúrgicos. Entre as unidades assistenciais que obtiveram mais produção estão o Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) com 15.603 internamentos e a Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL) com 7.940.
Em relação à Atenção Especializada do Estado, o Centro de Atenção à Saúde (Case) entregou 1.980 equipamentos aos usuários cadastrados, a exemplo de cadeiras de rodas, órteses, próteses, bengalas, próteses mamárias, muletas, andadores e coletes. E mais, distribuiu 61.024 insulinas e 25.995 kits de colostomia. Já o Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (Caism) fez 36.078 procedimentos, como mamografias, ultrassonografias, eletrocardiogramas e consultas com mastologistas, ginecologistas e de pré-natal. 
Avanços - Durante a prestação de contas na Alese, Almeida, que está à frente da pasta há um ano e dois meses, fez um panorama dos avanços obtidos pela Saúde de Sergipe em benefício da população. Entre eles, está a aquisição de três novos tomógrafos e conserto de outros que estavam parados, a retomada da braquiterapia do Huse, reforma e ampliação da Maternidade Hildete Falcão, que estava desativada há dez anos, instalação da nova radioterapia do Huse, que já está em funcionamento, construção do CER IV, investimento na estrutura e nos serviços dos hospitais regionais, a exemplo do Hospital de Glória e Itabaiana, aquisição de 30 novas ambulâncias para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e de 20 triciclos para a entrega de medicamentos e próteses e órteses nas residências dos usuários cadastrados no Centro de Atenção a Saúde (Case).
E o Huse, o principal hospital público do Estado e que é de alta complexidade, tem recebido importantes e significativas melhorias, tanto que o cenário da unidade hoje já é outro. Com apenas uma reorganização interna foram abertos 45 novos leitos no hospital, e ainda serão entregues mais, o Pronto Socorro (PS) está sendo ampliado, estão sendo construídos um Centro de Hemodinâmica e um Centro de Nefrologia com 16 equipamentos de hemodiálise - atualmente existem oito no Huse -, e também 36 leitos de internamento, além de melhorias na infraestrutura do setor de Oncologia da unidade para dar mais qualidade ao tratamento dos pacientes oncológicos.
Almeida explicou aos parlamentares que esses avanços não seriam possível se não fosse a criação do Centro Administrativo da Saúde Senador Gilvan Rocha, onde estão centralizadas 14 unidades administrativas da Rede Estadual de Saúde. "O Centro proporcionou a otimização dos serviços administrativos da Saúde e também uma economicidade muito grande para a pasta, já que desalugamos vários prédios e unificamos as unidades. E é justamente por causa dessa medida que vamos entregar 200 novos leitos no Huse, sem fazer nenhum anexo", conta.
Questionamentos - Após as explanações, o secretário foi questionado pelos parlamentares sobre os mais variados assuntos que envolvem a saúde e, com transparência, que é uma das prioridades da gestão, Almeida respondeu a todos. "Prezo pela transparência e sempre faço questão de apresentar aos parlamentares e também a população em geral, tudo o que vem sendo feito para a melhoria da assistência. Por isso, respondemos todos os questionamentos e prestamos os devidos esclarecimentos sobre os assuntos que envolvem a Saúde", disse Almeida.
Para o deputado capitão Samuel, por a área da Saúde ser ampla e complexa, sempre haverá críticas e pontos a serem melhorados, no entanto, as inovações que estão sendo feitas por Almeida tem trazido bons resultados para a população. "Os sergipanos já estão reconhecendo as melhorias que tem sido feitas na Saúde. Almeida tem ideias inovadoras que estão trazendo bons resultados e acreditamos que mais boas notícias virão", declara.

O secretário Almeida Lima, esteve nesta terça-feira, na Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese) para fazer a prestação de contas do 3º quadrimestre de 2017 da Secretaria de Estado da Saúde (SES), apresentando a Comissão de Saúde da Casa os investimentos realizados na área e os avanços alcançados, fazendo Mais com Menos. Nos últimos quatro meses do ano passado, a despesa liquidada da SES foi de R$ 1.042.069.920,33 e 75% deste valor foi de recurso do Tesouro do Estado.
"Em 2017 a Saúde recebeu R$ 36 milhões e 400 mil a menos do que em 2016, mas com a reorganização dos trabalhos, gestão e bastante economia, fizemos Mais com Menos e alcançamos importantes avanços na assistência à saúde da população. A exemplo de reformas nas unidades, ampliação e melhoria dos serviços de saúde, com destaque para o segmento oncológico, e compras de novos equipamentos que são essenciais para o atendimento hospitalar. Prestamos informações aos parlamentares e respondemos todos os questionamentos, pois prezamos sempre pela transparência", frisa o secretário.
Da receita da SES do 3º quadrimestre de 2017, R$ 492.638.766,53 foram destinados a Fundação Hospitalar de Saúde (FHS), R$ 35.104.653,72 a Fundação de Saúde Parreiras Horta e R$ 23.708.162,29 a Fundação Estadual de Saúde (Funesa), totalizando R$ 551.451.582,54. E a SES investiu R$ 52 milhões na dispensação de medicamentos e insumos para os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), sendo R$ 46 milhões de recursos do Tesouro do Estado e R$ 6 milhões do Fundo Nacional de Saúde (FNS).
Execução de serviços - A Rede Estadual de Saúde obteve números expressivos no 3° quadrimestre do ano passado. Quanto à produtividade ambulatorial, as unidades que são geridas pelo Estado realizaram nos últimos quatro meses do ano passado 8.685.750 procedimentos nos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), e as unidades sob gestão municipal e de gerência Estadual fizeram 526.725.
E para se ter uma ideia, foram registrados nas unidades geridas pelo Estado 40.444 internações hospitalares, em clínicos, obstétricos e cirúrgicos. Entre as unidades assistenciais que obtiveram mais produção estão o Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) com 15.603 internamentos e a Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL) com 7.940.
Em relação à Atenção Especializada do Estado, o Centro de Atenção à Saúde (Case) entregou 1.980 equipamentos aos usuários cadastrados, a exemplo de cadeiras de rodas, órteses, próteses, bengalas, próteses mamárias, muletas, andadores e coletes. E mais, distribuiu 61.024 insulinas e 25.995 kits de colostomia. Já o Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (Caism) fez 36.078 procedimentos, como mamografias, ultrassonografias, eletrocardiogramas e consultas com mastologistas, ginecologistas e de pré-natal. 
Avanços - Durante a prestação de contas na Alese, Almeida, que está à frente da pasta há um ano e dois meses, fez um panorama dos avanços obtidos pela Saúde de Sergipe em benefício da população. Entre eles, está a aquisição de três novos tomógrafos e conserto de outros que estavam parados, a retomada da braquiterapia do Huse, reforma e ampliação da Maternidade Hildete Falcão, que estava desativada há dez anos, instalação da nova radioterapia do Huse, que já está em funcionamento, construção do CER IV, investimento na estrutura e nos serviços dos hospitais regionais, a exemplo do Hospital de Glória e Itabaiana, aquisição de 30 novas ambulâncias para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e de 20 triciclos para a entrega de medicamentos e próteses e órteses nas residências dos usuários cadastrados no Centro de Atenção a Saúde (Case).
E o Huse, o principal hospital público do Estado e que é de alta complexidade, tem recebido importantes e significativas melhorias, tanto que o cenário da unidade hoje já é outro. Com apenas uma reorganização interna foram abertos 45 novos leitos no hospital, e ainda serão entregues mais, o Pronto Socorro (PS) está sendo ampliado, estão sendo construídos um Centro de Hemodinâmica e um Centro de Nefrologia com 16 equipamentos de hemodiálise - atualmente existem oito no Huse -, e também 36 leitos de internamento, além de melhorias na infraestrutura do setor de Oncologia da unidade para dar mais qualidade ao tratamento dos pacientes oncológicos.
Almeida explicou aos parlamentares que esses avanços não seriam possível se não fosse a criação do Centro Administrativo da Saúde Senador Gilvan Rocha, onde estão centralizadas 14 unidades administrativas da Rede Estadual de Saúde. "O Centro proporcionou a otimização dos serviços administrativos da Saúde e também uma economicidade muito grande para a pasta, já que desalugamos vários prédios e unificamos as unidades. E é justamente por causa dessa medida que vamos entregar 200 novos leitos no Huse, sem fazer nenhum anexo", conta.
Questionamentos - Após as explanações, o secretário foi questionado pelos parlamentares sobre os mais variados assuntos que envolvem a saúde e, com transparência, que é uma das prioridades da gestão, Almeida respondeu a todos. "Prezo pela transparência e sempre faço questão de apresentar aos parlamentares e também a população em geral, tudo o que vem sendo feito para a melhoria da assistência. Por isso, respondemos todos os questionamentos e prestamos os devidos esclarecimentos sobre os assuntos que envolvem a Saúde", disse Almeida.
Para o deputado capitão Samuel, por a área da Saúde ser ampla e complexa, sempre haverá críticas e pontos a serem melhorados, no entanto, as inovações que estão sendo feitas por Almeida tem trazido bons resultados para a população. "Os sergipanos já estão reconhecendo as melhorias que tem sido feitas na Saúde. Almeida tem ideias inovadoras que estão trazendo bons resultados e acreditamos que mais boas notícias virão", declara.