# Rap Fala - Arte da Palavra

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 03/04/2018 às 07:00:00

 

"Cultura, educação, livro e escola, reforçaram a minha rima e mudaram minha história", com essa letra o rapper e educador social, Chiquinho Divilas, contagiou centenas de alunos da Escola Sesc e idosos do Grupo Nova Vida, última quarta-feira, no Siqueira Campos.
Chiquinho Divilas integra o Projeto Arte da Palavra, promovido pelo Sesc em todo o País, com o objetivo de fomentar ações culturais e artísticas, que contribuam para a reflexão, o debate, a produção artística e a formação de plateias, utilizando audiovisual, música, literatura, artes cênicas, artesanato e artes plásticas, facilitando o amplo acesso às camadas sociais da população, através do contato direto com as várias possibilidades de produção cultural.
Dentro do Projeto Arte da Palavra, o rapper integra o Circuito Oralidade, que irá percorrer, ainda este ano, 11 cidades, levando para escolas e centros culturais sua experiência na área de educação cidadã, a exemplo do projeto MC's para a Paz, voltado para apenados da Penitenciária Industrial de Caxias do Sul (RS), sua terra natal.
"Promovemos oficinas de Hip-Hop (MC, DJ, Grafite e Be Boy) que é uma forma de se expressar, de resistir, denunciar e afirmar sua identidade", disse o rapper, acrescentando que o desenvolvimento desse projeto tem apresentado conquistas diante da perspectiva da redução de danos como o uso de drogas, da problematização do seu cotidiano e da busca por novas estratégia de enfrentamento da realizada social.
Na quadra do Sesc Siqueira Campos, o poeta, rapper e educador social contou um pouco de sua história e revelou que o Rap salvou sua vida, pois despertou nele a vontade de voltar à escola e o fez entender que a educação é meio de cura e transformação.
Entusiasmada, a plateia vibrou com a performance de Divilas e se identificou com o estilo do educador se comunicar. Um grupo de rappers do Bairro 17 de Março, localidade onde a instituição realiza o projeto social Sesc em Comunidade, também apresentou uma produção autoral, com destaque para as coreografias que levantou o público da cadeira.
Divilas incentivou a garotada soltar a voz e mostrar a beleza da rima, da métrica e da poesia. Todos puderam participar, interagir e conhecer um pouco sobre as diferenças e a ideologia de paz e justiça do Rap, incorporada naturalmente por Chiquinho Divilas em suas composições e projetos educacionais.

"Cultura, educação, livro e escola, reforçaram a minha rima e mudaram minha história", com essa letra o rapper e educador social, Chiquinho Divilas, contagiou centenas de alunos da Escola Sesc e idosos do Grupo Nova Vida, última quarta-feira, no Siqueira Campos.
Chiquinho Divilas integra o Projeto Arte da Palavra, promovido pelo Sesc em todo o País, com o objetivo de fomentar ações culturais e artísticas, que contribuam para a reflexão, o debate, a produção artística e a formação de plateias, utilizando audiovisual, música, literatura, artes cênicas, artesanato e artes plásticas, facilitando o amplo acesso às camadas sociais da população, através do contato direto com as várias possibilidades de produção cultural.
Dentro do Projeto Arte da Palavra, o rapper integra o Circuito Oralidade, que irá percorrer, ainda este ano, 11 cidades, levando para escolas e centros culturais sua experiência na área de educação cidadã, a exemplo do projeto MC's para a Paz, voltado para apenados da Penitenciária Industrial de Caxias do Sul (RS), sua terra natal.
"Promovemos oficinas de Hip-Hop (MC, DJ, Grafite e Be Boy) que é uma forma de se expressar, de resistir, denunciar e afirmar sua identidade", disse o rapper, acrescentando que o desenvolvimento desse projeto tem apresentado conquistas diante da perspectiva da redução de danos como o uso de drogas, da problematização do seu cotidiano e da busca por novas estratégia de enfrentamento da realizada social.
Na quadra do Sesc Siqueira Campos, o poeta, rapper e educador social contou um pouco de sua história e revelou que o Rap salvou sua vida, pois despertou nele a vontade de voltar à escola e o fez entender que a educação é meio de cura e transformação.
Entusiasmada, a plateia vibrou com a performance de Divilas e se identificou com o estilo do educador se comunicar. Um grupo de rappers do Bairro 17 de Março, localidade onde a instituição realiza o projeto social Sesc em Comunidade, também apresentou uma produção autoral, com destaque para as coreografias que levantou o público da cadeira.
Divilas incentivou a garotada soltar a voz e mostrar a beleza da rima, da métrica e da poesia. Todos puderam participar, interagir e conhecer um pouco sobre as diferenças e a ideologia de paz e justiça do Rap, incorporada naturalmente por Chiquinho Divilas em suas composições e projetos educacionais.