Polícia ouve motoboy que arrastou cachorro em Itabaiana

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 03/04/2018 às 07:05:00

 

A Polícia Civil instaurou ontem, oficialmente, um inquérito policial para apurar a prática de maus-tratos contra um cachorro. O animal foi amarrado a uma moto e arrastado por ela por algumas ruas do centro de Itabaiana (Agreste). O incidente ocorreu na última quarta-feira e foi flagrado por testemunhas que gravaram a cena e registraram tanto a placa da moto quanto o estado do cão, que ficou com as patas feridas. 
No fim da manhã, o motoboy que pilotava a moto, Fabiano dos Santos Siqueira, prestou depoimento na Delegacia Regional de Itabaiana. Segundo a Secretaria da Segurança Pública (SSP), a investigação apurou que o motoboy recebeu R$5 da verdadeira proprietária do animal, para que ele o abandonasse em um local distante de sua residência. "Já identificamos a pessoa responsável pelo abandono do animal, bem como por amarrá-lo, e ainda essa semana ela será ouvida e também indiciada", disse a delegada Josefa Valéria Andrade.
Tanto o motoboy quanto a proprietária devem ser processados por abandono e maus tratos a animais, crimes previstos pela Lei de Crimes Ambientais. O cão foi medicado e entregue a ONGElan (Educação e Legislação Ambiental), onde passará por tratamento médico e posteriormente ficará à disposição para adoção. A entidade também deve fazer um exame pericial para auxiliar na investigação da polícia.

A Polícia Civil instaurou ontem, oficialmente, um inquérito policial para apurar a prática de maus-tratos contra um cachorro. O animal foi amarrado a uma moto e arrastado por ela por algumas ruas do centro de Itabaiana (Agreste). O incidente ocorreu na última quarta-feira e foi flagrado por testemunhas que gravaram a cena e registraram tanto a placa da moto quanto o estado do cão, que ficou com as patas feridas. 
No fim da manhã, o motoboy que pilotava a moto, Fabiano dos Santos Siqueira, prestou depoimento na Delegacia Regional de Itabaiana. Segundo a Secretaria da Segurança Pública (SSP), a investigação apurou que o motoboy recebeu R$5 da verdadeira proprietária do animal, para que ele o abandonasse em um local distante de sua residência. "Já identificamos a pessoa responsável pelo abandono do animal, bem como por amarrá-lo, e ainda essa semana ela será ouvida e também indiciada", disse a delegada Josefa Valéria Andrade.
Tanto o motoboy quanto a proprietária devem ser processados por abandono e maus tratos a animais, crimes previstos pela Lei de Crimes Ambientais. O cão foi medicado e entregue a ONGElan (Educação e Legislação Ambiental), onde passará por tratamento médico e posteriormente ficará à disposição para adoção. A entidade também deve fazer um exame pericial para auxiliar na investigação da polícia.