Sergipanos fazem mobilização contra a prisão do ex-presidente Lula

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Manifestantes ligados ao MST fecham a ponte que liga os Estados de Sergipe e Alagoas
Manifestantes ligados ao MST fecham a ponte que liga os Estados de Sergipe e Alagoas

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 06/04/2018 às 23:39:00

 

As mobilizações no Estado de Sergipe em defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve início ainda na noite da última quinta-feira (05), horas após o juiz Sérgio Moro ter decretado a prisão do líder petista. O magistrado é titular da 13ª Vara Federal de Curitiba e responsável pela operação Lava-Jato em primeira instância, na Ação Penal na qual Lula foi condenado em segundo grau pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) a 12 anos e um mês de cadeia. Por volta das 21h, classes trabalhadoras, movimentos estudantis e integrantes de movimentos sociais começaram a se reunir na perspectiva de dar início à sequência de atos públicos democráticos.
Já no início da manhã de ontem trabalhadores rurais ocuparam vias expressas em vários pontos do estado e inviabilizaram o fluxo de automóveis por mais de três horas. A manifestação contou com o apoio direto do Movimento dos Sem Terra (MST). O primeiro ponto de bloqueio foi registrado no trevo que dá acesso a rodovia estadual SE-270, popular Rodovia Lourival Batista; local de amplo movimento de automóveis já que fica no município de Itaporanga D´ajuda e interliga a rodovia à BR-101 - que não foi fechada pelos defensores de Lula. Assim que o bloqueio foi iniciado por volta das 6h30, agentes da Polícia Rodoviária Federal se dirigiram ao local a fim de convencer os manifestantes a desobstruírem a via.
Ocorreram  ainda atos em defesa do ex-presidente nas cidades de Estância, Nossa Senhora das Dores, Itabaiana, Lagaroto, Simão Dias, Itaporanga d'Ajuda, Canindé do São Francisco, Poço Verde, Tomar do Geru, Cristinápolis e Nossa Senhora do Socorro. Paralelo à mobilização no interior do Estado, em Aracaju, passavam das 10h quando dezenas de militantes se reuniam para realizar uma vigília na sede do Partido dos Trabalhadores, situado na região central da capital sergipana. Na avaliação apresentada pelo o presidente do diretório estadual do PT, Rogério Carvalho, a prisão de Lula conclui o golpe democrático idealizado pelas elites do Brasil, as quais amargam sucessivas derrotas no âmbito eleitoral.
O ex-deputado federal, e atual pré-candidato a senador da república, defende que as bases defensoras da democracia brasileira e ética judiciária permaneçam unidas diante do propósito em defender a liberdade do ex-presidente, e mantê-lo vivo na corrida pelo Palácio do Planalto. "O decreto de prisão foi tudo que nós já esperávamos de um golpe em curso. Não há golpe sem prender líderes que se opõem a este golpe. Temos que defender a integridade do presidente Lula, a integridade da soberania do povo brasileiro", disse.
Compartilhando com as declarações de Rogério, o deputado federal por Sergipe, João Daniel, também filiado do PT, lamentou que os brasileiros estejam diante de uma nova articulação antidemocrática e antiética a qual fere o princípio da inocência. "O pato amarelo que rodou o Brasil preparava o golpe contra os direitos do povo brasileiro, da juventude, para tirar o sonho do povo brasileiro de levantar pela manhã e saber que seus filhos poderiam entrar para a universidade, ter casa e condições de vida", declarou. Líder social, e com base histórica no MST, o parlamentar garantiu que a luta por Lula seguira em todo o país.
 "Esse mandato de prisão contra o maior líder da história deste país, bem como o melhor presidente que tivemos até o momento, apenas resulta na irritação de um povo que reconhece a honra do ex-presidente. As mobilizações vão continuar ocorrendo em Sergipe e em todos os demais estados da nação", pontuou.

As mobilizações no Estado de Sergipe em defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve início ainda na noite da última quinta-feira (05), horas após o juiz Sérgio Moro ter decretado a prisão do líder petista. O magistrado é titular da 13ª Vara Federal de Curitiba e responsável pela operação Lava-Jato em primeira instância, na Ação Penal na qual Lula foi condenado em segundo grau pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) a 12 anos e um mês de cadeia. Por volta das 21h, classes trabalhadoras, movimentos estudantis e integrantes de movimentos sociais começaram a se reunir na perspectiva de dar início à sequência de atos públicos democráticos.
Já no início da manhã de ontem trabalhadores rurais ocuparam vias expressas em vários pontos do estado e inviabilizaram o fluxo de automóveis por mais de três horas. A manifestação contou com o apoio direto do Movimento dos Sem Terra (MST). O primeiro ponto de bloqueio foi registrado no trevo que dá acesso a rodovia estadual SE-270, popular Rodovia Lourival Batista; local de amplo movimento de automóveis já que fica no município de Itaporanga D´ajuda e interliga a rodovia à BR-101 - que não foi fechada pelos defensores de Lula. Assim que o bloqueio foi iniciado por volta das 6h30, agentes da Polícia Rodoviária Federal se dirigiram ao local a fim de convencer os manifestantes a desobstruírem a via.
Ocorreram  ainda atos em defesa do ex-presidente nas cidades de Estância, Nossa Senhora das Dores, Itabaiana, Lagaroto, Simão Dias, Itaporanga d'Ajuda, Canindé do São Francisco, Poço Verde, Tomar do Geru, Cristinápolis e Nossa Senhora do Socorro. Paralelo à mobilização no interior do Estado, em Aracaju, passavam das 10h quando dezenas de militantes se reuniam para realizar uma vigília na sede do Partido dos Trabalhadores, situado na região central da capital sergipana. Na avaliação apresentada pelo o presidente do diretório estadual do PT, Rogério Carvalho, a prisão de Lula conclui o golpe democrático idealizado pelas elites do Brasil, as quais amargam sucessivas derrotas no âmbito eleitoral.
O ex-deputado federal, e atual pré-candidato a senador da república, defende que as bases defensoras da democracia brasileira e ética judiciária permaneçam unidas diante do propósito em defender a liberdade do ex-presidente, e mantê-lo vivo na corrida pelo Palácio do Planalto. "O decreto de prisão foi tudo que nós já esperávamos de um golpe em curso. Não há golpe sem prender líderes que se opõem a este golpe. Temos que defender a integridade do presidente Lula, a integridade da soberania do povo brasileiro", disse.
Compartilhando com as declarações de Rogério, o deputado federal por Sergipe, João Daniel, também filiado do PT, lamentou que os brasileiros estejam diante de uma nova articulação antidemocrática e antiética a qual fere o princípio da inocência. "O pato amarelo que rodou o Brasil preparava o golpe contra os direitos do povo brasileiro, da juventude, para tirar o sonho do povo brasileiro de levantar pela manhã e saber que seus filhos poderiam entrar para a universidade, ter casa e condições de vida", declarou. Líder social, e com base histórica no MST, o parlamentar garantiu que a luta por Lula seguira em todo o país.
 "Esse mandato de prisão contra o maior líder da história deste país, bem como o melhor presidente que tivemos até o momento, apenas resulta na irritação de um povo que reconhece a honra do ex-presidente. As mobilizações vão continuar ocorrendo em Sergipe e em todos os demais estados da nação", pontuou.