Belivaldo assina filiação ao PSD

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O ainda vice-governador Belivaldo Chagas, no momento da assinatura da ficha de filiação ao PSD
O ainda vice-governador Belivaldo Chagas, no momento da assinatura da ficha de filiação ao PSD

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 07/04/2018 às 00:03:00

 

Um dia antes de assumir 
como governador do 
Estado, Belivaldo Chagas se filiou ao PSD na tarde desta sexta-feira (06), na Assembleia Legislativa. Na ocasião, os deputados Goretti Reis e Robson Viana também assinaram ficha de filiação. O novo partido foi escolhido após reuniões com aliados e reforça a base governista, assim como a presença da sigla no grupo, que conta com o deputado federal Fábio Mitidieri e os deputados estaduais Luiz Mitidieri e Jeferson Andrade.
O deputado estadual Luciano Bispo (MDB) abriu os discursos com um texto otimista. Bispo acredita na vitória do grupo que se mantém unido desde 2006. "Nós temos reponsabilidade com Sergipe e vamos fazer Belivaldo Chagas governador de Sergipe. Aqui está o exército que vai provar que vamos fazer Belivaldo governador. Adversários nós respeitamos e derrotamos com trabalho nas ruas", declarou.
Na presença de Jackson Barreto e de Edvaldo Nogueira, Belivaldo despediu-se do MDB afirmando que deixou amigos no partido e ratificou a solidez do grupo capitaneado por Jackson. "Minha história na política sempre foi voltada para o pensamento e trabalho em grupo. Minha decisão foi estudada, discutida entre os amigos, os aliados políticos e tenho certeza que foi a melhor para todos. Chego ao PSD com muito entusiasmo de que nossa caminhada será vitoriosa. Esse projeto não é meu, é de todo um grupo e vai ser vitorioso por que todo esse grupo vai trabalhar no mesmo sentido: fazer Sergipe avançar", disse.
Ao agradecer a estadia no MDB, o pré-candidato ao governo falou que sua administração será construída com visitas aos municípios e conversas com a população e pontuou a atenção que dará à pasta de segurança pública.
 "Quero fazer uma reverência ao MDB, que me acolheu, que acreditou em mim. O MDB de Jackson, meu líder, meu irmão, que acreditou e confiou em mim. Sei do meu tamanho na política e fui abraçado por Jackson. Vou continuar buscando sua orientação, Jackson, e Sergipe vai sempre se orgulhar do governador que você é. Sei da responsabilidade que estou assumindo a partir de amanhã. Vamos percorrer todo o estado, de norte a sul, mostrando que fazemos parte de um grupo que tem obras e compromisso com os sergipanos. Neste momento, lembro a memória de Capitão Oliveira e afirmo meu compromisso com a Segurança Pública, é preciso dar um basta", afirmou.
Despedida - Jackson Barreto despediu-se do governo destacando os investimentos realizados ao longo dos cinco anos de gestão e mandando recado, de forma incisiva, para os adversários no pleito que se aproxima.  
"Fomos eleitos com a maior votação da história desse estado. A oposição já tinha até terno comprado. O terno está pendurado até hoje e continuará pendurado porque Belivaldo será o governador. É preciso conhecer a história de cada candidato. Quem não tiver compromisso com a ética, retire-se do processo eleitoral porque será rejeitado pelo povo. Essa festa ultrapassa o PSD, é a festa daqueles que têm compromisso do estado. Sergipe não é casa de mãe Joana. Vim de uma família extremamente pobre. Fui eleito para cuidar de meu estado e estamos deixando obras de ponta a ponta de Sergipe. Cheguei a anunciar que não seria candidato, mas aceitei o desafio porque o Brasil não é o mesmo de quatro anos atrás. O País precisa de democratas para defender o estado de direito democrático, a democracia. Por isso que estou de volta".
Prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira fez questão de reafirmar o apoio à candidatura de Belivaldo, afastando rumores de uma possível aliança com a oposição. "Ver o crescimento do PSD em Sergipe me dá um grande orgulho. O partido tem ganhado protagonismo na política do Brasil e venho aqui reafirmar o meu compromisso na pré-candidatura de Belivaldo Chagas ao governo do Estado".
Deputado federal pelo PSD e liderança do partido em Sergipe, Fábio Mitidieri não escondeu a alegria em receber novos filiados na sigla que comanda juntamente com o pai, o deputado estadual Luiz Mitidieri. "Grande satisfação em receber hoje a filiação do vice-governador Belivaldo Chagas e dos deputados Robson Viana e Goretti Reis, além de diversas outras lideranças em nosso PSD. Sejam todos bem vindos e vamos à luta!".
Participaram também da filiação,  o deputado federal Fábio Reis; o deputado estadual Garibalde Mendonça; a vice-prefeita Eliane Aquino; presidente da Câmara de Vereadores de Aracaju, Nitinho Vitale; a presidente do PSD Mulher de Sergipe, Maísa Mitidieri, diversos prefeitos e vereadores do interior do estado.
Histórico - Natural de Simão Dias, Belivaldo Chagas exerceu a função de secretário da Casa Civil. É Defensor Público aposentado, foi deputado estadual por quatro legislaturas, secretário de Estado da Articulação com os Municípios, coordenador Geral do Projeto Nordeste, diretor presidente da Segrase e secretário de Estado de Educação, função na qual se destacou pela reestruturação das escolas estaduais e por sanear financeiramente a Secretaria de Educação (Seed). Exerceu o cargo de vice-governador no primeiro mandato do governador Marcelo Déda e, em 2014, foi eleito vice-governador.

Um dia antes de assumir  como governador do  Estado, Belivaldo Chagas se filiou ao PSD na tarde desta sexta-feira (06), na Assembleia Legislativa. Na ocasião, os deputados Goretti Reis e Robson Viana também assinaram ficha de filiação. O novo partido foi escolhido após reuniões com aliados e reforça a base governista, assim como a presença da sigla no grupo, que conta com o deputado federal Fábio Mitidieri e os deputados estaduais Luiz Mitidieri e Jeferson Andrade.O deputado estadual Luciano Bispo (MDB) abriu os discursos com um texto otimista. Bispo acredita na vitória do grupo que se mantém unido desde 2006. "Nós temos reponsabilidade com Sergipe e vamos fazer Belivaldo Chagas governador de Sergipe. Aqui está o exército que vai provar que vamos fazer Belivaldo governador. Adversários nós respeitamos e derrotamos com trabalho nas ruas", declarou.
Na presença de Jackson Barreto e de Edvaldo Nogueira, Belivaldo despediu-se do MDB afirmando que deixou amigos no partido e ratificou a solidez do grupo capitaneado por Jackson. "Minha história na política sempre foi voltada para o pensamento e trabalho em grupo. Minha decisão foi estudada, discutida entre os amigos, os aliados políticos e tenho certeza que foi a melhor para todos. Chego ao PSD com muito entusiasmo de que nossa caminhada será vitoriosa. Esse projeto não é meu, é de todo um grupo e vai ser vitorioso por que todo esse grupo vai trabalhar no mesmo sentido: fazer Sergipe avançar", disse.
Ao agradecer a estadia no MDB, o pré-candidato ao governo falou que sua administração será construída com visitas aos municípios e conversas com a população e pontuou a atenção que dará à pasta de segurança pública. "Quero fazer uma reverência ao MDB, que me acolheu, que acreditou em mim. O MDB de Jackson, meu líder, meu irmão, que acreditou e confiou em mim. Sei do meu tamanho na política e fui abraçado por Jackson. Vou continuar buscando sua orientação, Jackson, e Sergipe vai sempre se orgulhar do governador que você é. Sei da responsabilidade que estou assumindo a partir de amanhã. Vamos percorrer todo o estado, de norte a sul, mostrando que fazemos parte de um grupo que tem obras e compromisso com os sergipanos. Neste momento, lembro a memória de Capitão Oliveira e afirmo meu compromisso com a Segurança Pública, é preciso dar um basta", afirmou.
Despedida - Jackson Barreto despediu-se do governo destacando os investimentos realizados ao longo dos cinco anos de gestão e mandando recado, de forma incisiva, para os adversários no pleito que se aproxima.  
"Fomos eleitos com a maior votação da história desse estado. A oposição já tinha até terno comprado. O terno está pendurado até hoje e continuará pendurado porque Belivaldo será o governador. É preciso conhecer a história de cada candidato. Quem não tiver compromisso com a ética, retire-se do processo eleitoral porque será rejeitado pelo povo. Essa festa ultrapassa o PSD, é a festa daqueles que têm compromisso do estado. Sergipe não é casa de mãe Joana. Vim de uma família extremamente pobre. Fui eleito para cuidar de meu estado e estamos deixando obras de ponta a ponta de Sergipe. Cheguei a anunciar que não seria candidato, mas aceitei o desafio porque o Brasil não é o mesmo de quatro anos atrás. O País precisa de democratas para defender o estado de direito democrático, a democracia. Por isso que estou de volta".Prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira fez questão de reafirmar o apoio à candidatura de Belivaldo, afastando rumores de uma possível aliança com a oposição. "Ver o crescimento do PSD em Sergipe me dá um grande orgulho. O partido tem ganhado protagonismo na política do Brasil e venho aqui reafirmar o meu compromisso na pré-candidatura de Belivaldo Chagas ao governo do Estado".Deputado federal pelo PSD e liderança do partido em Sergipe, Fábio Mitidieri não escondeu a alegria em receber novos filiados na sigla que comanda juntamente com o pai, o deputado estadual Luiz Mitidieri. "Grande satisfação em receber hoje a filiação do vice-governador Belivaldo Chagas e dos deputados Robson Viana e Goretti Reis, além de diversas outras lideranças em nosso PSD. Sejam todos bem vindos e vamos à luta!".
Participaram também da filiação,  o deputado federal Fábio Reis; o deputado estadual Garibalde Mendonça; a vice-prefeita Eliane Aquino; presidente da Câmara de Vereadores de Aracaju, Nitinho Vitale; a presidente do PSD Mulher de Sergipe, Maísa Mitidieri, diversos prefeitos e vereadores do interior do estado.
Histórico - Natural de Simão Dias, Belivaldo Chagas exerceu a função de secretário da Casa Civil. É Defensor Público aposentado, foi deputado estadual por quatro legislaturas, secretário de Estado da Articulação com os Municípios, coordenador Geral do Projeto Nordeste, diretor presidente da Segrase e secretário de Estado de Educação, função na qual se destacou pela reestruturação das escolas estaduais e por sanear financeiramente a Secretaria de Educação (Seed). Exerceu o cargo de vice-governador no primeiro mandato do governador Marcelo Déda e, em 2014, foi eleito vice-governador.