Alese terá novas bancadas

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 08/04/2018 às 00:59:00

Com a mudança de governo no Palácio de Despachos, algumas novidades também acontecem na Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese). Isto porque alguns deputados trocaram de partidos, aproveitando a janela partidária aberta pela Lei Eleitoral e vencida à meia-noite de sábado. Oficialmente, a Mesa Diretora da Alese deve ser comunicada pelos deputados sobre suas novas legendas. Nos bastidores, é dada como certa a formação de três bancadas na Casa, com o surgimento de um bloco de deputados independentes, isto é, que não têm ligações políticas com o governo MDB-PSD e nem com a oposição liderada por PSC e PSDB.

O "bloco independente" deve ser puxado por Georgeo Passos, que é o atual líder da oposição, mas trocou o PTC, ligado à oposição, pela Rede Sustentabilidade, de centro-esquerda e ligada ao ex-vereador Emerson Ferreira, pré-candidato a governador.  O novo partido puxou também o deputado Moritos Matos e pode contar com o apoio do PSB, que rompeu oficialmente com o PSC do deputado André Moura e continua fazendo oposição a Jackson. "A oposição manterá o seu trabalho, trabalhando com coerência e responsabilidade, e vamos manter nossa oposição da mesma forma, sem fazer o 'quanto pior melhor'", disse Georgeo, desejando que Belivaldo Chagas tenha sucesso no governo e "não seja uma continuação do que foi o governo Jackson Barreto".

Apesar da perda de Georgeo, o PSC ganhou outras cadeiras e passou a ter a maior bancada, com seis deputados, podendo encabeçar o bloco de oposição. A ela, uniram-se os deputados Venâncio Fonseca (ex-PP), Gilmar Carvalho (ex-Solidariedade), Capitão Samuel (ex-PSL), Vanderbal Marinho (ex-PTC) e Paulinho das Varzinhas (ex-PT do B). E o PSD, do recém-chegado Belivaldo, conta já com quatro deputados, contando as adesões de Robson Viana e Goretti Reis. O partido tem chances de encabeçar a liderança da situação, que é ocupada atualmente pelo PT. O atual líder, Francisco Gualberto, já se considera fora do posto e diz que vai aguardar ser chamado por Belivaldo. "Eu estava liderando o governo Jackson Barreto, que já se findou. Agora, depende das iniciativas do novo governador e é ele quem vai indicar. Não tem candidato ao cargo. A partir de segunda-feira é que teremos o quadro mais delineado. Cada dia com sua agonia", desconversou Gualberto.  (Gabriel Damásio)