ITPS vai iniciar fiscalização em plataformas de petróleo de Sergipe

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Os computadores medidores de vazão instalados em plataformas marítimas serão fiscalizados
Os computadores medidores de vazão instalados em plataformas marítimas serão fiscalizados

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 10/04/2018 às 05:27:00

 

O Instituto Tecnológi-
co e de Pesquisas 
do Estado de Sergipe (ITPS) - Órgão Delegado do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) vai iniciar a fiscalização dos computadores medidores de vazão instalados em plataformas marítimas, usinas de álcool, poços de petróleo e distribuidoras de combustível instalados em Sergipe.
Essa ação atende a uma determinação do Inmetro, que convocou cinco dos maiores estados produtores de petróleo do país (Rio de Janeiro, São Paulo, São Paulo, Espírito Santo, Amazonas e Bahia) para atuar em parceria com a Agência Nacional de Petróleo (ANP) no controle da produção nacional.
Fiscais do Inmetro em vários estados vão fazer a verificação dos computadores medidores de vazão. Esses equipamentos registram e informam a quantidade de petróleo produzida nas plataformas e nos locais de produção em terra, assim como o volume gerado nas distribuidoras de combustível.
"Essa fiscalização visa garantir a correta medição dos volumes de petróleo e gás natural e a integridade destes dados. Nas áreas de distribuição os medidores atuam como grandes bombas de combustível que calculam o valor do volume comercializado. Já nas áreas de produção o instrumento indica e transmite (para a ANP) a quantidade diária produzida. Sobre essa quantidade incidem cálculos de royalties, e por isso, a relevância de verificar o funcionamento correto desses equipamentos", explica o gerente executivo de metrologia e qualidade do ITPS, Moater Paulon.
A etapa inicial do processo de deflagração das fiscalizações envolve a capacitação dos agentes fiscais. A primeira ação ocorreu em março, durante o Encontro Nacional do Inmetro em Vitória-ES, quando os fiscais participaram de palestras com representantes da Agência Nacional de Petróleo, Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz), do Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo (Ipem/SP) e do Inmetro. Nos próximos meses, os fiscais passarão por capacitações técnicas para verificação do equipamento e também por cursos de segurança em plataformas, conforme exigidos pelas empresas petrolíferas. A partir dessa fase, as equipes do ITPS iniciarão as fiscalizações, mantendo um calendário de ações em acordo com a ANP.
Para o diretor-presidente do ITPS, Léo Araújo, a fiscalização nos campos marítimos e terrestres de produção de petróleo e gás consolida a importância do convênio ITPS/Inmetro para a economia de Sergipe. "Esse novo tipo de fiscalização amplia a atuação do ITPS e consolida a importância do convênio com o Inmetro para realização das atividades de verificação metrológica e o desenvolvimento socioeconômico de Sergipe", destaca.
Petróleo e gás em SE - Uma análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), mostrou que a produção de petróleo no estado, em 2017, atingiu 8,7 milhões bep. Deste total, aproximadamente 1,9 milhão de barris, ou 22,4%, foram extraídos do mar.
Já a produção de gás natural, ficou em aproximadamente 5,1 milhões de barris equivalentes de petróleo (bep). A produção em mar continuou sendo a principal fonte de produção, somando mais de 4,8 milhões de barris, abrangendo 93,8% do total produzido em Sergipe, ao longo de 2017.

O Instituto Tecnológi- co e de Pesquisas  do Estado de Sergipe (ITPS) - Órgão Delegado do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) vai iniciar a fiscalização dos computadores medidores de vazão instalados em plataformas marítimas, usinas de álcool, poços de petróleo e distribuidoras de combustível instalados em Sergipe.
Essa ação atende a uma determinação do Inmetro, que convocou cinco dos maiores estados produtores de petróleo do país (Rio de Janeiro, São Paulo, São Paulo, Espírito Santo, Amazonas e Bahia) para atuar em parceria com a Agência Nacional de Petróleo (ANP) no controle da produção nacional.Fiscais do Inmetro em vários estados vão fazer a verificação dos computadores medidores de vazão. Esses equipamentos registram e informam a quantidade de petróleo produzida nas plataformas e nos locais de produção em terra, assim como o volume gerado nas distribuidoras de combustível.
"Essa fiscalização visa garantir a correta medição dos volumes de petróleo e gás natural e a integridade destes dados. Nas áreas de distribuição os medidores atuam como grandes bombas de combustível que calculam o valor do volume comercializado. Já nas áreas de produção o instrumento indica e transmite (para a ANP) a quantidade diária produzida. Sobre essa quantidade incidem cálculos de royalties, e por isso, a relevância de verificar o funcionamento correto desses equipamentos", explica o gerente executivo de metrologia e qualidade do ITPS, Moater Paulon.
A etapa inicial do processo de deflagração das fiscalizações envolve a capacitação dos agentes fiscais. A primeira ação ocorreu em março, durante o Encontro Nacional do Inmetro em Vitória-ES, quando os fiscais participaram de palestras com representantes da Agência Nacional de Petróleo, Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz), do Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo (Ipem/SP) e do Inmetro. Nos próximos meses, os fiscais passarão por capacitações técnicas para verificação do equipamento e também por cursos de segurança em plataformas, conforme exigidos pelas empresas petrolíferas. A partir dessa fase, as equipes do ITPS iniciarão as fiscalizações, mantendo um calendário de ações em acordo com a ANP.
Para o diretor-presidente do ITPS, Léo Araújo, a fiscalização nos campos marítimos e terrestres de produção de petróleo e gás consolida a importância do convênio ITPS/Inmetro para a economia de Sergipe. "Esse novo tipo de fiscalização amplia a atuação do ITPS e consolida a importância do convênio com o Inmetro para realização das atividades de verificação metrológica e o desenvolvimento socioeconômico de Sergipe", destaca.
Petróleo e gás em SE - Uma análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), mostrou que a produção de petróleo no estado, em 2017, atingiu 8,7 milhões bep. Deste total, aproximadamente 1,9 milhão de barris, ou 22,4%, foram extraídos do mar.
Já a produção de gás natural, ficou em aproximadamente 5,1 milhões de barris equivalentes de petróleo (bep). A produção em mar continuou sendo a principal fonte de produção, somando mais de 4,8 milhões de barris, abrangendo 93,8% do total produzido em Sergipe, ao longo de 2017.