Postos de combustíveis são fiscalizados pela Sema

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Fiscais da Sema observam situação de postos de combustíveis da capital
Fiscais da Sema observam situação de postos de combustíveis da capital

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 11/04/2018 às 05:44:00

 

A Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Sema) realizou, por meio do Departamento de Licenciamento Ambiental (DLA), na manhã desta terça-feira, vistorias em postos situados nos bairros Dezoito do Forte e Salgado Filho. Na ação, foram verificadas questões ambientais do estabelecimento e constatadas informações e documentações apresentadas à Sema, durante a solicitação do Licenciamento Ambiental e renovação da licença do empreendimento.
 De acordo com o fiscal ambiental, Bruno Gomes, é na vistoria que certifica se o posto de combustível está ambientalmente correto conforme as exigências apresentadas nas legislações ambientais específicas ao empreendimento. Caso sejam identificados erros, "a Sema informa e solicita a correção dos problemas verificados, estabelecendo prazos para a solução. Depois, são realizadas novas vistorias para analisar se o posto já adequou suas atividades em favor do meio ambiente. A partir disso, a Sema determina se a licença vai ser renovada ou não", explica.
 A renovação da licença ambiental dos postos de combustíveis ou de qualquer outro empreendimento é feita quando já estão em operação, em que o responsável entra com o pedido da renovação 120 dias antes do término do prazo da licença ambiental. Conforme o analista ambiental da Sema, Simeão Messias, na renovação dos postos de combustíveis, o órgão recebe dados de monitoramentos, relatórios e comprovantes ao longo do processo de licença, em que avalia se cumpriram com todas as condicionantes específicas durante o período da licença. Nesse período, é constatado se está ou não ocorrendo vazamentos nos postos ou se possuem situações que possam gerar impactos ambientais.
O Licenciamento Ambiental é um procedimento administrativo, pelo qual a Sema licencia a localização, instalação, ampliação e a operação de empreendimentos e atividades que demandam o uso de recursos ambientais, considerados efetivos ou potencialmente poluidores, ou daqueles que possam causar degradação ambiental.

A Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Sema) realizou, por meio do Departamento de Licenciamento Ambiental (DLA), na manhã desta terça-feira, vistorias em postos situados nos bairros Dezoito do Forte e Salgado Filho. Na ação, foram verificadas questões ambientais do estabelecimento e constatadas informações e documentações apresentadas à Sema, durante a solicitação do Licenciamento Ambiental e renovação da licença do empreendimento.
 De acordo com o fiscal ambiental, Bruno Gomes, é na vistoria que certifica se o posto de combustível está ambientalmente correto conforme as exigências apresentadas nas legislações ambientais específicas ao empreendimento. Caso sejam identificados erros, "a Sema informa e solicita a correção dos problemas verificados, estabelecendo prazos para a solução. Depois, são realizadas novas vistorias para analisar se o posto já adequou suas atividades em favor do meio ambiente. A partir disso, a Sema determina se a licença vai ser renovada ou não", explica.
 A renovação da licença ambiental dos postos de combustíveis ou de qualquer outro empreendimento é feita quando já estão em operação, em que o responsável entra com o pedido da renovação 120 dias antes do término do prazo da licença ambiental. Conforme o analista ambiental da Sema, Simeão Messias, na renovação dos postos de combustíveis, o órgão recebe dados de monitoramentos, relatórios e comprovantes ao longo do processo de licença, em que avalia se cumpriram com todas as condicionantes específicas durante o período da licença. Nesse período, é constatado se está ou não ocorrendo vazamentos nos postos ou se possuem situações que possam gerar impactos ambientais.
O Licenciamento Ambiental é um procedimento administrativo, pelo qual a Sema licencia a localização, instalação, ampliação e a operação de empreendimentos e atividades que demandam o uso de recursos ambientais, considerados efetivos ou potencialmente poluidores, ou daqueles que possam causar degradação ambiental.