Em Sergipe não há casos de infecção causada por novo vírus da gripe

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 11/04/2018 às 06:18:00

 

A Secretaria de Estado da 
Saúde (SES) tranquiliza 
a população e informa que, até o momento, não foram confirmados em Sergipe casos de infecção causada pelo vírus H3N2, que, assim como o vírus H1N1 é também um tipo de influenza, conhecida popularmente como gripe. Segundo a infectologista Manuela Santiago, muitas pessoas, principalmente as crianças, têm apresentado gripe em decorrência das mudanças bruscas de temperatura da época, mas não há motivo para pânico.
 "O Lacen (Laboratório Central de Saúde Pública de Sergipe) faz constantemente este tipo de investigação e, até o momento, não foi registrado nenhum caso de infecção causada pelo H3N2, que é da classe da influenza. E o H3N2 não é um vírus novo no Brasil. As unidades de saúde realmente têm registrado uma demanda um pouco maior de pacientes com gripe, principalmente crianças, mas é porque estamos em um período de mudanças de temperatura e isso causa o aparecimento de doenças respiratórias e, inclusive, de pneumonias. Mas não há motivos para pânico", ressalta.
A infectologista explica ainda que a imunização contra o vírus H3N2 está na vacina contra a influenza e que a população também pode se prevenir da gripe tomando alguns cuidados. "Anualmente há campanha em todo o país contra a gripe e ela também faz a imunização contra o vírus H3N2. Além da vacina, as pessoas podem também tomar alguns cuidados para não serem infectadas pela gripe, como manter a alimentação e hábitos saudáveis, se hidratar corretamente, higienizar as mãos e evitar ficar em locais fechados. Porém, se a gripe persistir e evoluir o recomendado é procurar assistência médica", disse Manuela.
Campanha de vacinação - E a Campanha Nacional de Vacinação Contra a Influenza, promovida pelo Ministério da Saúde (MS) será realizada este ano de 23 de abril a 1º de junho, tendo o 12 de maio como o "Dia D" da mobilização. A vacina, como informa Sândala Teles, gerente do Núcleo de Imunização da SES, é trivalente e protege contra três vírus: o H1N1, H3N2 e a influenza B.
 "Esses três vírus são os que mais estão circulando no país e as pessoas devem se programar para ir às unidades de saúde para serem vacinadas. O Ministério da Saúde enviará 562.700 mil doses da vacina para Sergipe e a meta é vacinar 460 mil pessoas, número que corresponde a 90% da população geral", conta.
Os grupos prioritários a serem vacinados contra a influenza são compostos por crianças de seis meses e menores de cinco anos, indivíduos com 60 anos ou mais de idade, gestantes em qualquer período gestacional, puérperas no período de 45 dias após o parto, trabalhadores da saúde, professores de escolas públicas e privadas, povos indígenas, população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional e pessoas portadoras de doenças crônicas e outras condições clínicas especiais.

A Secretaria de Estado da  Saúde (SES) tranquiliza  a população e informa que, até o momento, não foram confirmados em Sergipe casos de infecção causada pelo vírus H3N2, que, assim como o vírus H1N1 é também um tipo de influenza, conhecida popularmente como gripe. Segundo a infectologista Manuela Santiago, muitas pessoas, principalmente as crianças, têm apresentado gripe em decorrência das mudanças bruscas de temperatura da época, mas não há motivo para pânico.
 "O Lacen (Laboratório Central de Saúde Pública de Sergipe) faz constantemente este tipo de investigação e, até o momento, não foi registrado nenhum caso de infecção causada pelo H3N2, que é da classe da influenza. E o H3N2 não é um vírus novo no Brasil. As unidades de saúde realmente têm registrado uma demanda um pouco maior de pacientes com gripe, principalmente crianças, mas é porque estamos em um período de mudanças de temperatura e isso causa o aparecimento de doenças respiratórias e, inclusive, de pneumonias. Mas não há motivos para pânico", ressalta.
A infectologista explica ainda que a imunização contra o vírus H3N2 está na vacina contra a influenza e que a população também pode se prevenir da gripe tomando alguns cuidados. "Anualmente há campanha em todo o país contra a gripe e ela também faz a imunização contra o vírus H3N2. Além da vacina, as pessoas podem também tomar alguns cuidados para não serem infectadas pela gripe, como manter a alimentação e hábitos saudáveis, se hidratar corretamente, higienizar as mãos e evitar ficar em locais fechados. Porém, se a gripe persistir e evoluir o recomendado é procurar assistência médica", disse Manuela.
Campanha de vacinação - E a Campanha Nacional de Vacinação Contra a Influenza, promovida pelo Ministério da Saúde (MS) será realizada este ano de 23 de abril a 1º de junho, tendo o 12 de maio como o "Dia D" da mobilização. A vacina, como informa Sândala Teles, gerente do Núcleo de Imunização da SES, é trivalente e protege contra três vírus: o H1N1, H3N2 e a influenza B.
 "Esses três vírus são os que mais estão circulando no país e as pessoas devem se programar para ir às unidades de saúde para serem vacinadas. O Ministério da Saúde enviará 562.700 mil doses da vacina para Sergipe e a meta é vacinar 460 mil pessoas, número que corresponde a 90% da população geral", conta.
Os grupos prioritários a serem vacinados contra a influenza são compostos por crianças de seis meses e menores de cinco anos, indivíduos com 60 anos ou mais de idade, gestantes em qualquer período gestacional, puérperas no período de 45 dias após o parto, trabalhadores da saúde, professores de escolas públicas e privadas, povos indígenas, população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional e pessoas portadoras de doenças crônicas e outras condições clínicas especiais.