Corpo técnico do TCE irá apurar denúncias sobre Centro de Nefrologia do Huse

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 12/04/2018 às 06:47:00

 

As denúncias de que o novo Centro de Nefrologia do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) foi inaugurado com obras ainda inacabadas, levaram o Tribunal de Contas do Estado (TCE) a decidir efetuar uma auditoria especial na unidade.
Os trabalhos serão conduzidos pela equipe da 3ª Coordenadoria de Controle e Inspeção (CCI), Área de Auditoria Governamental de onde partiu a iniciativa da realização de auditoria especial, que terá o conselheiro Luiz Augusto Ribeiro como relator, por se tratar, a Secretaria de Estado da Saúde, de unidade gestora jurisdicionada pela 3ª CCI.
Na instrumentalização do Requerimento, foi consignado que, por conta da inauguração, "circulou na mídia uma série de propagandas do Governo do Estado e da Secretaria de Saúde que devem ser examinadas no que se refere ao quantum de despesa pública foi utilizada com o citado evento".
Por se tratar de serviços de engenharia na área da saúde, a Coordenadoria solicitou ao relator que a equipe da inspeção tenha entre seus integrantes um analista de controle externo II - da Área de Engenharia, informando, ainda, da necessidade de convocação de um enfermeiro para participar da realização da auditoria.
Processo seletivo - O TCE/SE também fará uma auditoria especial no Processo Seletivo Simplificado (PSS) lançado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde, para a contratação temporária de 1997 profissionais de nível superior, médio e técnico, além da formação de cadastro de reserva.
O pedido de realização da auditoria especial foi provocado pela equipe técnica da 3ª Coordenadoria de Controle e Inspeção (CCI) e autorizado pelo conselheiro Luiz Augusto Ribeiro, que é relator dos processos da área de controle da qual faz parte a Saúde estadual.
Em requerimento assinado por seis analistas de controle externo II - Área de Auditoria Governamental, é destacada a crise financeira vivenciada pelo Estado, bem como o comprometimento de 47,65% da sua receita corrente líquida em despesa com pessoal, o que, em tese, pode constituir fator impeditivo às futuras contratações, com as exceções legalmente estabelecidas.
Na diligência encaminhada à Secretaria de Estado da Saúde, o Tribunal solicita toda a documentação que deu suporte ao Processo Seletivo efetivado através do Edital nº 01/2018, a exemplo do parecer jurídico, justificativa e demais peças pertinentes ao procedimento de contratação.

As denúncias de que o novo Centro de Nefrologia do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) foi inaugurado com obras ainda inacabadas, levaram o Tribunal de Contas do Estado (TCE) a decidir efetuar uma auditoria especial na unidade.
Os trabalhos serão conduzidos pela equipe da 3ª Coordenadoria de Controle e Inspeção (CCI), Área de Auditoria Governamental de onde partiu a iniciativa da realização de auditoria especial, que terá o conselheiro Luiz Augusto Ribeiro como relator, por se tratar, a Secretaria de Estado da Saúde, de unidade gestora jurisdicionada pela 3ª CCI.
Na instrumentalização do Requerimento, foi consignado que, por conta da inauguração, "circulou na mídia uma série de propagandas do Governo do Estado e da Secretaria de Saúde que devem ser examinadas no que se refere ao quantum de despesa pública foi utilizada com o citado evento".
Por se tratar de serviços de engenharia na área da saúde, a Coordenadoria solicitou ao relator que a equipe da inspeção tenha entre seus integrantes um analista de controle externo II - da Área de Engenharia, informando, ainda, da necessidade de convocação de um enfermeiro para participar da realização da auditoria.
Processo seletivo - O TCE/SE também fará uma auditoria especial no Processo Seletivo Simplificado (PSS) lançado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde, para a contratação temporária de 1997 profissionais de nível superior, médio e técnico, além da formação de cadastro de reserva.
O pedido de realização da auditoria especial foi provocado pela equipe técnica da 3ª Coordenadoria de Controle e Inspeção (CCI) e autorizado pelo conselheiro Luiz Augusto Ribeiro, que é relator dos processos da área de controle da qual faz parte a Saúde estadual.
Em requerimento assinado por seis analistas de controle externo II - Área de Auditoria Governamental, é destacada a crise financeira vivenciada pelo Estado, bem como o comprometimento de 47,65% da sua receita corrente líquida em despesa com pessoal, o que, em tese, pode constituir fator impeditivo às futuras contratações, com as exceções legalmente estabelecidas.
Na diligência encaminhada à Secretaria de Estado da Saúde, o Tribunal solicita toda a documentação que deu suporte ao Processo Seletivo efetivado através do Edital nº 01/2018, a exemplo do parecer jurídico, justificativa e demais peças pertinentes ao procedimento de contratação.