'Não entendo a existência de nenhum tipo de preconceito', diz Patrícia Pillar

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Patrícia Pillar interpreta a ex-baronesa Constância
Patrícia Pillar interpreta a ex-baronesa Constância

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 02/10/2012 às 15:09:00

Refinada e ardilosa. Dedicada e controladora. Constância, personagem de Patrícia Pillar, é uma mulher de contraste marcante, presa à tradição e que coloca o poder e a família acima de tudo. De acordo com a atriz, Constância é uma ex-baronesa inconformada com as mudanças dos novos tempos. "Ela tem uma origem nobre, acostumada à vida de regalias que tinha no Império. Ela representa o que hoje é parte da nossa elite: egoísta, sem senso de justiça e nenhuma sensibilidade social", afirma. Tanto é assim, que Constância não aceita a amizade de sua filha Laura (Marjorie Estiano) com uma moça negra e filha de um ex-escravo, Isabel (Camila Pitanga). Atitude considerada inaceitável pela atriz: "Não entendo a existência de nenhum tipo de preconceito".

Como todo bom personagem, a ex-baronesa não se encaixa em um estereótipo maniqueísta. "A Constância tem características de uma mocinha. Ela é doce e feminina, mas ao mesmo tempo é egoísta, vaidosa, fútil, reacionária e extremamente preconceituosa", revela Patrícia Pillar.

Vivendo de aparências,  a ex-baronesa vê o ingresso do marido na carreira política como a chance de dar a volta por cima e recuperar o prestígio perdido junto com o título de nobreza, custe o que custar. "Ela é uma falsa moralista e será capaz de muitas maldades para lutar pelo que ela realmente acredita que seja a salvação de sua família e a felicidade de sua filha. Ela ama os filhos e quer que eles sejam felizes. Só que ela entende o conceito de felicidade a sua maneira. A Constância tem uma visão obtusa e conservadora. Eu não compartilho da opinião da Constância de que os fins justifiquem os meios", explica a atriz.

Para interpretar uma mulher do início do século XX, Patrícia Pillar conta que se baseou no material apresentado pelos autores. "O texto do João Ximenez Braga e Claudia Lage é maravilhoso. Todas as respostas que eu preciso estão lá", diz. Extremamente elegante, a ex-baronesa está sempre impecável, até mesmo para ficar em casa. "O figurino da Beth Filipecki é riquíssimo, delicado, com muitas rendas e tons pasteis. A caracterização da Carmem Bastos, os cenários de Mário Monteiro, a produção de arte de Nininha Médicise a fotografia de Walter Carvalho e Daniel José dos Santos complementam a beleza desta produção, feita de forma tão cuidadosa", elogia a atriz.

Boa ou má, Constância já caiu no gosto do público por armar situações improváveis para alcançar seus objetivos. A atriz também comemora o sucesso de sua personagem. "Temos uma linda história pra contar. Amor, amizade, coragem, superação e desejo de justiça e liberdade. Tudo isso mostrado de forma extremamente elaborada. É muito gostoso estar neste time, que faz tudo com tanto capricho e entusiasmo!", completa Patrícia. Não perca as emoções de Lado a Lado!