Vereador Cabo Amintas é julgado por tentativa de homicídio

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 13/04/2018 às 07:42:00

 

O vereador Cabo Amintas (PTB) foi julgado durante todo o dia de ontem pelo 2º Tribunal do Júri da Comarca de Aracaju, no Fórum Gumercindo Bessa. Ele foi acusado por uma tentativa de homicídio qualificado, cometida em maio de 2005 no bairro Ponto Novo (zona oeste). Na ocasião, o músico Marcos Eduardo Moraes Soares foi ferido com um tiro na cabeça e sobreviveu depois de ficar vários dias internado. Amintas era soldado da Polícia Militar na época e, no momento do incidente, estava acompanhado pelo também policial Antônio Matos Neto, que morreu no ano passado,
Segundo a denúncia do Ministério Público, Amintas teria instigado Antônio a atirar contra o músico, com quem tinha uma desavença causada por boatos supostamente espalhados pela vítima e por uma dívida referente à compra de um veículo. Marcos foi uma das 10 testemunhas que prestaram depoimento ao juiz Sérgio Fortuna de Mendonça, que presidiu o julgamento. Ele manteve as acusações contra o cabo, mas disse que espera por justiça, seja qual for o resultado.
O advogado de defesa do vereador, Aurélio Belém, argumentou que Amintas não foi o responsável pela tentativa de homicídio, nem disparando a arma e nem instigando o colega a atirar. Segundo o defensor, Amintas apenas acompanhava Matos e não tinha conhecimento do que ele iria fazer naquele momento. Ainda de acordo com Aurélio, algumas testemunhas e a própria vítima caíram em contradições durante o julgamento, ao darem informações diferentes do que disseram em depoimentos anteriores à polícia e em juízo. 
Os debates entre acusação e defesa terminaram por volta das 20h. Até o fechamento desta edição, os jurados estavam reunidos em uma sala secreta do Fórum para decidir a sentença. A depender do resultado, as bancas de acusação e defesa ainda podem recorrer ao Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE). (Gabriel Damásio)

O vereador Cabo Amintas (PTB) foi julgado durante todo o dia de ontem pelo 2º Tribunal do Júri da Comarca de Aracaju, no Fórum Gumercindo Bessa. Ele foi acusado por uma tentativa de homicídio qualificado, cometida em maio de 2005 no bairro Ponto Novo (zona oeste). Na ocasião, o músico Marcos Eduardo Moraes Soares foi ferido com um tiro na cabeça e sobreviveu depois de ficar vários dias internado. Amintas era soldado da Polícia Militar na época e, no momento do incidente, estava acompanhado pelo também policial Antônio Matos Neto, que morreu no ano passado,
Segundo a denúncia do Ministério Público, Amintas teria instigado Antônio a atirar contra o músico, com quem tinha uma desavença causada por boatos supostamente espalhados pela vítima e por uma dívida referente à compra de um veículo. Marcos foi uma das 10 testemunhas que prestaram depoimento ao juiz Sérgio Fortuna de Mendonça, que presidiu o julgamento. Ele manteve as acusações contra o cabo, mas disse que espera por justiça, seja qual for o resultado.
O advogado de defesa do vereador, Aurélio Belém, argumentou que Amintas não foi o responsável pela tentativa de homicídio, nem disparando a arma e nem instigando o colega a atirar. Segundo o defensor, Amintas apenas acompanhava Matos e não tinha conhecimento do que ele iria fazer naquele momento. Ainda de acordo com Aurélio, algumas testemunhas e a própria vítima caíram em contradições durante o julgamento, ao darem informações diferentes do que disseram em depoimentos anteriores à polícia e em juízo. 
Os debates entre acusação e defesa terminaram por volta das 20h. Até o fechamento desta edição, os jurados estavam reunidos em uma sala secreta do Fórum para decidir a sentença. A depender do resultado, as bancas de acusação e defesa ainda podem recorrer ao Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE). (Gabriel Damásio)