MP apresenta nova denúncia contra Machado na 'Caça-Fantasma'

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 16/04/2018 às 05:23:00

 

O Ministério Público de Sergipe (MPSE) impetrou nesta sexta-feira mais uma denúncia relacionada à 'Operação Caça-Fantasma', que apura a contratação irregular de servidores fantasmas em cargos comissionados da Prefeitura de Aracaju, durante a gestão João Alves Filho (2013-2016). O processo se refere a outros seis servidores lotados no gabinete do ex-vice prefeito de Aracaju, José Carlos Machado (PSDB).
Além de Machado, do ex-prefeito João Alves Filho e da ex-secretária Marlene Alves Calumby, foram citados como réus os ex-servidores Charles José Rodrigues Júnior, Edson Leal Menezes Filho, Eliziario Silveira Sobral Filho, José Américo Sobral, José Armando Alves Santos e Nilo de Oliveira. Todos foram acusados pelo crime de peculato, pois, de acordo com o MP, teriam recebido salários do Município sem trabalhar efetivamente no gabinete. O processo ainda será analisado pela 2ª Vara Criminal de Aracaju, que já acolheu cerca de 12 denúncias semelhantes relacionadas à Caça-Fantasma. 
O advogado Evânio Moura, que faz a defesa de José Carlos Machado, informou que ele só vai se pronunciar depois que tiver acesso a denúncia.

O Ministério Público de Sergipe (MPSE) impetrou nesta sexta-feira mais uma denúncia relacionada à 'Operação Caça-Fantasma', que apura a contratação irregular de servidores fantasmas em cargos comissionados da Prefeitura de Aracaju, durante a gestão João Alves Filho (2013-2016). O processo se refere a outros seis servidores lotados no gabinete do ex-vice prefeito de Aracaju, José Carlos Machado (PSDB).
Além de Machado, do ex-prefeito João Alves Filho e da ex-secretária Marlene Alves Calumby, foram citados como réus os ex-servidores Charles José Rodrigues Júnior, Edson Leal Menezes Filho, Eliziario Silveira Sobral Filho, José Américo Sobral, José Armando Alves Santos e Nilo de Oliveira. Todos foram acusados pelo crime de peculato, pois, de acordo com o MP, teriam recebido salários do Município sem trabalhar efetivamente no gabinete. O processo ainda será analisado pela 2ª Vara Criminal de Aracaju, que já acolheu cerca de 12 denúncias semelhantes relacionadas à Caça-Fantasma. 
O advogado Evânio Moura, que faz a defesa de José Carlos Machado, informou que ele só vai se pronunciar depois que tiver acesso a denúncia.