Mudanças na Copa do Nordeste 2019

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Dirigentes de clubes e da Liga do Nordeste se reúnem em Salvador e definem mudanças no formato da competição
Dirigentes de clubes e da Liga do Nordeste se reúnem em Salvador e definem mudanças no formato da competição

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 16/04/2018 às 06:02:00

 

Dirigentes da Liga do 
Nordeste estive-
ram reunidos em Salvador esta semana, quando aprovaram algumas modificações radicais no formato de disputa da Copa do Nordeste para a competição do próximo ano. Os clubes da Liga do Nordeste definiram que seguirão unidos e valorizando a Copa do Nordeste. Mas a competição terá que mudar definitivamente a partir de 2020, segundo a formulação dos dirigentes.
A competição de 2019, portanto, seria de transição. A reunião em Salvador, serviu para definir uma proposta, que será aprovada ou não em nova reunião da Liga do Nordeste, dia 3 de maio, no Recife. Até lá, os clubes se reunirão com federações e com a CBF, para conseguir mais duas datas para o regional no calendário. Se isso for aprovado, estará dado o aval para o novo formato entrar em vigor.
A proposta - A edição do ano que vem manterá 16 times na fase de grupos e 20 no total - sem mexer na seletiva entre oito clubes prevista para este mês de abril -, respeitando os critérios de classificação definidos nos estaduais deste ano. Mas as 16 equipes serão divididas em dois grupos de oito, e não mais em quatro chaves com quatro. Os confrontos da 1ª fase serão entre um grupo e outro. Ou seja, oito jogos para cada time.
A ideia é que os grandes da Bahia, Pernambuco e Ceará - Bahia e Vitória, Santa Cruz e Náutico, Ceará e Fortaleza - fiquem em grupos diferentes. Assim, os clássicos estariam garantidos na 1ª fase. Desfiliado da Liga do Nordeste, o Sport não participou da reunião, e sua diretoria já declarou que não pretende jogar o torneio em 2019.
Quatro times avançariam para as quartas de final em cada grupo, e dois de cada chave seriam rebaixados, embora não haja uma segunda divisão propriamente dita. Quartas de final, semifinais e final seriam disputadas em jogos de ida e volta. Com isso, o torneio cresceria, excepcionalmente no ano que vem, de 12 para 14 datas.
A partir de 2020, a Copa do Nordeste passaria a contar com 12 times na fase de grupos, apenas, e 12 datas no total. Os quatro rebaixados disputariam no mesmo ano um mata-mata com outras equipes classificadas pelos estaduais. Esses confrontos seriam playoffs para definir os quatro clubes que jogariam o torneio no ano subsequente.
O presidente da Liga do Nordeste, Alexi Portela, salienta que a proposta ainda não foi aprovada. "A reunião não foi para isso. Alguns clubes apresentaram essa proposta para os demais e discutiram ela. O que foi aprovado, de fato, foram as cotas da edição 2019", disse. 

Dirigentes da Liga do  Nordeste estive- ram reunidos em Salvador esta semana, quando aprovaram algumas modificações radicais no formato de disputa da Copa do Nordeste para a competição do próximo ano. Os clubes da Liga do Nordeste definiram que seguirão unidos e valorizando a Copa do Nordeste. Mas a competição terá que mudar definitivamente a partir de 2020, segundo a formulação dos dirigentes.
A competição de 2019, portanto, seria de transição. A reunião em Salvador, serviu para definir uma proposta, que será aprovada ou não em nova reunião da Liga do Nordeste, dia 3 de maio, no Recife. Até lá, os clubes se reunirão com federações e com a CBF, para conseguir mais duas datas para o regional no calendário. Se isso for aprovado, estará dado o aval para o novo formato entrar em vigor.
A proposta - A edição do ano que vem manterá 16 times na fase de grupos e 20 no total - sem mexer na seletiva entre oito clubes prevista para este mês de abril -, respeitando os critérios de classificação definidos nos estaduais deste ano. Mas as 16 equipes serão divididas em dois grupos de oito, e não mais em quatro chaves com quatro. Os confrontos da 1ª fase serão entre um grupo e outro. Ou seja, oito jogos para cada time.
A ideia é que os grandes da Bahia, Pernambuco e Ceará - Bahia e Vitória, Santa Cruz e Náutico, Ceará e Fortaleza - fiquem em grupos diferentes. Assim, os clássicos estariam garantidos na 1ª fase. Desfiliado da Liga do Nordeste, o Sport não participou da reunião, e sua diretoria já declarou que não pretende jogar o torneio em 2019.
Quatro times avançariam para as quartas de final em cada grupo, e dois de cada chave seriam rebaixados, embora não haja uma segunda divisão propriamente dita. Quartas de final, semifinais e final seriam disputadas em jogos de ida e volta. Com isso, o torneio cresceria, excepcionalmente no ano que vem, de 12 para 14 datas.
A partir de 2020, a Copa do Nordeste passaria a contar com 12 times na fase de grupos, apenas, e 12 datas no total. Os quatro rebaixados disputariam no mesmo ano um mata-mata com outras equipes classificadas pelos estaduais. Esses confrontos seriam playoffs para definir os quatro clubes que jogariam o torneio no ano subsequente.
O presidente da Liga do Nordeste, Alexi Portela, salienta que a proposta ainda não foi aprovada. "A reunião não foi para isso. Alguns clubes apresentaram essa proposta para os demais e discutiram ela. O que foi aprovado, de fato, foram as cotas da edição 2019", disse.