Taxa básica de juros será menor em 2013

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 02/10/2012 às 15:36:00

As instituições financeiras consultadas pelo Banco Central (BC) mantiveram a expectativa de que não haverá mais corte na taxa básica de juros, a Selic, este ano, e reduziram a estimativa para 2013 de 8,25% para 8%. A informação consta do boletim Focus, publicação semanal do BC, elaborada com base em estimativas para os principais indicadores da economia.

Com a economia em ritmo mais lento, a taxa Selic, instrumento para influenciar a atividade econômica e, consequentemente, calibrar os preços, começou a ser reduzida em agosto do ano passado pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do BC. Na última quinta-feira, o diretor de Política Econômica do BC, Carlos Hamilton Araújo, indicou que pode não haver mais espaço para corte na taxa Selic este ano.

Para o diretor, a inflação ficará acima da meta, apesar do ritmo mais lento da economia nos primeiros seis meses do ano, com expectativa de recuperação neste semestre, devido à alta dos preços de commodities (produtos primários, com cotação internacional).

"Houve choque no mercado de commodities [produtos primários, com cotação internacional], que, por natureza, é um efeito imprevisto que desvia a inflação temporariamente dessa trajetória de declínio [para a meta, este ano]. Nosso entendimento é que, caso não tivesse ocorrido esse choque no mercado de grãos, a inflação iria convergir para a meta este ano", disse Araújo, na última quinta-feira.

Para a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a expectativa é de 5,36%, ante 5,35% previstos na semana passada. Essa foi a 12ª semana seguida de alta na projeção para 2012. Para o próximo ano, a estimativa passou de 5,5% para 5,48%.

Cabe ao BC perseguir a meta de inflação que tem como centro 4,5% e margem de dois pontos percentuais para mais ou para menos. Dessa forma, as projeções do mercado financeiro estão acima do centro da meta, mas abaixo do limite superior de 6,5%.

A pesquisa do BC aos analistas também traz estimativa para a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (IPC-Fipe), que foi ajustada de 4,37% para 4,46%, neste ano, e passou de 4,8% para 4,9%.

A expectativa para o Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) foi ajustada de 8,7% para 8,74%, este ano, e de 5,32% para 5,38%. Para o Índice Geral de Preços de Mercado (IGP-M), a alteração foi de 8,47% para 8,6%, este ano, e de 5,26% para 5,27%, em 2013.