Técnicos da Adema libertam aves e apreendem carcaças de jacaré

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 18/04/2018 às 23:52:00

 

Na última terça-feira (17), a equipe técnica da Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema) participou de uma operação em combate a criação e comércio ilegal de aves silvestres no interior do estado. A ação aconteceu no município de Boquim, localizado no leste sergipano, e contou com o apoio do Pelotão da Polícia Ambiental em todo o serviço.
Durante a fiscalização, foi constado um cativeiro com 18 aves silvestres. Todas elas eram mantidas em gaiolas precárias e o proprietário não apresentou licença ou autorização dos órgãos ambientais para o tipo de atividade. "Foram apreendidos 15 canários da terra (Serinus canaria), 1 azulao (Cyanocompsa brissonii), 2 cabeças (Paroaria dominicana). Todas as aves foram examinadas por nossa equipe e nenhuma enfermidade e parasitas foram identificadas", explica o técnico ambiental Daniel Allievi.
Além disso, de acordo com o veterinário, as aves apresentaram características comportamentais selvagens, o que justifica sua recente captura pelos infratores. "Todas aves apreendidas foram soltas em uma área de reserva ambiental cadastrada pela Adema", acrescenta. Após soltura, todas as gaiolas foram destruídas.

Na última terça-feira (17), a equipe técnica da Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema) participou de uma operação em combate a criação e comércio ilegal de aves silvestres no interior do estado. A ação aconteceu no município de Boquim, localizado no leste sergipano, e contou com o apoio do Pelotão da Polícia Ambiental em todo o serviço.
Durante a fiscalização, foi constado um cativeiro com 18 aves silvestres. Todas elas eram mantidas em gaiolas precárias e o proprietário não apresentou licença ou autorização dos órgãos ambientais para o tipo de atividade. "Foram apreendidos 15 canários da terra (Serinus canaria), 1 azulao (Cyanocompsa brissonii), 2 cabeças (Paroaria dominicana). Todas as aves foram examinadas por nossa equipe e nenhuma enfermidade e parasitas foram identificadas", explica o técnico ambiental Daniel Allievi.
Além disso, de acordo com o veterinário, as aves apresentaram características comportamentais selvagens, o que justifica sua recente captura pelos infratores. "Todas aves apreendidas foram soltas em uma área de reserva ambiental cadastrada pela Adema", acrescenta. Após soltura, todas as gaiolas foram destruídas.