Dnit implanta fiscalização eletrônica

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 02/10/2012 às 15:51:00

Monique Oliveira
moniqueoliveira@jornaldodiase.com.br

Onze radares e sete barreiras eletrônicas estarão funcionando até o final deste mês de outubro nas rodovias federais que passam em Sergipe. A medida atende resolução nº 396 de 13 de dezembro de 2011, do Contram. Segundo informações do Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre (Dnit), para a escolha dos locais ocorreu um estudo técnico em que foram levados em consideração: estatísticas de acidentes; trânsito de pedestres; geometria; potencial risco e trecho urbano.

De acordo com o superintendente do Dnit, José Otávio Ferreira Soares, o processo de instalação dos radares atende a um programa nacional de monitoramento nas rodovias federais. O objetivo, segundo ele, é oferecer maior segurança e trafegabilidade.

A empresa Consórcio Supervias/GCT é a responsável pela implantação dos radares em Sergipe, por meio do contrato nº 949/2010. No entanto, o Dnit ainda aguarda a conclusão da aferição de alguns aparelhos em determinados pontos das rodovias federais pelo Inmetro.

"Nesse processo de aferição contamos com representantes do Dnit, da empresa responsável pela implantação da fiscalização eletrônica no estado (GCT- Consórcio Supervias) e da Polícia Rodoviária Federal", disse o superintendente, acrescentando que a ideia do Dnit é que todos os aparelhos sejam liberados para o funcionamento em conjunto.

Um dos trechos que vai receber radares devido ao alto índice de acidentes, segundo dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF), é do Km 04 ao Km 06, respectivamente da saída da cidade até as proximidades do Atacadão. O Dnit vai substituir os antigos quebra-molas que, segundo o Contram, não podem existir nas rodovias. Os trechos onde as lombadas serão implantadas são: Km 04 ao Km 06; Cristinápolis; Umbaúba; Estância; Km 175 (Santa Luzia do Itanhy) onde há uma travessia urbana para crianças, próximo a uma escola.

Já os radares fixos se estendem desde a divisa de Sergipe com a Bahia, até a divisa de Sergipe com Alagoas. Existe também um radar fixo em frente ao Fórum Gumercindo Bessa, bem como no Km 12 da BR-235, Povoado de Oiteiros.

"É importante salientar que os radares fixos não diminuem o limite de velocidade para 60Km/h, pois já existia a sinalização (placas) que limitavam essa velocidade, nestes mesmos trechos. O objetivo é de que as pessoas possam aumentar a educação nas rodovias e redobrar a atenção ao dirigir, principalmente, porque agora as multas serão aplicadas para aqueles que não obedecem aos limites de velocidade", explicou Otávio Soares.

Aracaju - Ao todo serão implantados 78 equipamentos de fiscalização eletrônica nos pontos mais críticos da cidade. Sendo 32 radares fixos discretos, conhecidos como pardais, 16 radares fixos ostensivos com display externo, as lombadas eletrônicas e 30 radares mistos.

Para o superintendente da SMTT, Fernando Nunes, os equipamentos eletrônicos reforçam a segurança e inibem acidentes. "A ausência dos equipamentos de fiscalização eletrônica em nossas vias elevou muito o número de acidentes de trânsito. A fiscalização é uma forma eficaz de coibir o excesso de velocidade dos veículos, o avanço de sinal vermelho, parada sobre faixa e conversões proibidas", garante.

Fernando Nunes informou ainda que a estimativa é que até o fim do ano de 2012 os equipamentos de fiscalização eletrônica passem a funcionar efetivamente. "Esperamos que até dezembro os 78 radares já estejam instalados e em pleno funcionamento. É importante destacar que os equipamentos de fiscalização eletrônica servirão para orientar estudos que visam promover a mobilidade em nossa cidade, além do importante papel de coibir a ação de condutores imprudentes que desrespeitam as leis de trânsito e causa graves acidentes", explica o superintendente.