Grupo Imbuaça dá continuidade a apresentações na praça

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 27/04/2018 às 05:00:00

 

Sob as palmas do povo e o clima agradável da tarde da última quarta-feira, 25, o Grupo Imbuaça apresentou sua mais recente peça que comemora os 40 anos de existência da Companhia. O espaço delimitado pela Secretaria de Estado da Cultura (Secult) para a realização do IV Festival Sergipano de Artes Cênicas, na Praça Fausto Cardoso, ficou lotado de amantes do teatro que foram assistir ao espetáculo "Mar de Fitas, Nau de Ilusão".
Além de celebrar a quarta década, a peça também foi criada em prol de celebrar e reafirmar a crença na cultura popular e na arte pública. Nela, mestres, dramaturgos, personagens, diretores e brincantes são relembrados em forma de canto e dança, desvelando toda a trajetória do primeiro trabalho do grupo até os dias atuais.
Iradilson Bispo dirige e atua na peça que congratula a história de um dos mais antigos grupos de teatros de rua em atividade no Brasil. "Apresentar esta peça no Festival de Artes Cênicas é de extrema importância pra gente, já que normalmente não temos tantas oportunidades ao longo do ano. Nesta oportunidade, rememoramos toda a trajetória do Imbuaça, incluindo canções de outros espetáculos que realizamos", salientou.
Dagoberto Machado é gaúcho, mas mora em Sergipe a cerca de 10 anos. Pela primeira vez levou o filho para acompanhar o teatro de rua. "Não conhecia o grupo, mas ouvia falar muito bem. Adorei a peça, que promoveu uma série de sentimentos bons em quem estava assistindo. Sempre que eu posso, tento compartilhar com meu filho, todas essas representatividades culturais que aqui existem, e nisso o teatro de rua está incluso", ressaltou.

Sob as palmas do povo e o clima agradável da tarde da última quarta-feira, 25, o Grupo Imbuaça apresentou sua mais recente peça que comemora os 40 anos de existência da Companhia. O espaço delimitado pela Secretaria de Estado da Cultura (Secult) para a realização do IV Festival Sergipano de Artes Cênicas, na Praça Fausto Cardoso, ficou lotado de amantes do teatro que foram assistir ao espetáculo "Mar de Fitas, Nau de Ilusão".
Além de celebrar a quarta década, a peça também foi criada em prol de celebrar e reafirmar a crença na cultura popular e na arte pública. Nela, mestres, dramaturgos, personagens, diretores e brincantes são relembrados em forma de canto e dança, desvelando toda a trajetória do primeiro trabalho do grupo até os dias atuais.
Iradilson Bispo dirige e atua na peça que congratula a história de um dos mais antigos grupos de teatros de rua em atividade no Brasil. "Apresentar esta peça no Festival de Artes Cênicas é de extrema importância pra gente, já que normalmente não temos tantas oportunidades ao longo do ano. Nesta oportunidade, rememoramos toda a trajetória do Imbuaça, incluindo canções de outros espetáculos que realizamos", salientou.
Dagoberto Machado é gaúcho, mas mora em Sergipe a cerca de 10 anos. Pela primeira vez levou o filho para acompanhar o teatro de rua. "Não conhecia o grupo, mas ouvia falar muito bem. Adorei a peça, que promoveu uma série de sentimentos bons em quem estava assistindo. Sempre que eu posso, tento compartilhar com meu filho, todas essas representatividades culturais que aqui existem, e nisso o teatro de rua está incluso", ressaltou.