MPF e MP definem calendário de audiências públicas em todo o Estado de Sergipe

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 01/05/2018 às 05:53:00

 

O Ministério Público Federal em Sergipe (MPF/SE) e o Ministério Público de Sergipe (MP/SE) finalizaram no último sábado (28), dia da educação, o calendário para realização de audiências públicas. A atividade é mais uma etapa do Projeto Ministério Público pela Educação (MPEduc).
Ao todo serão realizados 14 eventos nos municípios que são sede das Delegacias Regionais de Educação (DRE's): Aracaju, Estância, Lagarto, Itabaiana, Japaratuba, Nossa Senhora das Dores, Propriá, Gararu e Nossa Senhora da Glória. A ordem das audiências públicas levou em consideração a nota do Índice de Desenvolvimento da Educação (IDEB). Dessa forma, a primeira será realizada na DRE de Estância, responsável pelo município de Santa Luzia do Itanhy que tem a pior nota do IDEB (3,1). Sergipe tem o pior IDEB do Brasil (dados de 2015).
As audiências públicas têm como objetivo principal fazer com que os gestores municipais e o gestor estadual prestem contas a toda população e à comunidade escolar sobre o que fizeram, estão fazendo e ainda pretendem fazer como cumprimento do pacto pela educação sergipana, explicam o procurador regional dos direitos do cidadão, Ramiro Rockenbach e o coordenador do Centro de Apoio Operacional da Educação (MP/SE), o promotor de Justiça Alexandro Santana.
A pactuação, firmada no final de 2015 e início de 2016, teve a adesão de todos municípios e do Estado de Sergipe. Eles se comprometeram a adotar medidas efetivas para assegurar educação de qualidade aos alunos e alunas da rede pública, abordando os oito aspectos do Projeto MPEduc: estrutura física, pedagógico, inclusão, alimentação escolar, transporte escolar, programas do governo federal e funcionamento dos dois principais conselhos sociais que atuam na análise de prestação de contas de verbas direcionadas para a educação.
MPEduc como um projeto dos Ministérios Públicos - O MPEduc em Sergipe foi lançado em 2 de julho de 2015, na sede do Ministério Público Estadual, e desde então tem recebido amplo e irrestrito apoio tanto do procurador-geral de Justiça José Rony Silva Almeida, como dos procuradores-chefes do MPF no período, Lívia Nascimento Tinôco, Heitor Alves Soares e José Rômulo Silva Almeida.
O MPEduc é um projeto nacional que já beneficiou cerca de dois milhões de estudantes em todo o Brasil. O Estado de Sergipe se destaca como a unidade da federação com maior número de recomendações expedidas (300) e maior número de municípios participantes (75). "Nada disso seria possível sem o apoio imprescindível do procurador-geral de Justiça e das chefias do MP/SE", destacam os coordenadores locais do MPEduc, o procurador da República Ramiro Rockenbach e o promotor de Justiça Alexandro Santana.

O Ministério Público Federal em Sergipe (MPF/SE) e o Ministério Público de Sergipe (MP/SE) finalizaram no último sábado (28), dia da educação, o calendário para realização de audiências públicas. A atividade é mais uma etapa do Projeto Ministério Público pela Educação (MPEduc).
Ao todo serão realizados 14 eventos nos municípios que são sede das Delegacias Regionais de Educação (DRE's): Aracaju, Estância, Lagarto, Itabaiana, Japaratuba, Nossa Senhora das Dores, Propriá, Gararu e Nossa Senhora da Glória. A ordem das audiências públicas levou em consideração a nota do Índice de Desenvolvimento da Educação (IDEB). Dessa forma, a primeira será realizada na DRE de Estância, responsável pelo município de Santa Luzia do Itanhy que tem a pior nota do IDEB (3,1). Sergipe tem o pior IDEB do Brasil (dados de 2015).
As audiências públicas têm como objetivo principal fazer com que os gestores municipais e o gestor estadual prestem contas a toda população e à comunidade escolar sobre o que fizeram, estão fazendo e ainda pretendem fazer como cumprimento do pacto pela educação sergipana, explicam o procurador regional dos direitos do cidadão, Ramiro Rockenbach e o coordenador do Centro de Apoio Operacional da Educação (MP/SE), o promotor de Justiça Alexandro Santana.
A pactuação, firmada no final de 2015 e início de 2016, teve a adesão de todos municípios e do Estado de Sergipe. Eles se comprometeram a adotar medidas efetivas para assegurar educação de qualidade aos alunos e alunas da rede pública, abordando os oito aspectos do Projeto MPEduc: estrutura física, pedagógico, inclusão, alimentação escolar, transporte escolar, programas do governo federal e funcionamento dos dois principais conselhos sociais que atuam na análise de prestação de contas de verbas direcionadas para a educação.
MPEduc como um projeto dos Ministérios Públicos - O MPEduc em Sergipe foi lançado em 2 de julho de 2015, na sede do Ministério Público Estadual, e desde então tem recebido amplo e irrestrito apoio tanto do procurador-geral de Justiça José Rony Silva Almeida, como dos procuradores-chefes do MPF no período, Lívia Nascimento Tinôco, Heitor Alves Soares e José Rômulo Silva Almeida.
O MPEduc é um projeto nacional que já beneficiou cerca de dois milhões de estudantes em todo o Brasil. O Estado de Sergipe se destaca como a unidade da federação com maior número de recomendações expedidas (300) e maior número de municípios participantes (75). "Nada disso seria possível sem o apoio imprescindível do procurador-geral de Justiça e das chefias do MP/SE", destacam os coordenadores locais do MPEduc, o procurador da República Ramiro Rockenbach e o promotor de Justiça Alexandro Santana.