Encontro dos Bancários de Sergipe será neste sábado

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
A presidenta do SEEB/SE Ivânia Pereira
A presidenta do SEEB/SE Ivânia Pereira

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 04/05/2018 às 05:52:00

 

Neste sábado (5), no 
horário das 9h às 
16h, na sede do Sindicato dos Bancários de Sergipe (SEEB/SE) será realizado o Encontro dos Bancários e Bancárias de Sergipe. Durante a semana, o sindicato está visitando as agências bancárias acompanhado com teatro popular para mobilizar os (as) funcionários (as) dos bancos públicos, privados e financiários.
Para abrir de forma lúdica e abordar a situação política atual, o Encontro de Bancários será oficialmente aberto com esquete teatral: "Sem democracia, o que é direito não se cria".
Dos temas, estão previstos palestras sobre 'Balanço dos lucros dos bancos', com o economista do Dieese, Luis Moura;  'Os impactos da nova Lei Trabalhista', com representante do escritório Advocacia Operária, Henri Clay Santos Andrade (presidente da OAB/SE) e 'Em defesa da Previdência Social', o advogado do escritório Fernandes Advogados Associados, Antônio Soares Silva Júnior.
Grupos de Trabalho - Ainda da programação, terão encontros específicos por bancos (Banco Brasil, Caixa Econômica, Banco do Nordeste, Banese, Itaú, Santander e Bradesco). Em cada grupo serão debatidos e deliberados propostas para serem encaminhas pela delegação do SEEB/SE para a Conferência Interestadual dos Bancários da Bahia e Sergipe, em Salvador nos dias 19 e 20/05 e 20ª Conferência Nacional dos Bancários, nos dias 9 e 10/06, em São Paulo.
A presidenta do SEEB/SE Ivânia Pereira explica que este ano, a Campanha Nacional dos Bancários é atípica e preocupa a categoria. "A partir de 31 de agosto deste ano, vence o prazo das cláusulas acordadas na Convenção Coletiva do Trabalho (CCT 2016/2018. O que estará em jogo nesta campanha é o emprego e a garantia dos direitos conquistados. Temos de lutar contra as pressões dentro dos bancos e da remuneração vinculada a metas abusivas e assédio moral. Precisamos garantir práticas saudáveis no trabalho para proteger a nossa saúde e garantir o direito a proteção social e econômica na aposentadoria", afirma Ivânia Pereira.
Segundo a sindicalista, o "desafio será o de estreitar a unidade nacional da categoria e construir uma mobilização ainda mais forte e defender a renovação do acordo coletivo. O Brasil passa por um cenário difícil. É preciso fortalecer a correlação de forças para sairmos vitoriosos".  

Neste sábado (5), no  horário das 9h às  16h, na sede do Sindicato dos Bancários de Sergipe (SEEB/SE) será realizado o Encontro dos Bancários e Bancárias de Sergipe. Durante a semana, o sindicato está visitando as agências bancárias acompanhado com teatro popular para mobilizar os (as) funcionários (as) dos bancos públicos, privados e financiários.
Para abrir de forma lúdica e abordar a situação política atual, o Encontro de Bancários será oficialmente aberto com esquete teatral: "Sem democracia, o que é direito não se cria".
Dos temas, estão previstos palestras sobre 'Balanço dos lucros dos bancos', com o economista do Dieese, Luis Moura;  'Os impactos da nova Lei Trabalhista', com representante do escritório Advocacia Operária, Henri Clay Santos Andrade (presidente da OAB/SE) e 'Em defesa da Previdência Social', o advogado do escritório Fernandes Advogados Associados, Antônio Soares Silva Júnior.
Grupos de Trabalho - Ainda da programação, terão encontros específicos por bancos (Banco Brasil, Caixa Econômica, Banco do Nordeste, Banese, Itaú, Santander e Bradesco). Em cada grupo serão debatidos e deliberados propostas para serem encaminhas pela delegação do SEEB/SE para a Conferência Interestadual dos Bancários da Bahia e Sergipe, em Salvador nos dias 19 e 20/05 e 20ª Conferência Nacional dos Bancários, nos dias 9 e 10/06, em São Paulo.
A presidenta do SEEB/SE Ivânia Pereira explica que este ano, a Campanha Nacional dos Bancários é atípica e preocupa a categoria. "A partir de 31 de agosto deste ano, vence o prazo das cláusulas acordadas na Convenção Coletiva do Trabalho (CCT 2016/2018. O que estará em jogo nesta campanha é o emprego e a garantia dos direitos conquistados. Temos de lutar contra as pressões dentro dos bancos e da remuneração vinculada a metas abusivas e assédio moral. Precisamos garantir práticas saudáveis no trabalho para proteger a nossa saúde e garantir o direito a proteção social e econômica na aposentadoria", afirma Ivânia Pereira.
Segundo a sindicalista, o "desafio será o de estreitar a unidade nacional da categoria e construir uma mobilização ainda mais forte e defender a renovação do acordo coletivo. O Brasil passa por um cenário difícil. É preciso fortalecer a correlação de forças para sairmos vitoriosos".