Adepol cria comissão de estudos para modernizar trabalho da Polícia

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 04/05/2018 às 23:57:00

 

Com o objetivo de discutir e propor medidas para o aperfeiçoamento do serviço policial e consequente enfrentamento dos índices de violência que assolam o Estado, a Associação dos Delegados de Polícia de Sergipe (Adepol/SE) instituiu a Comissão Especial de Normatização e Modernização Policial. 
O grupo de trabalho criado pela Resolução nº 003/2018 conta com a atuação de seis delegados de Polícia designados pela diretoria da entidade.
Na primeira reunião realizada nesta quinta-feira (03), na sede da Adepol, foram traçadas as metas e estabelecido o cronograma inicial dos trabalhos.
A comissão é composta pelos delegados Tarcísio Tenório, da Divisão de Homicídios da Delegacia Regional de Lagarto e vice-presidente de comunicação da Adepol; Hildemar Rios, da Divisão de Combate a Roubos e Furtos de Veículos de Aracaju e vice-presidente financeiro da Adepol; Gilberto Guimarães, ex-delegado geral da Polícia Civil, atualmente titular da 9ª Delegacia Metropolitana de Aracaju; Gabriel Nogueira, do Departamento de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAGV) de Aracaju e professor de Direito Penal; Lênio Montalvão, da Divisão de Narcóticos da Delegacia Regional de Lagarto; e Tiago Lustosa, da Delegacia Regional de Neópolis.
A Adepol apresenta como principal justificativa a necessidade de contribuir para uma maior organização, controle, segurança, produtividade e eficiência dos trabalhos desempenhados pelos delegados de Polícia, diante do "aumento significativo do número de ocorrências policiais e procedimentos investigatórios, reflexo do crescimento vertiginoso da criminalidade".
"Nosso objetivo não é substituir a administração superior da Polícia Civil, mas sim de colaborar com os gestores no estudo dos problemas e, consequentemente, sugerir medidas para uma melhor e mais eficiente prestação de serviços à população", explicou o presidente da Adepol, delegado Isaque Cangussu.
De acordo com o delegado Tarcísio Tenório, presidente da comissão, os trabalhos serão desenvolvidos em duas grandes frentes: normatização e modernização. "Como o próprio nome da comissão sugere, primeiramente vamos realizar um minucioso trabalho de pesquisa e nos debruçar sobre todos os atos normativos vigentes da Polícia Civil de Sergipe, com o propósito de compilar todo o material produzido e propor as atualizações necessárias dentro da atual conjuntura de demandas cada vez mais virtualizadas", pontuou.
O relatório final será encaminhado à Superintendência da Polícia Civil e ao Conselho Superior de Polícia Civil, contendo propostas a serem avaliadas e implementadas de acordo com a oportunidade e conveniência da administração.

Com o objetivo de discutir e propor medidas para o aperfeiçoamento do serviço policial e consequente enfrentamento dos índices de violência que assolam o Estado, a Associação dos Delegados de Polícia de Sergipe (Adepol/SE) instituiu a Comissão Especial de Normatização e Modernização Policial. 
O grupo de trabalho criado pela Resolução nº 003/2018 conta com a atuação de seis delegados de Polícia designados pela diretoria da entidade.
Na primeira reunião realizada nesta quinta-feira (03), na sede da Adepol, foram traçadas as metas e estabelecido o cronograma inicial dos trabalhos.
A comissão é composta pelos delegados Tarcísio Tenório, da Divisão de Homicídios da Delegacia Regional de Lagarto e vice-presidente de comunicação da Adepol; Hildemar Rios, da Divisão de Combate a Roubos e Furtos de Veículos de Aracaju e vice-presidente financeiro da Adepol; Gilberto Guimarães, ex-delegado geral da Polícia Civil, atualmente titular da 9ª Delegacia Metropolitana de Aracaju; Gabriel Nogueira, do Departamento de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAGV) de Aracaju e professor de Direito Penal; Lênio Montalvão, da Divisão de Narcóticos da Delegacia Regional de Lagarto; e Tiago Lustosa, da Delegacia Regional de Neópolis.
A Adepol apresenta como principal justificativa a necessidade de contribuir para uma maior organização, controle, segurança, produtividade e eficiência dos trabalhos desempenhados pelos delegados de Polícia, diante do "aumento significativo do número de ocorrências policiais e procedimentos investigatórios, reflexo do crescimento vertiginoso da criminalidade".
"Nosso objetivo não é substituir a administração superior da Polícia Civil, mas sim de colaborar com os gestores no estudo dos problemas e, consequentemente, sugerir medidas para uma melhor e mais eficiente prestação de serviços à população", explicou o presidente da Adepol, delegado Isaque Cangussu.
De acordo com o delegado Tarcísio Tenório, presidente da comissão, os trabalhos serão desenvolvidos em duas grandes frentes: normatização e modernização. "Como o próprio nome da comissão sugere, primeiramente vamos realizar um minucioso trabalho de pesquisa e nos debruçar sobre todos os atos normativos vigentes da Polícia Civil de Sergipe, com o propósito de compilar todo o material produzido e propor as atualizações necessárias dentro da atual conjuntura de demandas cada vez mais virtualizadas", pontuou.
O relatório final será encaminhado à Superintendência da Polícia Civil e ao Conselho Superior de Polícia Civil, contendo propostas a serem avaliadas e implementadas de acordo com a oportunidade e conveniência da administração.