'Criações brasileiras' no Quinta Instrumental

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Cheios de gás
Cheios de gás

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 10/05/2018 às 00:17:00

 

Rian Santos
riansantos@jornaldodiase.com.br
Este que vos escreve 
não tem sequer uma 
palavra de louvor ou de escárnio para descrever o duo formado por Ítalo Neno e Rafael Freitas, atração eleita pelo projeto Quinta Instrumental para ocupar o Teatro João Costa, no Centro Cultural de Aracaju. Mas contra todas as aparências, está é uma excelente notícia. Se o jornalista, com a obrigação profissional de manter os ouvidos abertos para os tambores da terra, jamais soube dos músicos, é sinal de que a Funcaju está dando efeito à obrigação assumida de apresentar novos talentos.
De acordo com Nino Karvan, diretor do Departamento de Arte e Cultura da Funcaju, é assim mesmo. O imponente casarão localizado na Praça General Valadão está agora de portas abertas para a música Serigy. 
"Estamos caminhando para a metade da segunda temporada do projeto com sucesso absoluto e, com isso, podemos mensurar a importância do Quinta para os instrumentistas sergipanos e também para a ocupação do Centro de Aracaju, pois o projeto visa movimentar as noites do centro, atraindo a população aracajuana, turistas e visitantes".
Em boa hora. Em passado recente, é sempre bom lembrar, o Centro Cultural de Aracaju assumiu os ares de casa fantasma, sem sombra de gente e nenhuma alma viva para honrar a função social do prédio histórico, restaurado pela administração municipal. Desde o início da gestão Edvaldo Nogueira, contudo, a animação virou palavra de ordem, e o coração da cidade ganhou vida nova, atraindo muita gente e artistas cheios de gás.
"Desenvolvemos o projeto Criações Brasileiras no início do ano. Ele contempla nossas influências musicais, com releituras de músicas de João Bosco e Hermeto Pascoal, além de composições assinadas por mim e pelo Rafael Freitas. Vamos fazer um show especial e levaremos ao público o melhor da música instrumental", promete o instrumentista Ítalo Neno.
Quinta Instrumental - Desenvolvido através do planejamento estratégico realizado pela Fundação Cultural Cidade de Aracaju (Funcaju), o Quinta Instrumental nasceu com o propósito de ocupar o Centro Histórico da capital sergipana com as diversas linguagens das artes. Além disso, o projeto, criado em 2017, abre espaços para os talentos da música instrumental em Sergipe.
"O projeto veio para alavancar a vasta produção instrumental sergipana, que ficava refém da iniciativa dos próprios músicos. Além de trazer uma opção de entretenimento ao Centro da capital", ressalta Nino Karvan.
O Quinta Instrumental é aberto ao público e acontece sempre às quintas-feiras. "O primeiro ciclo do projeto na temporada 2018 iniciou no mês de abril e segue durante este mês de maio. No total, serão sete apresentações e todas acontecem no Teatro João Costa, sempre com entrada gratuita", conclui Nino Karvan.

Este que vos escreve  não tem sequer uma  palavra de louvor ou de escárnio para descrever o duo formado por Ítalo Neno e Rafael Freitas, atração eleita pelo projeto Quinta Instrumental para ocupar o Teatro João Costa, no Centro Cultural de Aracaju. Mas contra todas as aparências, está é uma excelente notícia. Se o jornalista, com a obrigação profissional de manter os ouvidos abertos para os tambores da terra, jamais soube dos músicos, é sinal de que a Funcaju está dando efeito à obrigação assumida de apresentar novos talentos.
De acordo com Nino Karvan, diretor do Departamento de Arte e Cultura da Funcaju, é assim mesmo. O imponente casarão localizado na Praça General Valadão está agora de portas abertas para a música Serigy. 
"Estamos caminhando para a metade da segunda temporada do projeto com sucesso absoluto e, com isso, podemos mensurar a importância do Quinta para os instrumentistas sergipanos e também para a ocupação do Centro de Aracaju, pois o projeto visa movimentar as noites do centro, atraindo a população aracajuana, turistas e visitantes".
Em boa hora. Em passado recente, é sempre bom lembrar, o Centro Cultural de Aracaju assumiu os ares de casa fantasma, sem sombra de gente e nenhuma alma viva para honrar a função social do prédio histórico, restaurado pela administração municipal. Desde o início da gestão Edvaldo Nogueira, contudo, a animação virou palavra de ordem, e o coração da cidade ganhou vida nova, atraindo muita gente e artistas cheios de gás.
"Desenvolvemos o projeto Criações Brasileiras no início do ano. Ele contempla nossas influências musicais, com releituras de músicas de João Bosco e Hermeto Pascoal, além de composições assinadas por mim e pelo Rafael Freitas. Vamos fazer um show especial e levaremos ao público o melhor da música instrumental", promete o instrumentista Ítalo Neno.
Quinta Instrumental - Desenvolvido através do planejamento estratégico realizado pela Fundação Cultural Cidade de Aracaju (Funcaju), o Quinta Instrumental nasceu com o propósito de ocupar o Centro Histórico da capital sergipana com as diversas linguagens das artes. Além disso, o projeto, criado em 2017, abre espaços para os talentos da música instrumental em Sergipe.
"O projeto veio para alavancar a vasta produção instrumental sergipana, que ficava refém da iniciativa dos próprios músicos. Além de trazer uma opção de entretenimento ao Centro da capital", ressalta Nino Karvan.
O Quinta Instrumental é aberto ao público e acontece sempre às quintas-feiras. "O primeiro ciclo do projeto na temporada 2018 iniciou no mês de abril e segue durante este mês de maio. No total, serão sete apresentações e todas acontecem no Teatro João Costa, sempre com entrada gratuita", conclui Nino Karvan.