Queijaria irregular é fechada em Cedro

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 10/05/2018 às 00:33:00

 

Sem alvará permitindo funcionamento e com ampla irregularidade sanitária, uma pequena indústria produtora de queijo e manteiga situada no município sergipano de Cedro de São João - distante a 94 km da capital, Aracaju, foi interditada por oficiais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). A ação fiscalizatória e punitiva contou ainda com o apoio operacional da Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro), Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema), Polícia Rodoviária Federal (PRF) e da Polícia Militar do Estado de Sergipe, através do Comando de Operações Especiais (COE).
No momento da abordagem os peritos encontraram na J.S. Laticínios LTDA vasta quantidade de moscas, baratas e equipamentos/formas de madeira, as quais são proibidas para a produção destes alimentos. Concretizado a ação irregular, os agentes apreenderam 150 kg de queijo coalho, 50kg de queijo do tipo manteiga, e 25kg de manteiga já pronta para comercialização e consumo. De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), todo o material apreendido foi registrado e imediatamente encaminhado para o aterro sanitário Estre Ambiental, único estabelecimento de gerenciamento de resíduos sólidos licenciado em Sergipe.
De acordo com o técnico do Ministério da Agricultura, Walter Marcena, todas as denúncias apresentadas aos órgãos são recebidas e analisadas a fim de conferir a procedências das informações, bem como promover a operação unificada dos órgãos de fiscalização. Para evitar problemas de saúde, o profissional pede que os sergipanos continuem revelando ocultamente ações produtivas irregulares semelhantes às promovidas pela J.S. Laticínios LTDA. "Recebemos as denúncias e durante a fiscalização percebemos que o estabelecimento não possuía as condições necessárias exigidas pela legislação para a manipulação de produtos de origem animal", informou.
O Ministério da Agricultura informou que as rondas seguem sendo realizadas em todos os municípios sergipanos os quais apresentem quaisquer indícios de irregularidades sanitárias, operacionais e/ou administrativas. (Milton Alves Júnior)

Sem alvará permitindo funcionamento e com ampla irregularidade sanitária, uma pequena indústria produtora de queijo e manteiga situada no município sergipano de Cedro de São João - distante a 94 km da capital, Aracaju, foi interditada por oficiais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). A ação fiscalizatória e punitiva contou ainda com o apoio operacional da Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro), Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema), Polícia Rodoviária Federal (PRF) e da Polícia Militar do Estado de Sergipe, através do Comando de Operações Especiais (COE).
No momento da abordagem os peritos encontraram na J.S. Laticínios LTDA vasta quantidade de moscas, baratas e equipamentos/formas de madeira, as quais são proibidas para a produção destes alimentos. Concretizado a ação irregular, os agentes apreenderam 150 kg de queijo coalho, 50kg de queijo do tipo manteiga, e 25kg de manteiga já pronta para comercialização e consumo. De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), todo o material apreendido foi registrado e imediatamente encaminhado para o aterro sanitário Estre Ambiental, único estabelecimento de gerenciamento de resíduos sólidos licenciado em Sergipe.
De acordo com o técnico do Ministério da Agricultura, Walter Marcena, todas as denúncias apresentadas aos órgãos são recebidas e analisadas a fim de conferir a procedências das informações, bem como promover a operação unificada dos órgãos de fiscalização. Para evitar problemas de saúde, o profissional pede que os sergipanos continuem revelando ocultamente ações produtivas irregulares semelhantes às promovidas pela J.S. Laticínios LTDA. "Recebemos as denúncias e durante a fiscalização percebemos que o estabelecimento não possuía as condições necessárias exigidas pela legislação para a manipulação de produtos de origem animal", informou.
O Ministério da Agricultura informou que as rondas seguem sendo realizadas em todos os municípios sergipanos os quais apresentem quaisquer indícios de irregularidades sanitárias, operacionais e/ou administrativas. (Milton Alves Júnior)