Parentes de paciente prestam queixa contra mulher que fingiu doença

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 10/05/2018 às 00:42:00

 

O delegado Fernando Melo, da 8ª Delegacia Metropolitana (8ª DM), ouviu ontem o depoimento de familiares de um jovemque morreu de câncer no ano passado e foi apontado como responsável por ajudar na falsificação dos exames apresentados por Aline Silva de Carvalho, acusado de simular ter um câncer de mama e passado por um tratamento de quimioterapia no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse). A Polícia Civil abriu um inquérito para apurar a fraude, que foi descoberta em 26 de abril pela direção da unidade. 
No depoimento, os parentes do rapaz falecido negaram o envolvimento dele e prestaram uma queixa contra Aline, por falso testemunho. Garantiram ainda que o paciente já estava bastante debilitado e não tinha condições de fazer qualquer alteração em seus exames. O nome do jovem foi citado por Aline em seu depoimento, assim que foi presa. Outros depoimentos ainda serão ouvidos pela equipe da 8ª DM. 
Fernando Melo também espera pela liberação do sigilo bancário da acusada, pedido à Justiça para apurar a destinação do dinheiro que foi arrecadado por Aline em campanhas que ela fez nas redes sociais. Ao todo, foram cerca de R$ 7 mil. A policia suspeita que o motivo da fraude foi financeiro, mas a defesa da acusada afirma que tudo foi uma estratégia para tentar manter o casamento, que estava em crise. 

O delegado Fernando Melo, da 8ª Delegacia Metropolitana (8ª DM), ouviu ontem o depoimento de familiares de um jovemque morreu de câncer no ano passado e foi apontado como responsável por ajudar na falsificação dos exames apresentados por Aline Silva de Carvalho, acusado de simular ter um câncer de mama e passado por um tratamento de quimioterapia no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse). A Polícia Civil abriu um inquérito para apurar a fraude, que foi descoberta em 26 de abril pela direção da unidade. 
No depoimento, os parentes do rapaz falecido negaram o envolvimento dele e prestaram uma queixa contra Aline, por falso testemunho. Garantiram ainda que o paciente já estava bastante debilitado e não tinha condições de fazer qualquer alteração em seus exames. O nome do jovem foi citado por Aline em seu depoimento, assim que foi presa. Outros depoimentos ainda serão ouvidos pela equipe da 8ª DM. 
Fernando Melo também espera pela liberação do sigilo bancário da acusada, pedido à Justiça para apurar a destinação do dinheiro que foi arrecadado por Aline em campanhas que ela fez nas redes sociais. Ao todo, foram cerca de R$ 7 mil. A policia suspeita que o motivo da fraude foi financeiro, mas a defesa da acusada afirma que tudo foi uma estratégia para tentar manter o casamento, que estava em crise.