Laércio lança sua candidatura à presidência da CNC em discurso na Câmara dos Deputados

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 11/05/2018 às 04:56:00

 

O deputado federal Laércio Oliveira discursou no Plenário da Câmara para lançar sua candidatura à Presidência da CNC (Confederação Nacional do Comercio, de Bens, Serviços e Turismo), SESC e SENAC. "Em 2018, teremos eleição para a presidência da CNC e, após 38 anos de gestão, o presidente Antônio Oliveira Santos deixará o cargo. Sem dúvida, este é um momento de renovação", disse Laércio.
O parlamentar disse que além de ações para ampliar a transparência e a divulgação de ações, tem entre as suas propostas a delimitação do mandato de quatro anos e direito a apenas uma reeleição na CNC.
Laércio relembrou no discurso a sua atuação em defesa de um melhor ambiente de negócios no Brasil. "Tivemos temáticas difíceis, a exemplo da trabalhista, para as quais nós parlamentares sabemos o elevado custo pessoal e político. Mas tudo vale a pena, se a direção e a intenção são as corretas", disse.
 "Para defender empregos e empresas, também atuamos fortemente na área tributária. Coordenamos junto com colegas parlamentares uma ampla mobilização nacional contra a proposta de reforma do PIS/COFINS, que trazia embutida forte aumento de impostos. Com essa ação, evitamos que graves prejuízos atingissem os setores mais intensivos em mão de obra. Com o apoio decisivo e visão do nosso presidente Rodrigo Maia, salvamos milhares de empresas e empregos", lembrou.
O parlamentar destacou ainda a importância do papel do SESC e SENAC. "No ano de 1977, fui aluno do SENAC de Sergipe, aprendizado que foi fundamental para minha vida. A partir do curso, fui aprovado no serviço público federal e passei a conquistar uma melhor condição de vida", lembrou.
O deputado chamou a atenção ainda para o que considera o maior desafio do país: a educação para o trabalho no novo mundo digital. "Qualquer um de nós fica maravilhado, e até assustado, quando paramos para conhecer um pouco sobre os efeitos das novas tecnologias no mundo do trabalho. A inteligência artificial, a automação e outras mudanças têm efeitos transformadores que exigirão respostas rápidas da nossa sociedade. Assim, nossa proposta mais estruturante é o modelo quatro ponto zero (4.0) para o SENAC e o SESC. Vamos revisar toda a nossa estrutura e plataformas de ensino para atualizar rapidamente nossas instituições para essa nova realidade. Vamos atender às necessidades de nossas empresas e de nossos trabalhadores, ao tempo em que vamos ajudar também o próprio setor público neste processo, levando novas metodologias e apoio neste processo", propôs.

O deputado federal Laércio Oliveira discursou no Plenário da Câmara para lançar sua candidatura à Presidência da CNC (Confederação Nacional do Comercio, de Bens, Serviços e Turismo), SESC e SENAC. "Em 2018, teremos eleição para a presidência da CNC e, após 38 anos de gestão, o presidente Antônio Oliveira Santos deixará o cargo. Sem dúvida, este é um momento de renovação", disse Laércio.
O parlamentar disse que além de ações para ampliar a transparência e a divulgação de ações, tem entre as suas propostas a delimitação do mandato de quatro anos e direito a apenas uma reeleição na CNC.
Laércio relembrou no discurso a sua atuação em defesa de um melhor ambiente de negócios no Brasil. "Tivemos temáticas difíceis, a exemplo da trabalhista, para as quais nós parlamentares sabemos o elevado custo pessoal e político. Mas tudo vale a pena, se a direção e a intenção são as corretas", disse.
 "Para defender empregos e empresas, também atuamos fortemente na área tributária. Coordenamos junto com colegas parlamentares uma ampla mobilização nacional contra a proposta de reforma do PIS/COFINS, que trazia embutida forte aumento de impostos. Com essa ação, evitamos que graves prejuízos atingissem os setores mais intensivos em mão de obra. Com o apoio decisivo e visão do nosso presidente Rodrigo Maia, salvamos milhares de empresas e empregos", lembrou.
O parlamentar destacou ainda a importância do papel do SESC e SENAC. "No ano de 1977, fui aluno do SENAC de Sergipe, aprendizado que foi fundamental para minha vida. A partir do curso, fui aprovado no serviço público federal e passei a conquistar uma melhor condição de vida", lembrou.
O deputado chamou a atenção ainda para o que considera o maior desafio do país: a educação para o trabalho no novo mundo digital. "Qualquer um de nós fica maravilhado, e até assustado, quando paramos para conhecer um pouco sobre os efeitos das novas tecnologias no mundo do trabalho. A inteligência artificial, a automação e outras mudanças têm efeitos transformadores que exigirão respostas rápidas da nossa sociedade. Assim, nossa proposta mais estruturante é o modelo quatro ponto zero (4.0) para o SENAC e o SESC. Vamos revisar toda a nossa estrutura e plataformas de ensino para atualizar rapidamente nossas instituições para essa nova realidade. Vamos atender às necessidades de nossas empresas e de nossos trabalhadores, ao tempo em que vamos ajudar também o próprio setor público neste processo, levando novas metodologias e apoio neste processo", propôs.