Secretário é afastado de creche onde criança ficou presa

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 12/05/2018 às 05:04:00

 

Milton Alves Júnior
A Prefeitura de Araca
ju decidiu afastar o 
secretário escolar da  creche da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Júlio Prado Vasconcelos, apontado inicialmente como responsável por esquecer uma criança de três anos de idade entre a quarta e quinta-feira desta semana. Indícios mostram que a vítima passou doze horas sem a presença de adultos e dormiu em um dos banheiros da instituição educacional. A decisão administrativa foi promovida por intermédio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), e confirmada pela assessoria de comunicação. A perspectiva é que o afastamento do servidor seja temporário, porém, ainda por prazo indeterminado.
Por orientação da própria administração pública municipal, diretores e coordenadores da unidade prestaram depoimento junto à Polícia Civil e geraram um boletim de ocorrência. Assim procedido, peritos da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP), através da Departamento de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAGV), estão investigando os fatos a fim de identificar os possíveis motivos para o esquecimento. Conforme prometido na manhã da última quinta-feira pela secretária da educação, Maria Cecília, hoje ela estará participando pessoalmente de uma reunião a qual será realizada na creche. Professores e pais dos estudantes participarão desse encontro.
Segundo confirmado pela Semed, a gestora foi até a residência da criança a fim de dialogar com familiares, amigos e vizinhos, diante do desejo de ouvir pessoalmente os relatos dos responsáveis pela criança que não teve a identidade revelada. "Temos consciência da angústia que foi gerada e por isso decidimos ir até a casa dos pais não apenas para ouvir os relatos, mas também para garantir que a administração de Aracaju está disponível para prestar a assistência que porventura seja apontada como fundamental e necessária", declarou. Apesar de não apresentar traumas, a criança não foi à aula nos últimos dois dias.
A direção da DAGV não se pronunciou oficialmente na tarde de ontem sobre o assunto. A perspectiva é que novidades sobre este caso sejam apresentadas a partir do momento em que todos os estudos forem definitivamente concluídos. Membros do Conselho Tutelar também seguem buscando colaborar com as investigações.

A Prefeitura de Araca ju decidiu afastar o  secretário escolar da  creche da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Júlio Prado Vasconcelos, apontado inicialmente como responsável por esquecer uma criança de três anos de idade entre a quarta e quinta-feira desta semana. Indícios mostram que a vítima passou doze horas sem a presença de adultos e dormiu em um dos banheiros da instituição educacional. A decisão administrativa foi promovida por intermédio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), e confirmada pela assessoria de comunicação. A perspectiva é que o afastamento do servidor seja temporário, porém, ainda por prazo indeterminado.
Por orientação da própria administração pública municipal, diretores e coordenadores da unidade prestaram depoimento junto à Polícia Civil e geraram um boletim de ocorrência. Assim procedido, peritos da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP), através da Departamento de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAGV), estão investigando os fatos a fim de identificar os possíveis motivos para o esquecimento. Conforme prometido na manhã da última quinta-feira pela secretária da educação, Maria Cecília, hoje ela estará participando pessoalmente de uma reunião a qual será realizada na creche. Professores e pais dos estudantes participarão desse encontro.
Segundo confirmado pela Semed, a gestora foi até a residência da criança a fim de dialogar com familiares, amigos e vizinhos, diante do desejo de ouvir pessoalmente os relatos dos responsáveis pela criança que não teve a identidade revelada. "Temos consciência da angústia que foi gerada e por isso decidimos ir até a casa dos pais não apenas para ouvir os relatos, mas também para garantir que a administração de Aracaju está disponível para prestar a assistência que porventura seja apontada como fundamental e necessária", declarou. Apesar de não apresentar traumas, a criança não foi à aula nos últimos dois dias.
A direção da DAGV não se pronunciou oficialmente na tarde de ontem sobre o assunto. A perspectiva é que novidades sobre este caso sejam apresentadas a partir do momento em que todos os estudos forem definitivamente concluídos. Membros do Conselho Tutelar também seguem buscando colaborar com as investigações.