Dupla é acusada de aplicar golpes de consórcio contemplado

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 16/05/2018 às 05:28:00

 

Policiais da 5ª Delegacia Metropolitana (5ªDM), com o apoio de peritos do Instituto de Criminalística (IC), prenderam nesta segunda-feira dois vendedores de consórcio acusados de aplicar o golpe da carta de crédito contemplada. São eles: Ana Gabriele de Souza Santos, 22 anos; e Sávio Rodrigo de Jesus Santos, 23 anos. A dupla foi presa dentro da própria empresa, situada na Avenida Principal do Conjunto João Alves, município de Nossa Senhora do Socorro.
De acordo com o delegado Marcelo Paes, titular da 5ª DM, as investigações iniciaram há 30 dias, quando algumas vítimas procuraram a delegacia para denunciar a venda de cartas de crédito com a falsa promessa de receber a premiação no prazo de 10 a 15 dias. "Segundo as vítimas, a dupla vendia as cartas como se elas fossem contempladas, alegando que as vítimas receberiam a premiação no prazo de 10 dias ou um pouco mais, como também vendiam o consórcio como se fosse um empréstimo pessoal com juros baixos, dando o mesmo prazo para recebimento do valor", explicou.
De posse das informações levantadas, as equipes da 5ª DM, com o apoio de três peritos do instituto de Criminalística, dirigiram-se até o estabelecimento comercial responsável pelas vendas das cartas de crédito e efetuaram a prisão de Ana Gabriele e Sávio Rodrigo. "Além da prisão da dupla, conduzimos cerca de oito vendedores a fim de prestarem depoimento na delegacia, como também apreendemos dois aparelhos de telefone celular, um HD externo e centenas de documentos que passarão pelo procedimento de perícia", salientou Marcelo Paes.
A dupla foi presa e responderá pelo crime de estelionato. Ana Gabriele foi conduzida para a 2ªDM; já Sávio Rodrigo se encontra custodiado na 4ªDM.Ainda de acordo com o delegado Marcelo Paes, as investigações continuam no intuito de verificar se outras pessoas foram lesadas. "Até o momento da operação, mais de 14 pessoas tinham sido vítimas do golpe. Acredito que, com a divulgação do caso, outras pessoas procurem a delegacia para denuncia o caso", finalizou. (da SSP)

Policiais da 5ª Delegacia Metropolitana (5ªDM), com o apoio de peritos do Instituto de Criminalística (IC), prenderam nesta segunda-feira dois vendedores de consórcio acusados de aplicar o golpe da carta de crédito contemplada. São eles: Ana Gabriele de Souza Santos, 22 anos; e Sávio Rodrigo de Jesus Santos, 23 anos. A dupla foi presa dentro da própria empresa, situada na Avenida Principal do Conjunto João Alves, município de Nossa Senhora do Socorro.
De acordo com o delegado Marcelo Paes, titular da 5ª DM, as investigações iniciaram há 30 dias, quando algumas vítimas procuraram a delegacia para denunciar a venda de cartas de crédito com a falsa promessa de receber a premiação no prazo de 10 a 15 dias. "Segundo as vítimas, a dupla vendia as cartas como se elas fossem contempladas, alegando que as vítimas receberiam a premiação no prazo de 10 dias ou um pouco mais, como também vendiam o consórcio como se fosse um empréstimo pessoal com juros baixos, dando o mesmo prazo para recebimento do valor", explicou.
De posse das informações levantadas, as equipes da 5ª DM, com o apoio de três peritos do instituto de Criminalística, dirigiram-se até o estabelecimento comercial responsável pelas vendas das cartas de crédito e efetuaram a prisão de Ana Gabriele e Sávio Rodrigo. "Além da prisão da dupla, conduzimos cerca de oito vendedores a fim de prestarem depoimento na delegacia, como também apreendemos dois aparelhos de telefone celular, um HD externo e centenas de documentos que passarão pelo procedimento de perícia", salientou Marcelo Paes.
A dupla foi presa e responderá pelo crime de estelionato. Ana Gabriele foi conduzida para a 2ªDM; já Sávio Rodrigo se encontra custodiado na 4ªDM.Ainda de acordo com o delegado Marcelo Paes, as investigações continuam no intuito de verificar se outras pessoas foram lesadas. "Até o momento da operação, mais de 14 pessoas tinham sido vítimas do golpe. Acredito que, com a divulgação do caso, outras pessoas procurem a delegacia para denuncia o caso", finalizou. (da SSP)