Antecipação de eleições na FSF gera polêmica

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 19/05/2018 às 05:46:00

 

Com base no estatuto da Federação Sergipana de Futebol (FSF), o presidente Milton Dantas publicou na imprensa, esta semana edital oficial, convocando a eleição para o dia 5 de junho. O edital provocou reações diversas, algumas favoráveis outras não, obrigando a entidade a publicar uma Nota Oficial, justificando a decisão do presidente.
Nesta sexta-feira a FSF publicou também no boletim oficial da entidade o pedido de afastamento do presidente até o dia 30 de maio, quando se encerra a inscrição das chapas concorrentes. "É o período em que estarei visitando os filiados, confirmando que sou candidato à reeleição e evidentemente, solicitando o apoio dos diversos presidentes", disse Milton Dantas.  
Milton Dantas disse ainda, que a antecipação das eleições para o mês de junho, foi um pedido de 25 dirigentes de clubes que o procuraram, solicitando que assim fosse feito, para que o candidato eleito, possa se planejar para o novo período administrativo da entidade.  Na ausência de Milton Dantas, assume o comando da entidade o vice-presidente Técnico, Luiz Santana.  
Em nota oficial divulgada na tarde desta sexta-feira, 18, a entidade explica os motivos da antecipação e que esse fato não o não fere o estatuto. Veja na íntegra a nota de esclarecimento da FSF:
NOTA DE
ESCLARECIMENTO
O presidente da Federação Sergipana de Futebol (FSF), Milton Dantas de Farias Júnior, no uso de suas atribuições legais, esclarece que de conformidade com o parágrafo primeiro do artigo 6° do Estatuto da FSF, a assembleia geral ordinária de natureza eleitoral, reunir-se-á em até seis (6) meses antes do término do mandato em vigor para eleger o Presidente, o Vice-Presidente e os membros do Conselho Fiscal que serão empossados pela Assembleia Geral Ordinária a ser realizada na primeira quinzena do mês de janeiro subsequente ao término do mandato.
Dessa forma, em consonância ao que rege o artigo 6º, o presidente ressalta que não existe antecipação do processo eleitoral, portanto, não há nenhum tipo de irregularidade, uma vez que tudo está sendo feito de acordo com o estatuto da FSF. 
O presidente destaca que desde janeiro último, 70% dos clubes da primeira, segunda divisão e amadores filiados à FSF apresentaram um documento à presidência da Federação solicitando que a eleição fosse realizada ainda nesse primeiro semestre. Também acrescenta que as questões de planejamento são os principais motivos para que o processo seja realizado ainda esse ano.
Milton Dantas reitera ainda que a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) também realizou a eleição da sua diretoria nas mesmas condições e orientou a todas as federações que fizessem o mesmo, desde que atendam as regras contidas nos estatutos das entidades. A Federação Sergipana e a do Estado do Piauí são as únicas do Nordeste que ainda não realizaram o processo eleitoral.
O presidente enfatiza que o processo é amplamente democrático e que o pleito está aberto para qualquer candidato, que preencha as regras do estatuto da entidade para se candidatar até o dia 30 de maio do ano em curso e, a partir da segunda-feira, 21, na condição de pré-candidato estará licenciando-se do cargo para entrar em campanha.

Com base no estatuto da Federação Sergipana de Futebol (FSF), o presidente Milton Dantas publicou na imprensa, esta semana edital oficial, convocando a eleição para o dia 5 de junho. O edital provocou reações diversas, algumas favoráveis outras não, obrigando a entidade a publicar uma Nota Oficial, justificando a decisão do presidente.
Nesta sexta-feira a FSF publicou também no boletim oficial da entidade o pedido de afastamento do presidente até o dia 30 de maio, quando se encerra a inscrição das chapas concorrentes. "É o período em que estarei visitando os filiados, confirmando que sou candidato à reeleição e evidentemente, solicitando o apoio dos diversos presidentes", disse Milton Dantas.  
Milton Dantas disse ainda, que a antecipação das eleições para o mês de junho, foi um pedido de 25 dirigentes de clubes que o procuraram, solicitando que assim fosse feito, para que o candidato eleito, possa se planejar para o novo período administrativo da entidade.  Na ausência de Milton Dantas, assume o comando da entidade o vice-presidente Técnico, Luiz Santana.  
Em nota oficial divulgada na tarde desta sexta-feira, 18, a entidade explica os motivos da antecipação e que esse fato não o não fere o estatuto. Veja na íntegra a nota de esclarecimento da FSF:
NOTA DEESCLARECIMENTO
O presidente da Federação Sergipana de Futebol (FSF), Milton Dantas de Farias Júnior, no uso de suas atribuições legais, esclarece que de conformidade com o parágrafo primeiro do artigo 6° do Estatuto da FSF, a assembleia geral ordinária de natureza eleitoral, reunir-se-á em até seis (6) meses antes do término do mandato em vigor para eleger o Presidente, o Vice-Presidente e os membros do Conselho Fiscal que serão empossados pela Assembleia Geral Ordinária a ser realizada na primeira quinzena do mês de janeiro subsequente ao término do mandato.
Dessa forma, em consonância ao que rege o artigo 6º, o presidente ressalta que não existe antecipação do processo eleitoral, portanto, não há nenhum tipo de irregularidade, uma vez que tudo está sendo feito de acordo com o estatuto da FSF. 
O presidente destaca que desde janeiro último, 70% dos clubes da primeira, segunda divisão e amadores filiados à FSF apresentaram um documento à presidência da Federação solicitando que a eleição fosse realizada ainda nesse primeiro semestre. Também acrescenta que as questões de planejamento são os principais motivos para que o processo seja realizado ainda esse ano.
Milton Dantas reitera ainda que a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) também realizou a eleição da sua diretoria nas mesmas condições e orientou a todas as federações que fizessem o mesmo, desde que atendam as regras contidas nos estatutos das entidades. A Federação Sergipana e a do Estado do Piauí são as únicas do Nordeste que ainda não realizaram o processo eleitoral.
O presidente enfatiza que o processo é amplamente democrático e que o pleito está aberto para qualquer candidato, que preencha as regras do estatuto da entidade para se candidatar até o dia 30 de maio do ano em curso e, a partir da segunda-feira, 21, na condição de pré-candidato estará licenciando-se do cargo para entrar em campanha.