Atlético-GO descarta compra Tito ao Dragão

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 20/05/2018 às 12:07:00

 

Na última terça-feira, 
o Atlético-GO rece-
beu a notícia de que Tito teve seu contrato com o Confiança reativado, após uma decisão judicial. Se quiser continuar contando com o futebol do atacante na sequência da Série B do Brasileiro, o Atlético-GO vai precisar ressarcir comuma quantia financeira ao clube sergipano, mas isso já foi descartado, pelos dirigentes goianos.
- O Atlético não é um clube comprador. Estamos refazendo nosso estádio, temos as nossas prioridades. Não está no orçamento comprar jogadores. Não há dinheiro em caixa e se o Tito não tiver documentação favorável para continuar vamos buscar outra alternativa, disse o vice-presidente Adson Batista.
Tito havia conseguido a rescisão junto ao Confiança em novembro do ano passado, alegando que não estava recebendo o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e acertou com o Atlético-GO, por quem já fez 11 jogos e marcou quatro gols em 2018.
No entanto, o Confiança entrou com um recurso no Tribunal Regional do Trabalho e Tito teve sua liminar cassada. Assim, o contrato com o time sergipano volta a ter validade e ele fica impossibilitado de defender o Atlético-GO até que a situação seja resolvida.
O atacante era titular absoluto no time de Cláudio Tencatti neste início de Série B, com presença nos cinco jogos realizados até então. Por conta da decisão judicial, Tito cedeu lugar para Renato Kayser neste sábado, quando o Atlético-GO enfrentou a Ponte Preta, fora de casa.

Na última terça-feira,  o Atlético-GO rece- beu a notícia de que Tito teve seu contrato com o Confiança reativado, após uma decisão judicial. Se quiser continuar contando com o futebol do atacante na sequência da Série B do Brasileiro, o Atlético-GO vai precisar ressarcir comuma quantia financeira ao clube sergipano, mas isso já foi descartado, pelos dirigentes goianos.
- O Atlético não é um clube comprador. Estamos refazendo nosso estádio, temos as nossas prioridades. Não está no orçamento comprar jogadores. Não há dinheiro em caixa e se o Tito não tiver documentação favorável para continuar vamos buscar outra alternativa, disse o vice-presidente Adson Batista.
Tito havia conseguido a rescisão junto ao Confiança em novembro do ano passado, alegando que não estava recebendo o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e acertou com o Atlético-GO, por quem já fez 11 jogos e marcou quatro gols em 2018.
No entanto, o Confiança entrou com um recurso no Tribunal Regional do Trabalho e Tito teve sua liminar cassada. Assim, o contrato com o time sergipano volta a ter validade e ele fica impossibilitado de defender o Atlético-GO até que a situação seja resolvida.
O atacante era titular absoluto no time de Cláudio Tencatti neste início de Série B, com presença nos cinco jogos realizados até então. Por conta da decisão judicial, Tito cedeu lugar para Renato Kayser neste sábado, quando o Atlético-GO enfrentou a Ponte Preta, fora de casa.