Condenado pelo Caso Valdir é assassinado em Propriá

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 22/05/2018 às 05:04:00

 

A polícia de Propriá (Baixo São Francisco) vai investigar o assassinato do ex-policial José Honório Rodrigues Neto, o 'Zé Neto', 53 anos, que foi um dos condenados pelo envolvimento com a morte do promotor Valdir de Freitas Dantas, ocorrida há 20 anos. 'Zé Neto' morreu na noite deste sábado, enquanto bebia com outros dois amigos em um bar no Povoado São Miguel, zona rural de Propriá. Segundo testemunhas, um homem se aproximou do ex-policial, pediu que todos se afastassem e o executou com quatro tiros de pistola na cabeça. 
José Honório morava em Propriá depois de ter cumprido a pena de prisão pela qual foi condenado, em 2006.Na época, ele também foi expulso da Polícia Militar. Ele foi apontado como um dos que participaram do crime contra o promotor, ocorrido em 19 de março de 1998, quando ele caminhava na estrada de acesso a Cedro de São João. 
'Zé Neto' estava em liberdade condicional há pelo menos cinco meses, mas também respondeu a processos por outros crimes de homicídio, chegando a ser um dos presos da 'Operação Pacificação', deflagrada em junho de 2015 pela Delegacia Regional de Propriá, com apoio da Polícia Federal. A polícia ainda não tem pistas sobre os motivos e nem sobre a autoria da morte do ex-militar. 

A polícia de Propriá (Baixo São Francisco) vai investigar o assassinato do ex-policial José Honório Rodrigues Neto, o 'Zé Neto', 53 anos, que foi um dos condenados pelo envolvimento com a morte do promotor Valdir de Freitas Dantas, ocorrida há 20 anos. 'Zé Neto' morreu na noite deste sábado, enquanto bebia com outros dois amigos em um bar no Povoado São Miguel, zona rural de Propriá. Segundo testemunhas, um homem se aproximou do ex-policial, pediu que todos se afastassem e o executou com quatro tiros de pistola na cabeça. 
José Honório morava em Propriá depois de ter cumprido a pena de prisão pela qual foi condenado, em 2006.Na época, ele também foi expulso da Polícia Militar. Ele foi apontado como um dos que participaram do crime contra o promotor, ocorrido em 19 de março de 1998, quando ele caminhava na estrada de acesso a Cedro de São João. 
'Zé Neto' estava em liberdade condicional há pelo menos cinco meses, mas também respondeu a processos por outros crimes de homicídio, chegando a ser um dos presos da 'Operação Pacificação', deflagrada em junho de 2015 pela Delegacia Regional de Propriá, com apoio da Polícia Federal. A polícia ainda não tem pistas sobre os motivos e nem sobre a autoria da morte do ex-militar.