Mmilitantes petistas lançam campanha por Plebiscito pela candidatura do PT ao governo de Sergipe

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 22/05/2018 às 05:17:00

 

Na última sexta-feira,  militantes petistas lançaram a campanha por "Plebiscito pela candidatura do PT ao Governo de Sergipe". A ideia do plebiscito surgiu, pois uma parcela da direção do PT de Sergipe defende o lançamento de candidaturas próprias ao Governo Estadual e ao Senado Federal, numa aliança de esquerda e com programa democrático, popular e radical de mudanças.
 "Apresentamos a proposta de plebiscito na reunião da direção, mas negaram a proposta por 8 votos a 5. Considerando que a maioria dos dirigentes estão cometendo uma grave equívoco, vamos buscar a opinião e garra da militância petista para reverter esse jogo. As resoluções do 6º Congresso Nacional do PT e do Diretório Nacional proíbem alianças com golpistas. Vamos lutar, esperamos ganhar essa batalha na base do partido", aponta Tadeu Brito, membro da executiva do PT/SE.
O estatuto do partido permite que a militância possa decidir a política e as candidaturas do PT pela realização do plebiscito. De acordo com o artigo  66 do estatuto é preciso que 20% dos participantes do Processo de Eleições Diretas do PT subscrevam o pedido de Plebiscito. Com isso, a direção do partido é obrigada a realizá-lo. O PT de Sergipe possui quase 23 mil filiados e militantes.
Quem defende apoiar Belivaldo Chagas (PSD), indicando Rogério Carvalho para a vaga ao Senado, junto com Jackson Barreto (MDB), quer decidir a posição do PT em um encontro com menos de 200 delegados.
Para os defensores da candidatura própria, não dá mais para o PT fazer alianças com partidos que apoiaram o golpe e que estão retirando direitos dos trabalhadores brasileiros. A deputada petista Ana Lucia afirmou em entrevista para uma rádio local que "a unidade do partido só com candidatura própria ao Governo de Sergipe".
 "Como todos sabem Belivaldo Chagas é o candidato de Jackson Barreto (MDB), aquele mesmo que realizou o pior governo da história de Sergipe", adverte o pré-candidato a governador do PT,  professor Rubens Marques.
Aliar-se com partidos que apoiaram o golpe é o primeiro passo para a destruição do partido em Sergipe. "É suicídio político o PT se coligar com o grupo de Jackson Barreto e aos partidos que nacionalmente apoiaram o golpe, a exemplo do MDB  de Temer e do PSD, de Gilberto Kassab, Ministro de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicação", explica o pré-candidato ao Senado, professor Joel Almeida.
Os organizadores informam que existem pontos de coleta fixo, o principal deles é na sede do partido em Aracaju. Mas que também já existem nos municípios diversas listas disponíveis para os filiados assinarem. Outra opção é subscrever o pedido de Plebiscito pela internet no link da campanha 'Quero Decidir' https://www.facebook.com/QueroDecidir

Na última sexta-feira,  militantes petistas lançaram a campanha por "Plebiscito pela candidatura do PT ao Governo de Sergipe". A ideia do plebiscito surgiu, pois uma parcela da direção do PT de Sergipe defende o lançamento de candidaturas próprias ao Governo Estadual e ao Senado Federal, numa aliança de esquerda e com programa democrático, popular e radical de mudanças.
 "Apresentamos a proposta de plebiscito na reunião da direção, mas negaram a proposta por 8 votos a 5. Considerando que a maioria dos dirigentes estão cometendo uma grave equívoco, vamos buscar a opinião e garra da militância petista para reverter esse jogo. As resoluções do 6º Congresso Nacional do PT e do Diretório Nacional proíbem alianças com golpistas. Vamos lutar, esperamos ganhar essa batalha na base do partido", aponta Tadeu Brito, membro da executiva do PT/SE.
O estatuto do partido permite que a militância possa decidir a política e as candidaturas do PT pela realização do plebiscito. De acordo com o artigo  66 do estatuto é preciso que 20% dos participantes do Processo de Eleições Diretas do PT subscrevam o pedido de Plebiscito. Com isso, a direção do partido é obrigada a realizá-lo. O PT de Sergipe possui quase 23 mil filiados e militantes.
Quem defende apoiar Belivaldo Chagas (PSD), indicando Rogério Carvalho para a vaga ao Senado, junto com Jackson Barreto (MDB), quer decidir a posição do PT em um encontro com menos de 200 delegados.
Para os defensores da candidatura própria, não dá mais para o PT fazer alianças com partidos que apoiaram o golpe e que estão retirando direitos dos trabalhadores brasileiros. A deputada petista Ana Lucia afirmou em entrevista para uma rádio local que "a unidade do partido só com candidatura própria ao Governo de Sergipe".
 "Como todos sabem Belivaldo Chagas é o candidato de Jackson Barreto (MDB), aquele mesmo que realizou o pior governo da história de Sergipe", adverte o pré-candidato a governador do PT,  professor Rubens Marques.
Aliar-se com partidos que apoiaram o golpe é o primeiro passo para a destruição do partido em Sergipe. "É suicídio político o PT se coligar com o grupo de Jackson Barreto e aos partidos que nacionalmente apoiaram o golpe, a exemplo do MDB  de Temer e do PSD, de Gilberto Kassab, Ministro de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicação", explica o pré-candidato ao Senado, professor Joel Almeida.
Os organizadores informam que existem pontos de coleta fixo, o principal deles é na sede do partido em Aracaju. Mas que também já existem nos municípios diversas listas disponíveis para os filiados assinarem. Outra opção é subscrever o pedido de Plebiscito pela internet no link da campanha 'Quero Decidir' https://www.facebook.com/QueroDecidir