Alese concede Título de Cidadania Sergipana a fundadores da CUT Sergipe

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Edmilson Araújo ao receber o título na Assembleia Legislativa
Edmilson Araújo ao receber o título na Assembleia Legislativa

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 23/05/2018 às 06:54:00

 

Com a frase "Fora Temer! Lula Livre", a deputada estadual Ana Lúcia finalizou seu discurso de outorga do Título de Cidadania Sergipana a dois militantes sindicais históricos e fundadores da Central Única dos Trabalhadores em Sergipe: Edmilson Araújo e Rômulo Rodrigues.
A solenidade ocorreu na tarde desta terça-feira, no plenário da Assembleia Legislativa de Sergipe. Ana Lúcia é autora do Projeto de Resolução que concede a honraria a Rômulo Rodrigues e o ex deputado estadual Professor Wanderlê Correa, do que torna Edmilson Araújo cidadão sergipano.
 "Essa sessão solene da Assembleia Legislativa de Sergipe é um registro histórico que há muito se fazia necessário, tendo em vista o papel decisivo desses dois operários na disseminação do 'novo sindicalismo' em Sergipe, a partir do início da década de 80", apontou Ana Lúcia, destacando que os homenageados foram operários da Nitrofértil/Fafen, atualmente aposentados, ambos militaram na fundação do PT, juntos fundaram o Sindiquímica e a CUT, para responder aos apelos da história foram construir o PSTU e posteriormente regressaram ao PT.
 "Vocês ensinaram aos militantes da esquerda sergipana que o partido por ser parte, deve sempre defender os interesses da classe trabalhadora, que a soberania popular se sobrepõe aos interesses individuais e que uma organização partidária socialista não pode ser moldada para ser peça auxiliar dos interesses políticos de alianças de ocasião e eleitoreiras", apontou Ana Lúcia.
O homenageado Edmilson Araújo agradeceu a honraria. "Sou grato a esse povo generoso que me acolheu aqui, sou grato a essa classe trabalhadora disposta, exuberante que construiu um movimento sindical e as bases políticas para o Sergipe novo que surgiu a partir daí com seus novos personagens e realidades políticas. Vejo aqui parcela da classe trabalhadora deste Estado, sobretudo da velha guarda da Fafen que me fizeram lutador e cidadão sergipano. Com estes eu divido o Título de Cidadão Sergipano que hoje recebo", apontou Edmilson.
Rômulo Rodrigues agradeceu a homenagem, destacando, assim como Edmilson, de que o título não é pessoal, mas de todos aqueles que somaram esforços em defesa da classe trabalhadora.
"É nossa tarefa disputar a hegemonia da sociedade. Ela é pedagógica, é educativa e é revolucionária. Enquanto tivermos consciência e capacidade de elaboração, temos este papel, que é de fundamentalmente de educar. A classe trabalhadora nada tem a perder em uma revolução, a não ser suas amarras", finalizou, Rômulo, parafraseando Marx e motivando os trabalhadores e trabalhadoras presentes.

Com a frase "Fora Temer! Lula Livre", a deputada estadual Ana Lúcia finalizou seu discurso de outorga do Título de Cidadania Sergipana a dois militantes sindicais históricos e fundadores da Central Única dos Trabalhadores em Sergipe: Edmilson Araújo e Rômulo Rodrigues.
A solenidade ocorreu na tarde desta terça-feira, no plenário da Assembleia Legislativa de Sergipe. Ana Lúcia é autora do Projeto de Resolução que concede a honraria a Rômulo Rodrigues e o ex deputado estadual Professor Wanderlê Correa, do que torna Edmilson Araújo cidadão sergipano.
 "Essa sessão solene da Assembleia Legislativa de Sergipe é um registro histórico que há muito se fazia necessário, tendo em vista o papel decisivo desses dois operários na disseminação do 'novo sindicalismo' em Sergipe, a partir do início da década de 80", apontou Ana Lúcia, destacando que os homenageados foram operários da Nitrofértil/Fafen, atualmente aposentados, ambos militaram na fundação do PT, juntos fundaram o Sindiquímica e a CUT, para responder aos apelos da história foram construir o PSTU e posteriormente regressaram ao PT.
 "Vocês ensinaram aos militantes da esquerda sergipana que o partido por ser parte, deve sempre defender os interesses da classe trabalhadora, que a soberania popular se sobrepõe aos interesses individuais e que uma organização partidária socialista não pode ser moldada para ser peça auxiliar dos interesses políticos de alianças de ocasião e eleitoreiras", apontou Ana Lúcia.
O homenageado Edmilson Araújo agradeceu a honraria. "Sou grato a esse povo generoso que me acolheu aqui, sou grato a essa classe trabalhadora disposta, exuberante que construiu um movimento sindical e as bases políticas para o Sergipe novo que surgiu a partir daí com seus novos personagens e realidades políticas. Vejo aqui parcela da classe trabalhadora deste Estado, sobretudo da velha guarda da Fafen que me fizeram lutador e cidadão sergipano. Com estes eu divido o Título de Cidadão Sergipano que hoje recebo", apontou Edmilson.
Rômulo Rodrigues agradeceu a homenagem, destacando, assim como Edmilson, de que o título não é pessoal, mas de todos aqueles que somaram esforços em defesa da classe trabalhadora."É nossa tarefa disputar a hegemonia da sociedade. Ela é pedagógica, é educativa e é revolucionária. Enquanto tivermos consciência e capacidade de elaboração, temos este papel, que é de fundamentalmente de educar. A classe trabalhadora nada tem a perder em uma revolução, a não ser suas amarras", finalizou, Rômulo, parafraseando Marx e motivando os trabalhadores e trabalhadoras presentes.