JB ABRE O VERBO, E DENUNCÍA

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 27/05/2018 às 03:52:00

Numa rádio de Porto da Folha, a Grande Rio, Jackson  abriu o verbo pela primeira vez, e denunciou a perseguição que Temer montou contra Sergipe. Diz que ouviu de Temer a chantagem: ¨Você quer o empréstimo da Caixa Econômica, faça seus deputados votarem a favor da reforma da previdência¨. E deu pronto a resposta: ¨Eu não sou dono de deputados, lá em Sergipe coronel do interior já acabou há muito tempo¨. Elogiando o então presidente  da Caixa, Gilberto Ochi, JB disse que já fora aprovado o empréstimo, e Temer, de forma antiética, interferiu para impedir. É por coisas assim que ele a cada dia mais se desmoraliza.
Perguntado se Edvaldo Nogueira irá apoiá-lo,  a Belivaldo, e a André, Jackson respondeu: ¨ Edvaldo é um valoroso integrante do nosso grupo, um excelente prefeito,  um homem comprometido com a forma ética de fazer política, e sempre foi leal. Se ele vai pedir votos para André, eu não sei, ele é livre para decidir, mas se André estiver num palanque junto com Edvaldo, nele, nem eu, e acredito, nem Belivaldo,  subiremos. E concluiu: Edvaldo sabe que terá um bom futuro político permanecendo apenas onde sempre esteve, e ganhou personalidade própria nesse campo.
Sobre  a saída de Heleno Silva do grupo, indo apoiar André  e Amorim, Jackson apenas disse: ¨Ele  foi prestigiado no nosso grupo, para ele e o seu partido sempre criamos amplos espaços, mas, se agora  vai juntar-se aos que sempre dele também foram adversários, deve ter sido alguma forma de sedução. Ele não foi preterido como candidato ao Senado junto comigo, apenas, ele, pelo que sei, não pode ser candidato, continua inelegível.  Sua pena que era de 3 anos de prisão, foi reduzida para  2, naquele caso dos Sangue Sugas, mas a inelegibilidade por 8 anos permanece, Mas eu torço para que ele dispute a eleição, e saiba explicar seu gesto ao povo ¨.
JB foi muito aplaudido na saída da emissora, onde muitos o esperavam.