Temer diz ter convicção de que paralisação será encerrada até hoje

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 29/05/2018 às 03:19:00

 

Marcelo Brandão 
Agência Brasil
 
O presidente Michel 
Temer disse ter 
"absoluta convicção" de que a paralisação dos caminhoneiros terminará até hoje (29). A declaração do presidente se dá após o acordo anunciado domingo (27) entre o governo e um grupo de representantes da categoria.
"Tenho absoluta convicção de que entre hoje e amanhã todos nós, irmanados, e aqueles que estão na chamada greve, já recomendada pelos seus líderes como devendo cessar; tenho certeza que tudo isto trará muita tranquilidade". Temer falou durante a posse do novo ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Ronaldo Fonseca. O cargo estava vago desde o início de abril, quando Moreira Franco deixou a pasta para assumir o Ministério de Minas e Energia.
O acordo firmando ontem entre governo e representantes dos caminhoneiros prevê, entre outras coisas, congelar por 60 dias a redução do preço do diesel na bomba em R$ 0,46 por litro e eliminar a cobrança do pedágio dos eixos suspensos dos caminhões em todo o país. Este segundo item seria negociado com os estados, mas Temer decidiu publicar uma Medida Provisória para acelerar o processo e garantir o acordo.

O presidente Michel  Temer disse ter  "absoluta convicção" de que a paralisação dos caminhoneiros terminará até hoje (29). A declaração do presidente se dá após o acordo anunciado domingo (27) entre o governo e um grupo de representantes da categoria.
"Tenho absoluta convicção de que entre hoje e amanhã todos nós, irmanados, e aqueles que estão na chamada greve, já recomendada pelos seus líderes como devendo cessar; tenho certeza que tudo isto trará muita tranquilidade". Temer falou durante a posse do novo ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Ronaldo Fonseca. O cargo estava vago desde o início de abril, quando Moreira Franco deixou a pasta para assumir o Ministério de Minas e Energia.
O acordo firmando ontem entre governo e representantes dos caminhoneiros prevê, entre outras coisas, congelar por 60 dias a redução do preço do diesel na bomba em R$ 0,46 por litro e eliminar a cobrança do pedágio dos eixos suspensos dos caminhões em todo o país. Este segundo item seria negociado com os estados, mas Temer decidiu publicar uma Medida Provisória para acelerar o processo e garantir o acordo.