Longas filas para adquirir combustível

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
ALGUNS POSTOS RECEBERAM COMBUSTÍVEIS, MAS AS FILAS CONTINUAM ENORMES. PESSOAS ESTÃO LEVANDO GASOLINA ATÉ EM GALÕES
ALGUNS POSTOS RECEBERAM COMBUSTÍVEIS, MAS AS FILAS CONTINUAM ENORMES. PESSOAS ESTÃO LEVANDO GASOLINA ATÉ EM GALÕES

O Huse recebeu ontem oxigênio medicinal
O Huse recebeu ontem oxigênio medicinal

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 29/05/2018 às 03:36:00

 

Milton Alves Júnbior
Milhares de sergipa
nos residentes em 
Aracaju e municípios da Região Metropolitana começaram a semana peregrinando em busca de postos de combustíveis abertos, e aptos para reabastecer os respectivos veículos automotivos. Apesar de o novo acordo entre caminhoneiros e Governo Federal ter sido oficializado na noite do último domingo, a escassez dos produtos nestes estabelecimentos fez com que as filas gigantescas nos arredores dos postos seguissem durante todo o dia de ontem. Aos poucos, caminhões tanques carregados começam a circular em maior escala, porém, a perspectiva é que o sistema somente esteja integralmente normalizado durante o próximo final de semana.
De acordo com o frentista Felipe Matos, ao menos essa é a previsão apresentada pelo setor patronal aos vendedores e atendentes dos postos. Caso haja um novo desentendimento entre grevistas e gestores do primeiro escalão federal, ou mesmo os caminhoneiros demorem a deixar os acostamentos e reiniciem o processo de entrega das cargas, toda essa previsão inicial pode alterar gradativamente. Diante do transtorno geral ocasionado pela greve unificada dos motoristas de caminhões, o funcionário pede paciência junto aos contribuintes e ressalta que a categoria não possui culpa pela criação das filas e consecutiva demora no abastecimento dos veículos.
"Passamos a sexta e o sábado abastecendo apenas com álcool porque a gasolina tinha acabado. Domingo não tinha mais nada e durante a madrugada de ontem chegou uma carga que deu para encher um pouco os reservatórios. Estamos nos dedicando para atender a todo mundo o mais rápido possível, mas infelizmente alguns clientes não entendem isso, acham que a culpa dessas filas é nossa e acabam reclamando. Somos (frentistas) tão vítimas de um país carregado de gestores corruptos como todos os demais trabalhadores brasileiros", declarou. Apesar do paulatino reabastecimento dos postos, serviços como: transporte público, táxis, motoboys e Uber seguem limitados.
Não funciona - Por meio de comunicado oficial a Assembleia Legislativa do Estado de Sergipe optou conceder ponto facultativo durante todo o dia de ontem. A medida ocorreu em virtude de a greve dos caminhoneiros ter gerado empecilhos para que os servidores conseguissem se direcionar ao local de trabalho. Atitude semelhante foi adotada pela Universidade Federal de Sergipe (UFS), e pela Universidade Tiradentes (Unit), que suspendeu todas as atividades educacionais no turno da noite. Ambas as instituições disseram entender as dificuldades enfrentadas por professores e acadêmicos, e aconselharam entrar em acordo para a reposição das aulas suspensas.
Escolas - As aulas nas instituições públicas administradas pelo Governo de Sergipe, através da Secretaria de Estado da Educação (SEED), continuam suspensas até normalização integral, ou parcial, dos problemas administrativos ocasionados pela mobilização democrática coordenada por milhões de caminhoneiros. A suspensão das atividades educacionais atingem ainda unidades administradas pelas prefeituras municipais, incluindo creches e centros artísticos, culturais e profissionalizantes. O reestabelecimento e reposição das aulas ocorrerá a partir do momento em que o reabastecimento de combustíveis e entrega de alimentos escolares voltarem a ocorrer normalmente.
Aeroporto - A situação operacional no Aeroporto Santa Maria, em Aracaju segue registrando atrasos e cancelamentos de voos. Na manhã de ontem um voo da companhia aérea Azul que faria a rota Recife/ Aracaju foi cancelado por falta de combustível. Por meio de nota, a companhia confirmou que a inviabilidade do percurso se fez em virtude da greve dos caminhoneiros, que impede o fornecimento de combustível para as aeronaves. Todos os clientes desses voos foram reacomodados em outras frequências da própria empresa. Desde a última sexta-feira, 25, quatro voos foram cancelados em Aracaju; sendo dois da Latam, e dois da Avianca.

Milhares de sergipa nos residentes em  Aracaju e municípios da Região Metropolitana começaram a semana peregrinando em busca de postos de combustíveis abertos, e aptos para reabastecer os respectivos veículos automotivos. Apesar de o novo acordo entre caminhoneiros e Governo Federal ter sido oficializado na noite do último domingo, a escassez dos produtos nestes estabelecimentos fez com que as filas gigantescas nos arredores dos postos seguissem durante todo o dia de ontem. Aos poucos, caminhões tanques carregados começam a circular em maior escala, porém, a perspectiva é que o sistema somente esteja integralmente normalizado durante o próximo final de semana.
De acordo com o frentista Felipe Matos, ao menos essa é a previsão apresentada pelo setor patronal aos vendedores e atendentes dos postos. Caso haja um novo desentendimento entre grevistas e gestores do primeiro escalão federal, ou mesmo os caminhoneiros demorem a deixar os acostamentos e reiniciem o processo de entrega das cargas, toda essa previsão inicial pode alterar gradativamente. Diante do transtorno geral ocasionado pela greve unificada dos motoristas de caminhões, o funcionário pede paciência junto aos contribuintes e ressalta que a categoria não possui culpa pela criação das filas e consecutiva demora no abastecimento dos veículos.
"Passamos a sexta e o sábado abastecendo apenas com álcool porque a gasolina tinha acabado. Domingo não tinha mais nada e durante a madrugada de ontem chegou uma carga que deu para encher um pouco os reservatórios. Estamos nos dedicando para atender a todo mundo o mais rápido possível, mas infelizmente alguns clientes não entendem isso, acham que a culpa dessas filas é nossa e acabam reclamando. Somos (frentistas) tão vítimas de um país carregado de gestores corruptos como todos os demais trabalhadores brasileiros", declarou. Apesar do paulatino reabastecimento dos postos, serviços como: transporte público, táxis, motoboys e Uber seguem limitados.
Não funciona - Por meio de comunicado oficial a Assembleia Legislativa do Estado de Sergipe optou conceder ponto facultativo durante todo o dia de ontem. A medida ocorreu em virtude de a greve dos caminhoneiros ter gerado empecilhos para que os servidores conseguissem se direcionar ao local de trabalho. Atitude semelhante foi adotada pela Universidade Federal de Sergipe (UFS), e pela Universidade Tiradentes (Unit), que suspendeu todas as atividades educacionais no turno da noite. Ambas as instituições disseram entender as dificuldades enfrentadas por professores e acadêmicos, e aconselharam entrar em acordo para a reposição das aulas suspensas.
Escolas - As aulas nas instituições públicas administradas pelo Governo de Sergipe, através da Secretaria de Estado da Educação (SEED), continuam suspensas até normalização integral, ou parcial, dos problemas administrativos ocasionados pela mobilização democrática coordenada por milhões de caminhoneiros. A suspensão das atividades educacionais atingem ainda unidades administradas pelas prefeituras municipais, incluindo creches e centros artísticos, culturais e profissionalizantes. O reestabelecimento e reposição das aulas ocorrerá a partir do momento em que o reabastecimento de combustíveis e entrega de alimentos escolares voltarem a ocorrer normalmente.
Aeroporto - A situação operacional no Aeroporto Santa Maria, em Aracaju segue registrando atrasos e cancelamentos de voos. Na manhã de ontem um voo da companhia aérea Azul que faria a rota Recife/ Aracaju foi cancelado por falta de combustível. Por meio de nota, a companhia confirmou que a inviabilidade do percurso se fez em virtude da greve dos caminhoneiros, que impede o fornecimento de combustível para as aeronaves. Todos os clientes desses voos foram reacomodados em outras frequências da própria empresa. Desde a última sexta-feira, 25, quatro voos foram cancelados em Aracaju; sendo dois da Latam, e dois da Avianca.