Aos 93 anos, morre Dom Luciano Cabral Duarte

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Dom Luciano, ao lado da irmã, em foto da família
Dom Luciano, ao lado da irmã, em foto da família

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 30/05/2018 às 06:14:00

 

O arcebispo emérito de Aracaju, Dom Luciano Cabral Duarte, morreu nesta terça-feira, 29, por volta das 16h, no apartamento dele, em Aracaju (SE). Dom Luciano tinha 93 anos e sofria de Alzheimer. Estava com a saúde bem fragilizada, segundo a Cúria Metropolitana de Aracaju.
Ele faleceu ao lado da irmã dele, e de Dom João Palmeira Lessa. Dom Luciano é natural de Aracaju. É filho de José de Góes Duarte e Célia Cabral .
Estudou na Escola de Aprendizes Artífices, depois Escola Técnica, hoje IFS, antes de ingressar no Seminário Menor do Sagrado Coração de Jesus, aos 11 anos. Sempre foi o primeiro colocado na turma. Em 1942, mudou-se para o Seminário de Olinda, em Pernambuco. Em fevereiro de 1945 transferiu-se para São Leopoldo (Rio Grande do Sul) onde concluiu os estudos eclesiásticos necessários para se tornar padre.
Foi ordenado sacerdote por Dom Fernando Gomes, então bispo de Penedo, no dia 18 de janeiro de 1948. Padre Luciano iniciou suas atividades de sacerdote na Igreja do São Salvador.
Biografia - Dom Luciano José Cabral Duarte, sergipano, nascido em Aracaju, no dia 21 de janeiro de 1925, foi Bispo Auxiliar de Aracaju no governo de Dom José Vicente Távora e assumiu a titularidade da Arquidiocese, após nomeado Arcebispo, permanecendo de 1971 a 1998.
Teve uma atuação marcante como intelectual, antes e durante o episcopado, chegando a ser Presidente da Câmara de Ensino Superior do Conselho Estadual de Educação, liderando o trabalho para a constituição da Fundação Universidade Federal de Sergipe e foi membro do Conselho Federal de Educação, já como Arcebispo.
Dom Luciano conduziu o primeiro grande projeto de Reforma Agrária de Sergipe e, talvez do Brasil, para a época, quando adquiriu uma fazenda para o projeto chamado PROHCASE (Promoção do Homem do Campo de Sergipe), entre 1968 e 1988, que beneficiou mais de cinco mil famílias.
Dom Luciano foi autor de vários livros, entre os quais: Europa, Ver e Olhar, Europa e Europeus. Viagem aos Estados Unidos, Índia a Voo de Pássaro. Estrada de Emaús, A Igreja às Portas do Ano 2000 e "La Nature de l'intelligence dans le thomisme et dans la philosophie de Hume"(Tese de doutorado em Filosofia, na Sorbone). Dom Luciano criou a oração das vocações sacerdotais e religiosas rezada nas igrejas do Brasil inteiro.
O governador Belivaldo Chagas também destacou o trabalho do arcebispo na preservação do acervo católico de Sergipe, lembrando que o mesmo foi fundador do Museu de Arte Sacra de Sergipe, localizado em São Cristóvão. 
"É com tristeza que recebo mais essa notícia de falecimento. Sergipe perde dois intelectuais nesta terça-feira. Dom Luciano Cabral nos deixou um legado de conhecimento e de resiliência, um homem que fez da fé instrumento de saber, a exemplo do Museu de Arte Sacra, que guarda um rico acervo do catolicismo no Brasil", disse.
O velório está sendo realizado na Igreja Jesus Ressuscitado, na 13 de Julho, e o sepultamento ocorrerá hoje, às 16 horas, na Igreja do Salvador, no centro de Aracaju.

O arcebispo emérito de Aracaju, Dom Luciano Cabral Duarte, morreu nesta terça-feira, 29, por volta das 16h, no apartamento dele, em Aracaju (SE). Dom Luciano tinha 93 anos e sofria de Alzheimer. Estava com a saúde bem fragilizada, segundo a Cúria Metropolitana de Aracaju.
Ele faleceu ao lado da irmã dele, e de Dom João Palmeira Lessa. Dom Luciano é natural de Aracaju. É filho de José de Góes Duarte e Célia Cabral .
Estudou na Escola de Aprendizes Artífices, depois Escola Técnica, hoje IFS, antes de ingressar no Seminário Menor do Sagrado Coração de Jesus, aos 11 anos. Sempre foi o primeiro colocado na turma. Em 1942, mudou-se para o Seminário de Olinda, em Pernambuco. Em fevereiro de 1945 transferiu-se para São Leopoldo (Rio Grande do Sul) onde concluiu os estudos eclesiásticos necessários para se tornar padre.
Foi ordenado sacerdote por Dom Fernando Gomes, então bispo de Penedo, no dia 18 de janeiro de 1948. Padre Luciano iniciou suas atividades de sacerdote na Igreja do São Salvador.
Biografia - Dom Luciano José Cabral Duarte, sergipano, nascido em Aracaju, no dia 21 de janeiro de 1925, foi Bispo Auxiliar de Aracaju no governo de Dom José Vicente Távora e assumiu a titularidade da Arquidiocese, após nomeado Arcebispo, permanecendo de 1971 a 1998.
Teve uma atuação marcante como intelectual, antes e durante o episcopado, chegando a ser Presidente da Câmara de Ensino Superior do Conselho Estadual de Educação, liderando o trabalho para a constituição da Fundação Universidade Federal de Sergipe e foi membro do Conselho Federal de Educação, já como Arcebispo.
Dom Luciano conduziu o primeiro grande projeto de Reforma Agrária de Sergipe e, talvez do Brasil, para a época, quando adquiriu uma fazenda para o projeto chamado PROHCASE (Promoção do Homem do Campo de Sergipe), entre 1968 e 1988, que beneficiou mais de cinco mil famílias.
Dom Luciano foi autor de vários livros, entre os quais: Europa, Ver e Olhar, Europa e Europeus. Viagem aos Estados Unidos, Índia a Voo de Pássaro. Estrada de Emaús, A Igreja às Portas do Ano 2000 e "La Nature de l'intelligence dans le thomisme et dans la philosophie de Hume"(Tese de doutorado em Filosofia, na Sorbone). Dom Luciano criou a oração das vocações sacerdotais e religiosas rezada nas igrejas do Brasil inteiro.O governador Belivaldo Chagas também destacou o trabalho do arcebispo na preservação do acervo católico de Sergipe, lembrando que o mesmo foi fundador do Museu de Arte Sacra de Sergipe, localizado em São Cristóvão. 
"É com tristeza que recebo mais essa notícia de falecimento. Sergipe perde dois intelectuais nesta terça-feira. Dom Luciano Cabral nos deixou um legado de conhecimento e de resiliência, um homem que fez da fé instrumento de saber, a exemplo do Museu de Arte Sacra, que guarda um rico acervo do catolicismo no Brasil", disse.
O velório está sendo realizado na Igreja Jesus Ressuscitado, na 13 de Julho, e o sepultamento ocorrerá hoje, às 16 horas, na Igreja do Salvador, no centro de Aracaju.