Bloqueios nas estradas causam prejuízo de R$ 6,6 bi para produtores

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 31/05/2018 às 09:49:00

 

Pedro Peduzzi 
Agência Brasil 
 
Os protestos dos caminhoneiros resultaram em um prejuízo de R$ 6,6 bilhões para os produtores rurais, informou a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).
O valor abrange as perdas relativas ao chamado Valor Bruto da Produção (VBP), que mede a estimativa de faturamento bruto na produção. Por meio de nota, a CNA informou que este prejuízo é "apenas na produção primária, sem considerar ainda o processamento, as indústrias e a parte de insumos, que estão tendo prejuízos severos".
O prejuízo deve ficar ainda maior, segundo a entidade, já que se levará tempo até que a situação fique normalizada - o que pode levar de seis meses a um ano, prazo que, segundo a entidade, será o necessário para que os produtores se reestruturem. Diante desse cenário, a CNA alerta sobre a possibilidade de "caos extremos", caso os bloqueios continuem.
Ainda segundo a nota, há registros de animais morrendo nas estradas, além de desperdício de hortaliças e de leite.
Diante desse cenário, a CNA encaminhou ofícios solicitando, aos Ministérios da Defesa e da Segurança Pública, que sejam feitas escoltas para o transporte de produtos perecíveis, carga viva e insumos para garantir o abastecimento dos produtores.

Os protestos dos caminhoneiros resultaram em um prejuízo de R$ 6,6 bilhões para os produtores rurais, informou a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).
O valor abrange as perdas relativas ao chamado Valor Bruto da Produção (VBP), que mede a estimativa de faturamento bruto na produção. Por meio de nota, a CNA informou que este prejuízo é "apenas na produção primária, sem considerar ainda o processamento, as indústrias e a parte de insumos, que estão tendo prejuízos severos".
O prejuízo deve ficar ainda maior, segundo a entidade, já que se levará tempo até que a situação fique normalizada - o que pode levar de seis meses a um ano, prazo que, segundo a entidade, será o necessário para que os produtores se reestruturem. Diante desse cenário, a CNA alerta sobre a possibilidade de "caos extremos", caso os bloqueios continuem.
Ainda segundo a nota, há registros de animais morrendo nas estradas, além de desperdício de hortaliças e de leite.
Diante desse cenário, a CNA encaminhou ofícios solicitando, aos Ministérios da Defesa e da Segurança Pública, que sejam feitas escoltas para o transporte de produtos perecíveis, carga viva e insumos para garantir o abastecimento dos produtores.