Gestores da Seidh e Sefaz alinham priorização de ações da Assistência Social

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Aspecto da reunião dos secretários da Fazenda e da Seidh
Aspecto da reunião dos secretários da Fazenda e da Seidh

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 02/06/2018 às 05:35:00

 

Em reunião realizada na secretaria de Estado da Inclusão Social (Seidh), o secretário José Carlos Felizola recebeu o secretário de estado da Fazenda, Ademario Alves, para apresentar as ações essenciais da política da Assistência Social desenvolvida pela Seidh junto aos municípios. Em destaque na pauta, o cofinanciamento estadual, a reforma da Casa de Passagem, o incremento das atividades para as comunidades nos Espaços Cuidar, as ações de Inclusão Produtiva, o CapacitaSuas e a ampliação do Governo em Ação.
De acordo com Ademário, o objetivo foi conhecer mais a fundo a destinação dos recursos da Assistência Social. "A ideia é que a gente possa entender para onde estão sendo direcionados esses recursos e, compreendendo isso, melhorar a gestão, eventualmente ampliando a disponibilidade de recursos para as ações prioritárias, que chegam na ponta. Ou seja, levar maior aporte de recursos para quem mais precisa a partir da economia em outras áreas que entendemos como menos prioritárias", pontuou o secretário da Fazenda.
Felizola abordou a importância de o Estado divulgar entre o empresariado a possibilidade de doação a partir de renúncia fiscal para os Fundos Estaduais da Criança e do Adolescente e de Proteção ao Idoso (Fundecria e Fundeproi). "Através desses dois fundos, gerenciados pelos Conselhos Estaduais, estamos conseguindo apoiar projetos de diversas organizações da sociedade civil e iremos realizar a reforma do Lar de Idosos São Francisco de Assis, em Simão Dias. A doação para esses fundos é uma forma da sociedade contribuir, revertendo seus impostos em ações diretas na área da Assistência Social", pontuou.
Os técnicos da Seidh apresentaram um demonstrativo dos principais programas executados e dos serviços do Sistema Único de Assistência Social, com foco no cofinanciamento da Proteção Social Básica e Especial de Média e Alta Complexidade. De acordo com Kátia Ferreira, coordenadora Estadual da Assistência Social, esse é o foco principal de atenção. "É importantíssimo que o secretário da Fazenda entenda como funciona a política da Assistência Social. Estamos vendo que há uma sensibilidade e o interesse em priorizar as ações voltadas para a população em situação de vulnerabilidade", disse Kátia.
O secretário da Fazenda afirmou que é preciso cumprir o orçamento integralmente dentro do exercício, mas a ideia é que isso seja feito direcionando os recursos para quem mais precisa. "A lei indica para a desvinculação de até 30% da receita do Funcep para outras áreas, mas queremos evitar ao máximo. O que for ação de combate à extrema pobreza e de apoio social é prioridade absoluta para o governador", concluiu Ademário.

Em reunião realizada na secretaria de Estado da Inclusão Social (Seidh), o secretário José Carlos Felizola recebeu o secretário de estado da Fazenda, Ademario Alves, para apresentar as ações essenciais da política da Assistência Social desenvolvida pela Seidh junto aos municípios. Em destaque na pauta, o cofinanciamento estadual, a reforma da Casa de Passagem, o incremento das atividades para as comunidades nos Espaços Cuidar, as ações de Inclusão Produtiva, o CapacitaSuas e a ampliação do Governo em Ação.
De acordo com Ademário, o objetivo foi conhecer mais a fundo a destinação dos recursos da Assistência Social. "A ideia é que a gente possa entender para onde estão sendo direcionados esses recursos e, compreendendo isso, melhorar a gestão, eventualmente ampliando a disponibilidade de recursos para as ações prioritárias, que chegam na ponta. Ou seja, levar maior aporte de recursos para quem mais precisa a partir da economia em outras áreas que entendemos como menos prioritárias", pontuou o secretário da Fazenda.
Felizola abordou a importância de o Estado divulgar entre o empresariado a possibilidade de doação a partir de renúncia fiscal para os Fundos Estaduais da Criança e do Adolescente e de Proteção ao Idoso (Fundecria e Fundeproi). "Através desses dois fundos, gerenciados pelos Conselhos Estaduais, estamos conseguindo apoiar projetos de diversas organizações da sociedade civil e iremos realizar a reforma do Lar de Idosos São Francisco de Assis, em Simão Dias. A doação para esses fundos é uma forma da sociedade contribuir, revertendo seus impostos em ações diretas na área da Assistência Social", pontuou.
Os técnicos da Seidh apresentaram um demonstrativo dos principais programas executados e dos serviços do Sistema Único de Assistência Social, com foco no cofinanciamento da Proteção Social Básica e Especial de Média e Alta Complexidade. De acordo com Kátia Ferreira, coordenadora Estadual da Assistência Social, esse é o foco principal de atenção. "É importantíssimo que o secretário da Fazenda entenda como funciona a política da Assistência Social. Estamos vendo que há uma sensibilidade e o interesse em priorizar as ações voltadas para a população em situação de vulnerabilidade", disse Kátia.
O secretário da Fazenda afirmou que é preciso cumprir o orçamento integralmente dentro do exercício, mas a ideia é que isso seja feito direcionando os recursos para quem mais precisa. "A lei indica para a desvinculação de até 30% da receita do Funcep para outras áreas, mas queremos evitar ao máximo. O que for ação de combate à extrema pobreza e de apoio social é prioridade absoluta para o governador", concluiu Ademário.