Feito a ordem

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O presidente do Tribunal de Justiça do Estado, desembargador Cezário Siqueira, é o governador de Sergipe até a próxima quarta-feira (06), com o afastamento do governador Belivaldo Chagas ontem à tarde para tratar de questões de saúde em São Paulo. A solen
O presidente do Tribunal de Justiça do Estado, desembargador Cezário Siqueira, é o governador de Sergipe até a próxima quarta-feira (06), com o afastamento do governador Belivaldo Chagas ontem à tarde para tratar de questões de saúde em São Paulo. A solen

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 02/06/2018 às 06:04:00

 

Aliados do agrupamento po-
lítico do governador Beli-
valdo Chagas (PSD) começam a demonstrar insatisfação com relação a sua demora em agir para fechar o nome da vice-prefeita Eliane Aquino (PT) como sua vice nas eleições deste ano.
Segundo um líder de um partido do agrupamento governista o nome de Eliane é o que mais soma. Não só por ser mulher e viúva do ex-governador Marcelo Déda, como pelo seu carisma e boa identificação com a classe mais pobre.
Revela que pesquisas qualitativas feitas para consumo interno mostram isso e que é preciso um nome que some como vice para a chapa ser vitoriosa nas eleições de outubro. "Não pode ser qualquer nome, tem de fazer a diferença", destacou.
Na sua concepção, não tem que ser os aliados quem tem de bater o martelo sobre o vice. "Sempre pesou a escolha pessoal do candidato a governador na escolha do seu vice", ressalta.
Para ele, na primeira e única reunião de Belivaldo com as lideranças dos partidos aliados foi consensuado o nome de Eliane Aquino e que haveria uma conversa com ela nesse sentido. "Depois foi que apareceram algumas lideranças discordando do fato do PT ter dois nomes na chapa majoritária. E e até agora não se chegou a uma posição".
Enfatiza que o governador, como líder do agrupamento, precisa chamar o "feito a ordem, impedir essas manifestações de discórdias e escolher logo o vice que deseja".
No seu entendimento, precisa fazer isso o mais rápido possível para evitar novas manifestações de aliados que visam apenas atender seus interesses pessoais e não do projeto como um todo.
"Belivaldo tem que conversar logo com Eliane para saber se aceita ser sua vice, como deseja. Ela aceitando, precisa marcar uma nova reunião com os partidos aliados e anunciar o seu nome como vice.  Como governador e candidato a governador tem de liderar o processo eleitoral de fato e de direito e chamar o feito a ordem sob pena de novas dissidências, como já ocorreu com o PRB", defende.
É por ai...

Aliados do agrupamento po- lítico do governador Beli- valdo Chagas (PSD) começam a demonstrar insatisfação com relação a sua demora em agir para fechar o nome da vice-prefeita Eliane Aquino (PT) como sua vice nas eleições deste ano.
Segundo um líder de um partido do agrupamento governista o nome de Eliane é o que mais soma. Não só por ser mulher e viúva do ex-governador Marcelo Déda, como pelo seu carisma e boa identificação com a classe mais pobre.
Revela que pesquisas qualitativas feitas para consumo interno mostram isso e que é preciso um nome que some como vice para a chapa ser vitoriosa nas eleições de outubro. "Não pode ser qualquer nome, tem de fazer a diferença", destacou.
Na sua concepção, não tem que ser os aliados quem tem de bater o martelo sobre o vice. "Sempre pesou a escolha pessoal do candidato a governador na escolha do seu vice", ressalta.
Para ele, na primeira e única reunião de Belivaldo com as lideranças dos partidos aliados foi consensuado o nome de Eliane Aquino e que haveria uma conversa com ela nesse sentido. "Depois foi que apareceram algumas lideranças discordando do fato do PT ter dois nomes na chapa majoritária. E e até agora não se chegou a uma posição".
Enfatiza que o governador, como líder do agrupamento, precisa chamar o "feito a ordem, impedir essas manifestações de discórdias e escolher logo o vice que deseja".
No seu entendimento, precisa fazer isso o mais rápido possível para evitar novas manifestações de aliados que visam apenas atender seus interesses pessoais e não do projeto como um todo.
"Belivaldo tem que conversar logo com Eliane para saber se aceita ser sua vice, como deseja. Ela aceitando, precisa marcar uma nova reunião com os partidos aliados e anunciar o seu nome como vice.  Como governador e candidato a governador tem de liderar o processo eleitoral de fato e de direito e chamar o feito a ordem sob pena de novas dissidências, como já ocorreu com o PRB", defende.
É por ai...

 

Queda de braço 1

A coluna recebeu informações de que o presidente estadual do PT, Rogério Carvalho, garantiu para os lideres políticos da base governista que o PT vai participar do chapão para deputado estadual. Segundo um petista, o partido não vai aceitar o chapão para a Assembleia por querer sair sozinho.

 

Queda de braço 2

No seu entendimento, se o PT sair no chapão pode eleger apenas um deputado estadual como ocorreu na eleição passada. "Se o PT sair sozinho tem chance de eleger três deputados estaduais. Não é justo participarmos do chapão só para eleger deputada estadual a irmã de Fábio Mitidieri [deputado federal do PSD] e  Zezinho Sobral [ex-secretário e presidente do Podemos), cujos partidos só tem um nome", revela.

 

Queda de braço 3

Enfatiza que o PT tem vários nomes competitivos como o deputado Francisco Gualberto, o vereador Iran Barbosa, os ex-secretários Esmeraldo Leal e Silvio Santos, e o médico Gilberto Santos.

 

Queda de braço 4

"Se Rogério insistir no chapão vai sofrer sérias consequências. Vai perder a unidade dentro do PT para ser o candidato a senador", afirma o petista que pediu para não ter seu nome revelado para evitar maiores conflitos interno.     

 

Estatística

Existe um entendimento na base governista de que os partidos aliados do governo devem eleger de três a quatro deputados federais e a oposição de quatro a cinco deputados federais. Já para a Assembleia Legislativa, o agrupamento de Belivaldo Chagas deve eleger oito, o de Eduardo Amorim (PSDB) também oito e dos demais partidos da oposição, a exemplo de PSB e Rede também oito.

 

Confirmando candidatura 1

No próximo dia 15 de junho ocorrerá o lançamento oficial da pré-candidatura do ex-deputado federal Mendonça Prado (DEM) a governador de Sergipe. A data, sem local definido ainda, foi fechada durante reunião da executiva do Democratas realizada na última quarta-feira.

 

Confirmando candidatura 2

Segundo Mendonça, o DEM está pronto para as eleições 2018. Revela que o lançamento da sua pré-candidatura vai desfazer o "boato mentiroso" de que seria vice de alguém. "Temos um projeto que jamais seria executado por qualquer um. Procurem outro", afirma.

 

Confirmando candidatura 3

Enfatiza o pré-candidato a governador que não está preocupado com índices de pesquisas agora. "Os demais nomes foram candidatos majoritários nas últimas eleições e um é o atual governador. Portanto, os números deles representam sobras de campanha, ilusão de candidato. Vamos pra frente".

 

Mais uma condenação 1

O ex-prefeito Manoel Sukita (Capela) e o seu ex-secretário de Finanças José Edivaldo dos Santos foram condenado criminalmente pela 9ª Vara da Justiça Federal a 7 anos, cinco meses e quinze dias de detenção, inicialmente no regime semiaberto, por desvio de recursos federais destinados para implantação do esgotamento sanitário no município.  A justiça também estabeleceu a suspensão dos direitos políticos por oito anos e proibição de contratar com o poder público pelos próximos dez anos, permanecendo, portanto, Sukita inelegível para disputar mandato de deputado federal nas eleições deste ano.

 

Mais uma condenação 2

Pela acusação de desvio R$ 728.362,94, com o dinheiro tendo sido sacado na boca do caixa, o equivalente a 64% do valor da obra que seria realizada, mas não foi, Sukita e o ex-secretário já haviam sido condenados civilmente a pedido do Ministério Público Federal por esse desvio de recursos da Fundação Nacional de Saúde. Esses recursos foram desviados no último ano do seu mandato, em 2012. Se o Brasil fosse um país sério Sukita não estaria por ai trabalhando sua pré-candidatura a deputado federal.

 

Tragédia dupla

A sociedade sergipana ainda chocada não só com o assassinato da sargento da PM Eliana  Costa da Silva, 46, mas, também, do seu assassino, um menor de apenas 13 anos. O pequeno marginal chegou a disparar dois tiros para roubar o celular.  O celular foi quanto custou a vida de uma mãe de família, que deixa órfãos de mãe uma criança de sete anos e um adolescente de 13 anos, que a viu sangrando caída no chão da rua a 30 metros da sua residência. Muito triste e revoltante as duas situações!   

 

Resposta rápida

De parabéns a policia por ter conseguido identificar e prender o assassino da sargento Eliana, que chegou a disparar cinco tiros contra uma mãe de família.

 

Ação do governo

O governador Belivaldo Chagas (PSD), que se licenciou ontem do governo e só reassume na próxima quarta-feira, disse ontem que quando retornar da viagem que fará a São Paulo para realização de exames específicos, se reunirá com conselhos comunitários visando discutir ações que possam melhorar a segurança nos bairros.  

 

Cobrando ação 

Belivaldo, que compareceu ao velório da sargento, disse que o Brasil precisa acordar para o tráfico das drogas, que vem deixando viciado um grande número de pessoas, inclusive, adolescentes.

 

Veja essa ...

Do pré-candidato a governador Mendonça Prado sobre as eleições: "O Democratas pensa inclusive na possibilidade de apresentar uma chapa puro sangue. Estamos preparados para isso. É melhor do que fazer aliança com figuras deploráveis. Quem viver verá".

 

Curtas

Não faltou quem não comemorou ontem a saída de Pedro Parente da presidência da Petrobras. Foi na sua gestão que o preço do combustível foi dolarizado, levando o preço da gasolina e do diesel a constantes aumentos e preços absurdos.

 

Isso acabou paralisando o pais, provocando o caos com a falta de combustíveis, o desabastecimento e redução do transporte urbano com a paralisação dos caminhoneiros contra os aumentos abusivos do diesel.  

 

Como ministro de Minas e Energia do governo de Fernando Henrique Cardoso, Pedro Parente levou o país ao apagão. Já foi tarde da presidência da Petrobras.

 

As duas maiores centrais sindicais do país comemoraram ontem o pedido de demissão de Pedro Parente da presidência da Petrobras. Em nota, a Força Sindical afirmou que "a saída do presidente só trará benefícios para a sociedade brasileira". Segundo a central, Parente "prejudicava a classe trabalhadora".

 

Vários políticos marcaram presença na abertura dos festejos juninos de Areia Branca e Estância, na noite da quinta-feira, feriado de Corpus Christi.